Sempre que estamos muito preocupados com a opinião dos outros demonstramos que nos sentimos inseguros a respeito da nossa autoimagem.

Transparecemos que, nós mesmos, não sabemos definir quem somos e, por isso, permitimos que os outros o façam, mas quando eles nos definem e não concordamos com eles, nos sentimos injustiçados.

‘Nossa vida é o que nossos pensamentos fazem dela.’ – Marco Aurélio

É a forma como nós pensamos a nosso respeito que determina a nossa vida, não o que os outros pensam de nós.

Porém, se não conseguimos pensar bem da gente mesmo, se ao olhar no espelho, desprezamos o que vemos, é natural que os outros pensem o mesmo de nós.

Não é questão de injustiça, de ser desvalorizado sem motivo, é uma questão de receber de fora aquilo que estamos oferecendo a nós mesmos. É uma questão de permissão.

Nós permitimos que os outros pensem o que quiserem, mas quando nos ofendemos e sofremos pelo fato de pensarem algo sobre nós, diferente do que somos, é porque, em algum momento, inconscientemente, acreditamos neles, como se o que eles dissessem sobre nós, fosse a mais pura verdade, mas que tentamos esconder a 7 chaves.

O autor John Kanary disse certa vez que, não podemos fazer consistentemente nada que seja inconsistente com a nossa autoimagem. Como pensamos, assim somos. Como percebemos que somos, então nos tornamos.

Uma pessoa que está convicta de quem é, que gosta da sua autoimagem, que aprecia as suas virtudes e é fiel aos seus valores, jamais se preocupa com a imagem distorcidada que os outros contróem a seu respeito.

Portanto, a opinião que você tem a seu respeito é a mais importante. Marco Aurélio, apesar de ter sido um imperador de Roma, se dedicou em vida a ser um eterno aprendiz. Em “Meditações”, ele expôs o tormento aflito de se importar demais com as opiniões de outras pessoas.

Ele se admira ao perceber determinados pontos do comportamento humano, dizia que todos nós nos amamos mais do que qualquer um pode nos amar, porém, nos importamos mais com a opinião dos outros do que com a nossa.

E essa é uma verdade incontestável. Acabamos entrando em estado de sofrimento quando percebemos que não somos bem vistos socialmente, quanto sentimos que não agradamos.

Uma vez escutei que, “ou você decide construir os seus sonhos baseados na sua verdade ou você terá que ajudar os outros a construirem os sonhos deles e vai ter que seguir a verdade deles”.

É uma questão de escolha? Acho que não é apenas uma questão de escolha, mas de percepção de si mesmo, da sua verdade.

Se você não consegue perceber a si mesmo e acredita em tudo o que os outros falam sobre você, você vai deixando de escrever o seu livro e permite que os outros o escrevam.

Da sua história, só você sabe, muitas vezes, nem a sua mãe, nem seu pai, nem seu companheiro ou melhor amigo sabem o que se passa dentro do seu coração, a sua verdade é só sua, de mais ninguém.

Então por que você sofre com o que os outros dizem a seu respeito?

Porque você não confia em quem você é, porque você duvida de si mesmo!

Temos esse estranho hábito de nos preocupar mais com o que as outras pessoas pensam de nós, em vez de nos ater a como nos sentimos a nosso respeito. Se nos sentimos mal com quem nos tornamos, não é culpa dos outros perceber o mesmo, é nossa responsabilidade transformar aquilo que nos incomoda em nós.

Porém, se a opinião dos outros não condiz com o que sabemos e sentimos que somos, não há motivo para alarme, não acha?

Se você é careca e uma pessoa grita no trânsito: “Seu careca!”. Não é a opinião dele, concorda? É uma verdade incontestável. Você vai se sentir ofendido por ser o que você é?

Pelo menos, não deveria! Certo?

Se você se ofende, se sente humilhado é um claro sinal de que não é a opinião do outro que te ofendeu, mas a sua falta de aceitação em ser careca.

Mas se uma pessoa te acusa de ser falso, por exemplo, e, no seu íntimo, você sabe que não é, porque se sentir injustiçado pela visão distorcida que o outro construiu a seu respeito?

Se você tem convicção que nunca foi falso com ela, a opinião dela não vai te afetar em nada, só revela o que ela é, na verdade, porque quando alguém nos acusa de algo que não somos, é um claro sinal de que ela nos acusa de algo que ela mesma faz.

Agora, se você realmente foi falso, mas não quer admitir para o outro, nem para si mesmo, fica argumentando, se justificando, colocando a culpa no outro, você vai se mostrar muito ofendido, simplesmente porque aquela percepção que fizeram a seu respeito é verdadeira, porém, você não quer admitir porque você se envergonha de ser falso.

O fato de admitir para si mesmo aos pontos obscuros que ainda precisam ser trabalhados em você é de fundamental importancia para o processo de autoconhecimento. Se autoconhecer determina o quão confiante você é em relação a tudo que dizem a seu respeito. Quando você não gosta de você o suficiente, o seu ego se fere sempre que te julgam ser isso ou aquilo.

Quando você se conhece e se ama você não se importa com o que os outros pensam. O que eles dizem não ecoam dentro de você. O perfil que eles contróem na tentativa de te enfraquecer não define quem você é. E você simplesmente deixa pra lá, se afasta, ignora e, se mostra indiferente a tudo que dizem e, que você sabe, não ser verdadeiro.

Você olha para frente, segue seu caminho, foca nos seus objetivos, enaltece as suas qualidades, valoriza seus talentos, planta boas sementes, nutre suas raizes, promove podas constantes e, de tempos em tempos, colhe os seus frutos.

Você não se prende ao que acham a seu respeito, mesmo que essas pessoas sejam sua mãe, seu pai, seu irmão, seu marido, sua esposa, seu chefe, mesmo que tentem te diminuir e te provoquem para que você se rebaixe ao nível de insatisfação deles, mesmo que eles espalhem maledicencias e tentem te derrumar, você não será derrubado, porque a sua fortaleza interior não permitirá.

Não permita que a opinião dos outros te defina. Busque conhecer quem você é de fato, saiba de cor e salteado qual é a sua verdade, não deixe que as pessoas determinem a forma como você se enxerga.

Olhe no espelho e pense bem a seu respeito, não crie mentiras, olhe com a verdade do seu coração e deixem vir as qualidades, acolha os seus defeitos, admita para si mesmo os pontos que você precisa ter atenção e transformar, não se culpe, trabalhe!

A vida se transforma a todo momento, por isso, não fique esperado chorando por quem te despreza, se transforme, mude o que precisa ser mudado, mude de cidade, de emprego, de casamento, mude sua vida para melhor!

Não fique esperando que as pessoas mudem de ideia em relação a você, nem tente provar nada a ninguém!

Não queira provar que a opinião delas está errada a seu respeito, o seu exemplo de vida e a sua felicidade sempre serão as maiores provas!

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Iara Fonseca, jornalista, escritora, editora de conteúdo dos portais Resiliência Humana, Seu Amigo Guru, Homem na Prática e Taróloga. Para agendar uma consulta de Tarô Espiritual com a Iara, mande um direct para @ESCRITORAIARAFONSECA

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.