CURE A SI MESMO, PARA NÃO ADOECER SEUS OS FILHOS!

Caso você desconheça as leis da ordem da Constelação Familiar, é possível que você passe a culpar seus filhos pelos erros que você cometeu, mas não percebe, ou não quer reconhecer.

Essa é a segunda lei, chamada de precedência, que é determinada pelo tempo de pertencimento.

Aqueles que chegaram antes na família, têm precedência sobre aqueles que vieram depois. Desse modo, os pais vêm antes de seus filhos, o primogênito antes do segundo, e assim por diante.

Se uma pessoa que ingressou mais tarde se eleva acima de alguém que chegou antes dela, ela viola essa ordem de precedência.

Todos na família têm seu próprio lugar de direito. Ninguém pode e deve disputar esse lugar, por exemplo, elevando-se acima dele ou tentando deslocá-lo de seu lugar.

Essa precedência, também é chamada de hierarquia, e infelizmente, muitas vezes, ela é violada em nossa cultura porque é ignorada por muitos, com a justificativa da liberdade pessoal e do direito de se desenvolver de acordo com suas próprias ideias.

As consequências dessa violação são devastadoras.

O respeito ou desrespeito à ordem, determinam o sucesso e o fracasso, e muitas vezes, a vida e a morte. Esse é um fato inquestionável, e ninguém pode violar essa ordem, sem sérias consequências para si e para os outros.

Quando uma mãe ou um pai não assumem a própria responsabilidade diante de seus filhos, eles violam a ordem e colhem as consequências em suas vidas.

Se uma mãe ou um pai, culpam ou julgam os seus filhos por não serem ou não fazerem aquilo que eles acreditam ser certo, ou por não os amarem como eles gostariam de ser amados, ou por não se dedicarem a família, o fato é que, os fihos só conseguem oferecer a qualidade de amor que receberam.

E se os pais não conseguem admitir os seus erros, e olhar para os seus filhos como uma extenção e um reflexo de si mesmo, essa ordem está sendo violada.

Quem veio depois, manifesta as dores da sua família de origem. E se um filho é cobrado pelos pais, de modo, que ele se sinta, obrigado a resilver os problemas familiares, ele acaba infringindo a lei do pertencimento e da ordem.

Visto que um filho não pode ocupar o lugar de chefe da família, e os pais não podem se colocar no lugar de dependentes das ações dos filhos. Quando essa inversão acontece, o sistema familiar fica prejudicado e desalinhado.

Muitos pais, e até os filhos, ao fazerem essa inversão, não percebem o que estão fazendo. Mesmo colhendo resultados devastadores, se sentem inocentes e bons.

Mas se a ordem é respeitada e os pais tomam para si, a responsabilidade, olham para as suas dores e buscam curar as suas feridas, os padrões familiares negativos são dissolvidos, e os filhos se beneficiam integramente dessa cura e libertação familiar.

“São padrões que, quando seguidos, criam harmonia e tranquilidade nas famílias e, quando desalinhados, criam emaranhados, tensões e há dificuldade em encontrar uma paz duradoura entre os membros da família” (J. Faust & P. ​​Faust, 2015 p. .78).

Quando os pais esperam receber dos filhos o amor que eles mesmos não conseguiram oferecer, ou cobram que os filhos ofereçam algo que eles acreditam que ofereceram, mas que não foi entendido pelos filhos como algo bom, os filhos se rebelam e se elevam em relação aos pais, na tentativa de se defenderem daquilo que, para eles, faz mal.

Se o amor dos pais não é sentido integralmente pelos filhos, por ser um amor doente e sem respeito a individualidade, os filhos passam a repetir os mesmos erros dos pais, inconscientemente.

Mãe e pai precisa entender que são os grandes e que precisam dar o exemplo. Mas não se pode confundir ser grande, com o tratar o filho como pequeno para sempre, o filho é pequeno mesmo quando adulto, o filho nunca pode ser cobrado a agir como pai de seus pais, e nunca pode tentar agir dessa forma por conta própria.

