O desequilíbrio hormonal pode fazer da sua vida, um inferno.

Quem já sofreu um desequilíbrio hormonal sabe o quanto afeta a nossa sensação de bem-estar. Esse desequilibrio pode acontecer em muitas fases da vida, e por diversos motivos, mas a neurociência explica que é possível equilibrar os hormônios, ou produzir mais, mudando alguns hábitos.

O que você talvez não saiba é que você pode treinar o seu Cérebro para Aumentar os Níveis de Serotonina, Dopamina, Ocitocina e Endorfina.

E a única coisa que você precisa fazer é construir novos hábitos, redirecionando a eletricidade em seu cérebro para fluir por um novo caminho. Com a prática, você vai tornando ainda mais fácil acionar esses produtos químicos que geram felicidade, e que vão aumentar os sentimentos de satisfação quando você mais precisa deles.

Como os hormonios interferem no nosso comportamento diante da vida?

Os hormônios têm impacto em quase tudo o que o nosso corpo faz. Eles fazem o nosso balanceamento biológico, controlam o ritmo de nossas vidas, e regulam as funções corporais.

São responsáveis por provocar o sono ou o estado de alerta, fome ou saciedade, felicidade ou raiva, por fazer o sistema reprodutor trabalhar, o corpo crescer, engordar ou emagrecer, se estressar ou relaxar, ficar de bom ou mau humor.

Com tudo isso, fica fácil perceber que grande parte do nosso comportamento é moldada por nossos hormônios. Muitas vezes, os hormônios até nos fazem agir de maneira que não gostaríamos!

Quando estão desequilibrados, eles são capazes de nos levar a infelicidade e ao sofrimento, mesmo quando está tudo “aparentemente” bem.

O que fazer para me sentir melhor e mais feliz?

Além de treinar o seu cérebro você pode treinar o seu corpo. Existem 4 hormonios que são conhecidos como “hormonios da felicidade”, eles receberam esse nome porque, cada um deles, trabalha de forma diferente, mas nos ajuda a alcaçar a sensação de bem-estar.

A Oxitocina: a cura através do amor

Conhecida como “hormônio do amor”, “do prazer”, do “antiestresse”. A ocitocina é produzida pela neuroipófise e é liberada em situações que envolvem afeto verdadeiro, aumenta a libido, alivia estresse e ansiedade e melhora as habilidades sociais.

Quando o nosso corpo produz ocitocina nos tornamos mais calmos, afetuosos e empáticos, tendemos a confiar mais nas pessoas e nos mostramos mais dispostos a ajudá-las.

Um estudo publicado pela Public Libery of Science, de Paul J. Zak, apontou que participantes de um experimento que inalaram ocitocina e participaram de uma atividade de dividir dinheiro com um estranho foram 80% mais generosos do que os que não inalaram.

Como produzir: Meditar, ajudar alguém, abraçar, tocar, ter atos de gentileza, fazer as coisas com amor, se cuidar, se respeitar, se amar…

A Dopamina: a molécula motivacional.

A dopamina é outro hormônio que faz você se sentir feliz, ao mesmo tempo em que o mantém vivo e alerta. Está envolvido em uma ampla gama de atividades, e várias condições graves estão associadas à disfunção do sistema dopaminérgico. Aqui estão alguns sistemas em que está envolvido:

– controle motor e função cognitiva;
– o sistema de motivação e recompensa do cérebro;
– tomada de decisão e controle de impulsos;
– memória e atenção;
– comportamentos maternos e reprodutivos;

Ele faz parte do sistema de recompensa do cérebro – é o que faz te sentir prazer, te motiva a prosperar e não desistir. A dopamina é considerada a engrenagem motivacional neste sistema, e é liberada naturalmente quando você percebe comida ou descargas sexuais, mas antes de consumi-la.

É conhecido que a dopamina é o neurotransmissor que ativa os vícios em substâncias, como dependência em drogas, abuso de álcool e comportamentos compulsivos (jogo, comida, sexo,crueldades), quando desregulado.

Como produzir:

Dormir de 7 a 9 horas por dia, celebrar suas conquistas diárias, praticar exercícios todos os dias.

A Endorfina: A euforia que inibe a dor

As endorfinas tem o poder de te trazer felicidade porque elas funcionam como analgésicos. Eles inibem a transmissão de sinais de dor no sistema nervoso central, ligando-se aos receptores opióides (a morfina natural do corpo). Elas não bloqueiam a dor, elas produzem euforia, que consequentemente, inibem a sensação de dor.

Como produzir:

Para produzir endorfinas (e cardio fitness) basta que você crie o hábito da corrida. Ela é muito potente para liberar esse hormônio.

Endorfinas e dopamina são muitas vezes confundidas porque cada uma é uma substância química que faz você feliz em todas as áreas da sua vida. Mas uma importante obervação é que para a dopamina ser liberada ela precisa que as endorfinas se liguem aos receptores do sistema nervoso.

Por isso, o foco deve ser em produzir endorfinas e logo em seguida, dopaminas.

É aquela sensação de energia extra que a gente sente depois de correr bastante que nos faz liberar a endorfina e a dopamina. Isso explica por muitas pessoas dizem ser “viciadas” em corrida.

