Andam falando por aí, nas redes, que só é feio quem é pobre, porque beleza hoje em dia, se compra com procedimentos estéticos.

Acontece que, nem todo procedimento estético leva a beleza, muitas pessoas, acabam abusando, e entram em um padrão que não é nada belo, é estranho, chega a ser esquisito.

Mas, cada um sabe o que faz com a própria vida, e sem julgamentos, vamos analisar apenas a frase, “Você não é feio, você é pobre”.

Essa frase traz consigo o preconceito, e a imposição social, que faz muitas pessoas reféns.

É inegável que, muitas celebridades em início de carreira, exibiam uma aparência mais simples e, hoje em dia, depois do sucesso, estão ostentando peles maravilhosas, roupas de grifes e cabelos sedosos.

Sim, o dinheiro possibilita esses cuidados, abre sim, uma gama de oportunidades para se embelezar.

Mas a pobreza não condena ninguém a feiúra. Existem milhares e milhares de pessoas, extremamente simples, e belas.

São pessoas que não se prendem a vaidade imposta pela sociedade. Que vivem uma vida plena de liberdade e que não sentem essa “angustia” que muitos sentem, que os levam a buscar mudanças bruscas em suas aparências, na tentativa de se sentirem um pouco melhor consigo mesmos.

Elas são felizes como são, não sentem a pressão de serem mais bonitas, de estarem sempre impecáveis, e também não sofrem com as comparações. Essas pessoas são felizes. E é essa felicidade que deveria ser replicada e não a beleza padronizada das celebridades.

Existe uma grande distorção quando o assunto é beleza e riqueza. Para mim, o mais rico e belo nesse mundo, é aquele que conseguiu vencer a maldade dentro de si, é aquele que consegue ser feliz na simplicidade, e se aceitar como é.

Quando alguém enriquece, a primeira coisa que ela “acha” que precisa fazer é se igualar. Mas a beleza de cada pessoa está na sua diferença.

Não é o pobre que é feio por ser pobre. Muitas vezes, o pobre tem dificuldade sim em arrumar os dentes, por exemplo, o dinheiro realmente faz falta para quem precisa desses cuidados.

Existe beleza sim na simplicidade.

Na minha visão, o que deixa alguém feio, não é a sua aprência, mas sim, a sua tentativa de ser quem não é, na tentativa de se sentir aceito.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Iara Fonseca

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia