Você descobriu que me ama tarde demais

Re Vieira

Deitados em nossa cama, o momento é propicio para o deleite, mas o coração sabe qual a penalidade por aproveitarmos do momento. Depois da nossa separação, passei por momentos de altos e baixos, mais momentos baixos.

– Me desculpe Roberto, mas não dá mais, você precisa ir embora, não há mais recomeços para nós.

Tive esta noite para saciar o prazer de nossos corpos, e com isso notei o quanto é fácil perder a noção do tempo quando estou ao seu lado, mas você precisa ir, e dessa vez sem recaídas por favor. A partir de amanhã irei cuidar de mim, e das feridas da minha alma, sejamos francos, ou pelo menos eu vou ser, a vida seguiu, e sem você eu me perdi, demorou para eu aceitar que você não faria mais parte da minha rotina. Até hoje ainda sonho com você, e o gosto amargo só me recorda nosso fim quando acordo, queria dizer que não sinto mais nada, que minha vida está mais organizada, eu tentei, juro que tentei, mas ainda sinto sua falta por aqui, e continuar com isso seria tóxico, e somente eu sairia machucada.

Tentei conhecer gente nova, mas não encontrei aquela velha segurança que encontrava com você, tentei conhecer lugares inusitados, mas não tinha mais para quem contar, você era o meu melhor ouvinte. Os planos do futuro? Amontoei todos e os coloquei em uma caixa de papelão, estão guardados juntamente com todos os meus sentimentos por você, e na caixa está escrito em vermelho: “PERIGO”, altamente letal. E toda vez que ouso reviver a nossa história pelo vitral das lembranças sou avisada de uma forma extremamente dolorosa que já é hora de seguir em frente. Quando sei de algo sobre sua vida penso em como eu gostaria de estar lá, fazer parte do seu presente e dividir tudo como fazíamos antes, sinto sua falta mesmo não querendo sentir.

Hoje tive que ir ao mercado, onde sempre íamos fazer as compras, nunca imaginei que encontraria você novamente naquelas proximidades. Mas, naquele trânsito maleável, o semáforo travou no vermelho e logo notei seu carro parando ao lado do meu, nossos olhos se cruzaram, minha vontade? Gritar, te mandar a merda, bater no seu carro. Pensei até em furar o sinal vermelho e ganhar uma multa, pelo menos assim eu chamaria a sua atenção.

O que eu fiz? Sorri e fingi que não o reconheci. Por que? Apenas fiz o mesmo que você fez antes para mim. Então descobri que é melhor fechar os olhos e fingir que não vimos nada, e tentar se convencer que não doeu tanto quanto ter que encarar novamente minha vida sem você por ali. Depois disso, me deparo com você na porta da minha casa dizendo que me ama, e que foi um erro ter me largado, desta vez eu me deixei levar pela emoção, permitir que você entrasse naquele instante, mas não posso aceita-lo em minha vida, não mais. Que essa despedida seja o marco para um novo capitulo pra mim. E pra você? Que te mostre a mulher que você perdeu. Vou sentir saudades, e talvez queira voltar, mas o que irá me impedir é a lembrança do rastro de destruição que você deixou ao me abandonar. Depois do sofrimento que passei, nada do que disser terá validade. Além do mais, estou conhecendo alguém melhor, eu mesma, e só vim aqui para ter certeza que posso superar sua falta. Estou pronta para viver uma vida nova. Vou deixar aqui nesta noite de amor o que poderíamos ter construído, mas que você abriu mão quando resolveu me amar tarde demais.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Re Vieira

Re Vieira, guria apaixonada pela vida, escorpiana formada em direito, amante das palavras, ama café, gente divertida e vinhos, sou aspirante a escritora, louca de intensidade e sobrenome, tenho 27 anos mas perco a maturidade diante de um sorvete com gomas de mascar, me convidem pra beber e viramos amigos de infância.


COMENTÁRIOS