A serotonina: O seu bem-estar vem do bom funcionamento do seu intestino

90% da serotonina do seu corpo é produzida no intestino e ele é essencial para o humor. A digestão, o sono, a função cerebral e o ritmo circadiano são siretamente atingidos por ele.

Uma revelação recente é que suas bactérias intestinais participam da produção de serotonina. Uma substância chamada triptofano que é encontrada em alguns alimentos, pode ser transformada em serotonina pelo seu intestino. O triptofano é um aminoácido essencial para o bom funcionamento do intestino e o intestino regula a nossa saúde de maneira integral, físico, emocional, mental e espiritual.

E a gente só consegue obtê-lo através da alimentação adequada.

Queira você ou não, a sua dieta influência na sua saúde mental.

Como produzir:

Consumindo alimentos vegetais ricos em fibras, lembrando que o seu corpo precisa de 30g apenas; consumir carne e gordura com moderação pois, possuem as bactérias mais abundantes que produzem acetato e butirato; alimentos integrais em uma dieta balanceada.

Alimentos como carboidratos refinados, fast food e produtos de origem animal, possuem bactérias insuficientes.

Os exercícios aumentam os níveis de triptofano e serotonina, e melhoram a diversidade do seu microbioma intestinal.

É preciso atenção com o aumento dos níveis de serotonina em pessoas deprimidas, porque estudos indicam que não funciona de maneira confiável, e existem alguns efeitos colaterais graves.

Lista de alimentos que ajudam o bioma intestinal:

– maçãs; citricos; cogumelos; cevada; batata; aveia; beterraba; cranberries; cebolas; alho; centeio; Amora silvestre; Alcachofra; trigo; chicória; leguminosas; massas.

Alimentos ricos em triptofano:

– sementes de girassol; espirulina; bacalhau, salmão; soja; batatas; ovos; aveia; leite; grão de bico; trigo; queijo; carne; Quinoa; grão de bico; frango; peru.

Se você sente que a sua vida está um inferno, provavemente você precisa mudar alguns hábitos e produzir mais desses 4 hormônios. A terapia pode te ajudar, envie EU QUERO via direct para @rhamuche e se dê de presente a ajuda que você precisa.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

Fontes:
-Algoe SB et al., Ocitocina e Vínculos Sociais: O Papel da Ocitocina nas -Percepções do Comportamento de Vínculo dos Parceiros Românticos, 2017
-Briguglio, M et ai. Neurotransmissores dietéticos: uma revisão narrativa sobre o conhecimento atual, 2018
-Bloemendaal M et al., Efeitos neurocognitivos da administração aguda de tirosina na inibição da resposta reativa e proativa em idosos saudáveis, 2018
-Carabotti, M et ai. O eixo intestino-cérebro: interações entre microbiota entérica, sistemas nervosos central e entérico, 2015
-Carpenter, S. That Gut Feeling, 2012
-[Clarke, G et al.] Minirevisão: Gut Microbiota: The Neglected Endocrine Organ, 2014]( https://academic.oup.com/mend/article/28/8/1221/2623221 )
-Carhartt RL & Nutt DJ, Serotonina e função cerebral: um conto de dois receptores, 2017
-Erdman SE & Poutahidis T, Micróbios e Ocitocina: Benefícios para Fisiologia e Comportamento do Hospedeiro, 2016
-Erdman SE, Micróbios, Ocitocina e Longevidade Saudável, 2014
-Gonzalez-Arancibia et al., Seus micróbios intestinais afetam sua dopamina cerebral?, 2019
-Herr, N et ai. Os efeitos da serotonina nas células imunes, 2017
-Jenkins, T, A et ai. Influência do Triptofano e da Serotonina no Humor e Cognição com um Possível Papel do Eixo Intestino-Cérebro, 2015
-Jongkees BJ et al., Efeito da suplementação de tirosina em populações clínicas e saudáveis ​​sob estresse ou demandas cognitivas – uma revisão, 2015
-Klein MO et al., Dopamina: Funções, Sinalização e Associação com Doenças Neurológicas, 2019
Lachance L & Ramsey D, Alimentos, Humor e Saúde do Cérebro: Implicações para o Clínico Moderno, 2015
-Reigstad, C, S et ai. Micróbios intestinais promovem a produção de serotonina colônica por meio de um efeito de ácidos graxos de cadeia curta em células enterocromafinas, 2015
-Rekdal, V, M et ai. Descoberta e inibição de uma via bacteriana intestinal interespécies para o metabolismo da levodopa, 2019
-Ridaura, V e Belkaid, Y. Git Microbiota: The Link to Your Second Brain, 2015
-Ruining X et al., Tratamento oral com Lactobacillus reuteri atenua comportamentos do tipo depressivo e alterações do metabolismo da serotonina induzidas pelo estresse crônico da derrota social, 2020
-Uvnäs-Moberg, K et ai. Comportamentos auto-calmantes com referência particular à liberação de ocitocina induzida por estimulação sensorial não nociva, 2014
-Volkow, N, D et ai. O sistema de motivação da dopamina: implicações para o vício em drogas e alimentos, 2017
-Yano, J, M et ai. Bactérias indígenas da microbiota intestinal regulam a biossíntese de serotonina do hospedeiro, 2015
-Você e seus hormônios. Hormônios, 2020

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.