Acontece que, em muitas famílias, pai e mãe ou um dos dois, não dão conta de prover o sustento da família, e repassam essa obrigação aos filhos, ou não dão conta de cuidar das próprias vidas, e repassam esse cuidado aos filhos, colocando sobre eles uma obrigação que não é deles.

Essa inversão causa grande impacto na vida do filho e gera um enorme sofrimento familiar.

“Os pais dão e os filhos recebem. Isso permite que a energia flua em sua ordem natural”. (J. Faust & P. ​​Faust, 2015 p.78).

Se os pais não têm condição de dar aos filhos, os filhos passam a acreditar que eles é quem precisam dar aos pais, e a inversão acontece. E quando ela se instala, o sistema familiar se enfraquece.

“Ah, mas minha mãe é doente, meu pai faleceu, ou minhã mãe não tem instrução, meu pai nos abandonou, e eu tive que assumir a responsabilidade”, bom, nesse caso, como em muitos outros, você sempre terá que olhar para os seus pais como grandes e você sempre terá que se colocar diante deles como pequenos, caso contrario, sua vida perderá o sentido e você sofrerá as consequeências dessa inversão.

Ninguém tem culpa, é tudo uma questão de cada membro da família se colocar em seu lugar, quando for lidar com o seu pai, se colocar no seu lugar de filho, quando for lidar com o seu filho, se colocar no seu lugar de pai. O mesmo deve ser feito com a mãe, com a filha, com os netos e avós.

Enquanto você não se curar das suas dores mais íntimas, essas dores se perpetuarão e se manifestarão em seus filhos na fase adulta, e se refletiram nos seus netos.

Se você tem problemas de relacionamentos com os seus filhos ou netos, busque se curar e olhar para si mesmo. Se pergunte: O que em mim está contribuindo para esse comportamento deles? Você é o grande lembra? Você precisa olhar para a sua família de origem e perceber o que, na sua criação, colaborou com a sua realidade atual esteja como está. E o que você pode fazer para mudar essa situação? O que te impede de ver os erros que você cometeu com seus filhos e netos e com a sua própria vida?

Cure tudo isso agora! Ou pelo menos, comece a se movimentar nesse sentido, você não é a (o) injustiçado, porque assim que você entender que tudo o que acontece na sua vida teve origem naqueles que te antescederam, você vai entender a necessidade do perdão, vai tirar o foco dos defeitos, das críticas e dos julgamentos que você fez ou faz àqueles que te antescederam, e vai buscar honrar as forças da sua anscestralidade.

Esse movimento de honra e perdão, vai reverberar no seu sistema familiar e vai refletir no comportamento dos seus filhos e netos também.

Mude você, pois a sua mudança positiva afetará todo o sistema familiar. Mas se a sua escolha for continuar depositando a responsabilidade naqueles que vieram depois, você vai colher as consequências dessa inversão. Mais dor e mais sofrimento se instalarão em sua família e em sua vida.

Acolha a sua responsabilidade na ordem familiar e entenda que você precisa curar a si mesmo para não adoecer os seus filhos!

“Quando as ordens do amor são restauradas na família, os indivíduos podem ir além da família. Então eles sentem a força da família vindo de trás deles. Quando a conexão na família é reconhecida, as responsabilidades são vistas e compartilhadas com clareza, os indivíduos se sentem aliviados. Agora eles podem seguir sua individualidade única sem serem sobrecarregados e pegos pelo que aconteceu antes deles.” ~ Bert Hellinger

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Iara Fonseca, jornalista, escritora, editora de conteúdo dos portais Resiliência Humana, Seu Amigo Guru, Homem na Prática. Criadora do Método de Autoexpansão. Para agendar uma SESSÃO DE AUTOEXPANSÃO com a Iara, mande um direct para @ESCRITORAIARAFONSECA

*Foto: INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA, SEU AMIGO GURU e HOMEM NA PRÁTICA. Neurocoaching e Mestre em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram @escritoraiarafonseca .