Quem diminui a sua dor e te chama de dramática não te merece!

Quantas vezes na sua vida, alguém que você julgava ser importante, se aproximou e assim que você expressou os seus sentimentos, diminuiu a sua dor te pedindo para você parar de drama?

Quantas vezes já falaram para você parar de se queixar da dor que eles próprios te causavam?

Quantas vezes você teve que esconder aquilo tudo que te machucava e que fazia infeliz?

Quantas vezes já disseram de maneira agressiva para você parar de ser carente e de pedir atenção?

Quantas vezes você já se entristeceu com a atitude de alguém e te pediram para parar de melindre?

Quantas vezes te mandaram parar de chorar quando você estava triste por alguma situação que aconteceu e não era aquilo que você queria que tivesse acontecido?

O seu brilho vai incomodar muita gente, a sua sensibilidade é tão latente que muitas pessoas vão te julgar porque não sabem como lidar com isso.

As máscaras que carregam são tão pesadas que logo vão te pedir para você parar de drama.

É muito mais fácil para elas te julgarem, te rotularem de dramática só porque você se emociona facilmente.

A frieza de certas pessoas que consideramos nossas amigas, frente a situações que nos entristece, sempre nos coloca em uma situação ainda mais vulnerável.

É complicado mesmo entender as pessoas sensíveis. Elas sentem a dor do mundo, mas não devolvem para ele, pelo contrário, elas se esforçam para transcender, para resistir e de tão resilientes choram para não sucumbir.

As pessoas sensíveis, geralmente se emocionam muito porque se colocam frequentemente no lugar do outro e não são capazes de fazer as mesmas coisas ruins, ou seja, não conseguem pagar na mesma moeda, não agridem nem ofendem, e não tomam nenhuma atitude que faria o outro sofrer.

Por outro lado, vira e mexe recebem golpes de amigos, parentes, colegas de trabalho e superiores que invadem, criticam, julgam as suas atitudes, e estão atentos a qualquer erro que elas cometem só para poderem dizer: “Viu só, elas não são tão boas assim!”.

Elas fazem isso porque não possuem a mesma sensibilidade, e não conseguem se doar para o outro da mesma maneira. Muitos não estão nem aí mesmo.

Mas as pessoas sensíveis se doam tanto que são capazes de deixar o que estão fazendo para socorrer um amigo, se preocupam com as pessoas a ponto de não conseguirem realizar suas tarefas do dia a dia enquanto aqueles que elas amam não voltem a se sentir feliz.

O problema é que quando a pessoa sensível se encontra frente a frente com um problema pessoal, geralmente, ela não encontra respaldo naqueles que ela já ajudou e muito menos lhe oferecem um ombro como aquele que ela ofereceu.

O choro vem como um sinal de indignação, de dor que quer a deixar infeliz, daqueles que querem a fazer sentir sozinha em meio à multidão.

Pessoas sensíveis, na maioria das vezes, são os seres mais sinceros que existem.

Elas vão te dizer, sempre, exatamente o que estão sentindo, mas infelizmente, na maioria das vezes, as outras pessoas não estarão nem um pouco afim de escutar o que ela tem a dizer.

Uma pessoa sensível já está acostumada a ouvir: Para de fazer drama, para de se vitimizar!

A frase ecoa tão alto dentro dela, que ela mesma passa a achar que está fazendo drama, que está se vitimizando, e aprende a engolir seco tudo aquilo que a faz sofrer.

Com o autoconhecimento, uma pessoa sensível consegue perceber mais claramente que não é o seu choro que está caindo na hora errada, são as pessoas frias, egoístas e calculistas que não sabem se colocar no lugar do outro.

Mas não perde tempo culpando-as porque entende que na visão dessas pessoas, elas já possuem problemas demais para se preocuparem com aquela pessoa que elas julgam ser “dramática”, por isso, optam por, simplesmente, se afastar dela.

Aos poucos ela entende que se eles não estão preocupados em estender uma mão amiga é porque não são amigos verdadeiros.

O coração sensível, normalmente é o coração mais belo que existe.

É de uma beleza encantadora, que se faz entender por um olhar. Pena que os julgadores de plantão não conseguem identificar essa pureza genuína e singela.

Eu te entendo!

Não permita que ninguém te chame de dramática! Valide os seus sentimentos! E busque entender cada um deles. Se afaste de quem te aprisiona e não quer te ver liberta.

Temos dentro de nós os problemas do mundo e queremos resolver todos eles com um simples abraço.

Enquanto aqueles que julgam os “sensíveis” de “dramáticos” pensam que somos problemáticos, na verdade, somos verdadeiros.

Nós, sensíveis, sabemos de uma coisa que os outros não sabem: Nenhum problema se mantém depois que as lágrimas secam.

A principal qualidade das pessoas sensíveis é o poder que elas têm em perdoar.

Perdoamos e seguimos em frente. Sabemos da importância de cada lágrima que cai, do porquê ela deve cair exatamente naquele momento. Cada lágrima, após tomar o seu curso, se transforma em um amigo, em um ombro, em uma acolhida que não nos foi dada quando mais precisávamos.

Quando minimizamos os nossos sentimentos e os colocamos em um nível de drama nos afastamos mais e mais da nossa essência e com o passar do tempo nos tornamos infelizes.

Simples e claro. Mas o fato é que as pessoas sensíveis, geralmente, estão cercadas de pessoas indiferentes.

Sabe aquelas, que sempre estão correndo, e que se colocam em primeiro lugar na lista de pessoas que tem um lugar no céu garantido?

Esses falsos amigos, se enfurecem se fazemos alguma reclamação, porque odeiam cobranças, odeiam quando cobramos amor, carinho, atenção, e dizem que quem faz isso são pessoas chatas, carentes, grudentas.

Engraçado né, porque a pessoa sensível quando recebe um pedido de carinho, um pedido de atenção, age totalmente diferente dos poderosos seres que não precisam de atenção e cuidado de ninguém e que vivem muito bem sozinhos.

As pessoas sensíveis se colocam a disposição, dão conselhos ótimos e querem o bem do outro. Quanta diferença, né?

Pois é…

É fato que nós, sensíveis, precisamos ficar atentos para a verdade dos nossos sentimentos, e reconhecer caso a gente venha a exagerar. Não é legal fazer tempestade em copo d´água, e a gente precisa mergulhar bem fundo nas nossas emoções para entender cada uma delas.

Eu mesma não gosto de ser chamada de dramática, mas reconheço quando a minha reclamação é apenas uma manhã, uma carência, ou um draminha. E é bom reconhecer, porque a gente só pode vencer algo quando a gente o conhece.

Por mais que você pense que fulano ou ciclano é dramático, nunca exteriorize isso, tente surfar na onda da bondade e praticar a arte da compaixão e da gentileza.

Não queira apenas “ficar por cima da carne seca”, porque se você fizer isso, você vai demonstrar que o que está seco mesmo é o seu coração!

Respeite a minha dor!

*Foto de Etty Fidele no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.