Meu bem, não termine com alguém por mensagem! É feio!

Não termine com alguém por mensagem! Ninguém é produto, nem objeto, mesmo que alguns se mostrem assim.

Cada artigo que escrevo é baseado em uma situação que vejo ou que presenciei, ou, simplesmente, na forma como penso sobre qualquer coisa. Dessa vez, vou falar aqui de algo que eu já fiz no passado (coisa horrível, meu Deus) e que ainda vejo muita gente fazendo: terminando namoro através de mensagens de texto ou telefonema!

Na verdade, acho que mensagem de texto é muito pior, não dizendo, claro, que ligar para alguém e dizer que quer terminar é menos ruim. É tudo feio. Tudo sem o menor respeito.

Pode ser que a pessoa não seja lá um exemplo de ser humano, mas, ainda assim, se for terminar uma relação não o faça através das redes sociais, do seu celular, criatura! Você fica com a pessoa, usa ela da forma que quer e, mesmo que tenha vários motivos para terminar, você prefere fazer por mensagem, como se não tivessem nunca nenhuma intimidade? E as vezes que vocês estiveram juntos, não conta?

Ok. Quando eu era bem jovem eu terminei com um cara por telefone. Disse algo do tipo: “é melhor ficarmos por aqui e tal… Não está bom e tal…” E desliguei. Ufa! Já não aguentava mais. E simplesmente fui para cama dormir sem a menor dor na consciência. A pessoa mais gelada do planeta acabava de tirar sua soneca. Daí, ferrou tudo, quando algum tempo depois, acontece o mesmo comigo. A tal da conversa, que deveria acontecer, não acontece porque alguém preferiu encerrar tudo de uma forma bem mais prática, porém, não muito gentil. Senti na pele o pouco caso, minha gente, que é o término de algo através de uma simples mensagem de texto.

Eu sei que algumas pessoas dirão que o cara não merece nem um tchau, que aquela mulher o esmagaria à unha se você dissesse pessoalmente, e por aí vai. Dirão até que corriam risco de serem assassinados se terminassem um relacionamento pessoalmente. E desde quando esse perigo diminui sendo por mensagem?

Essa tecnologia moderna nos aprisionou tanto que os relacionamentos não parecem humanos! Tudo que se faz é através de redes sociais, conhecemos pessoas pelas redes sociais, namoro virtual, término virtual.

Olha, eu não ligo se você não concordar comigo sobre esse assunto. Mas eu insisto que terminar algo que se viveu com alguém, mesmo que tenha sido péssimo, por telefone ou mensagem, é uma baita falta de respeito com o ser humano (independente de quem seja ou tenha feito). É terrível, é péssimo, é imaturo! Pessoas adultas não fazem esse tipo de coisa, elas assumem as consequências de suas escolhas, sejam elas quais forem!

E mais, mensagem nem dá a chance do outro olhar em seus olhos e perguntar: “Por que?” Talvez seja por isso que alguns prefiram, já que o “olhar nos olhos” é complicado e você poderia deixar claro uma intenção que por palavras escritas o outro não perceberia. É uma fuga da realidade, é medo de enfrentar uma situação. Pareço radical? Ok, sei que existem as pessoas que moram em países diferentes… espere! Não há nenhum outro recurso via internet que se pode olhar nos olhos de alguém e dizer-lhe adeus? Nós sabemos que tem.

Qualquer que seja o ato que realizará pense primeiro E SE FOSSE O CONTRÁRIO? E SE FOSSE COMIGO? EU GOSTARIA? Dependendo da sua resposta, aí você faça o que quiser. Mas, que tenhamos um pouco mais de respeito pelas pessoas e pelos sentimentos delas.

Ninguém é produto, nem objeto, mesmo que alguns se mostrem assim. Você não precisa ser como a maioria. Você é você, do seu jeito e acima de tudo, alguém que se importa com o ser humano.

COMPARTILHAR
Cris Souza Fontes
Escritora, blogueira, amante da natureza, animais, boa música, pessoas e boas conversas. Foi morar no interior para vasculhar o seu próprio interior. Gosta de artes, da beleza que há em tudo e de palavras, assim como da forma que são usadas. Escreve por vocação, por amor e por prazer. Publicou de forma independente dois livros: “Do quê é feito o amor?” contos e crônicas e o mais espiritualizado “O Eterno que Há” descrevendo o quão próximos estão a dor e o amor. Atualmente possui um sebo e livraria na cidade onde escolheu viver por não aguentar ficar longe dos livros, assim como é colunista de assuntos comportamentais em prestigiados sites por não controlar sua paixão por escrever e por querer, de alguma forma, estar mais perto das pessoas e de seus dilemas pessoais. Em 2017 lançará seu terceiro livro “Apaixonada aos 40” que promete sacudir a vida das mulheres.