Algumas pessoas passam pelas nossas vidas para nos ensinar a não ser como elas.

Algumas pessoas passam pelas nossas vidas para nos ensinar a não ser como elas. Porque como disse Oscar Wilde, “algumas pessoas levam felicidade onde quer que vão; outras, a deixam quando vão embora”.

Ainda assim, obtemos um benefício de qualquer relacionamento, mesmo que seja fruto do mal-estar, pois nossas vivências nos trazem a possibilidade de administrar nossos sentimentos de outra forma.

Viktor Frankl escreveu que a vida é potencialmente significativa, pois podemos extrair significados até mesmo do sofrimento.

Portanto, mesmo que às vezes não encontremos o sentido de certos relacionamentos negativos, o fato é que nos trazem uma visão do mundo que desconhecíamos.

Isto, colocado de outra forma, significa que nos ensinam o que valorizamos e o que nos incomoda, traz mal-estar ou machuca. Em resumo, nos mostra uma faceta que não queremos desenvolver.

Ser testemunha de injustiças e sentir um grande mal-estar pelos gestos realizados por certas pessoas nos ajuda a refletir sobre nossos princípios e reforçar assim nossas crenças sobre o que é bom e o que é ruim.

A traição, a frieza, e a prepotência doem. Doem com intensidade. Às vezes o mais doloroso é, justamente, conhecer de verdade aquelas pessoas que cercaram você por um tempo.

Existem pessoas que você acaba conhecendo de verdade só quando elas já não precisam mais de você.

Quando isto acontece o luto nos faz repensar nossas prioridades e nossas próprias atitudes com relação aos outros. Por isso, às vezes passar por maus bocados no relacionamento nos torna pessoas melhores.

As dificuldades nos ajudam a valorizar outros sentimentos e nos apoiam em nosso crescimento. Isto requer uma grande elaboração interior própria que nos permita avançar para não ficarmos estancados no mal-estar, na culpa ou no ressentimento.

A vida é realmente curta para viver angustiado pelo que cada pessoa que nos rodeia nos faz ou deixa de fazer.

Por isso, a melhor decisão que podemos tomar é nos distanciarmos do negativismo de algumas pessoas e nos aproximarmos daqueles que nos fazem sentir bem.

Se você sente que precisa de ajuda para superar algumas pessoas, ou uma, me chame no direct @rhamuche, eu posso te ajudar.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.