Quando você ajuda um colega de trabalho, você não cria um concorrente, semeia gratidão!

Você será sempre lembrado pela grande maioria daqueles que você se dispôs a ajudar e a ensinar. E isso faz um bem enorme.

Em meio a uma crise econômica, em geral, passamos a temer a perda de nosso emprego.

A vida está cada vez mais cara, nosso poder de compra é diminuto, ou seja, não poder contar com um salário no final do mês é um pesadelo.

Com isso, os ambientes de trabalho tornam-se menos saudáveis, uma vez que todos se veem como concorrentes em potencial.

Nesse contexto, muitos ficam atentos ao próprio trabalho e aos dos outros, com medo de que esteja sendo menos proveitoso, menos competente, menos elogiado e notado pelo superior.

E assim não é possível haver interação afetiva verdadeira entre as pessoas que ali trabalham, as quais são tidas como não-amigas, concorrentes, possíveis puxa-tapetes e, portanto, melhor se manterem distantes uns dos outros.

Não podemos é, por conta disso, negar compartilhar conhecimento com nossos colegas de trabalho.

Na maioria das vezes, as pessoas são gratas com quem lhes ajuda, as pessoas crescem, desenvolvem-se e melhoram, jamais se esquecendo de quem as ajudou nesse percurso.

Você será sempre lembrado pela grande maioria daqueles que você se dispôs a ajudar e a ensinar. E isso faz um bem enorme.

Precisamos nos conscientizar de que pode haver alguém que acabe ocupando o nosso emprego e isso não significa que somos derrotados.

Ser despedido não é sinal de incompetência, não é motivo para achar que não tem mais jeito.

A vida continua e conseguiremos nos recolocar no mercado de trabalho.

É preciso encarar como uma nova luta pela frente, um recomeço, uma nova oportunidade de ser melhor e mais forte.

Se houve algum erro de sua parte, aprenda e não o cometa mais.

Tudo é aprendizado, tudo vai voltar nos eixos. Apenas continue compartilhando e ensinando, onde estiver.

A vida e as pessoas têm um jeito especial de retribuir pelas coisas boas que espalhamos por aí.

Se você se sente intimidado pelos talentos dentro da sua equipe de trabalho, é um sinal de que você não consegue acreditar no seu valor, essa insegurança te atrapalha a prosperar, e é importante buscar ajuda!

Para que você perca essa insegurança e se coloque com confiança no mercado de trabalho, me chame do direct @rhamuche, eu posso te ajudar.

*DA REDAÇÃO RH. *Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.