Talvez eu ainda não te conheça, mas acredito que haja um fio invisível que nos une.

Tatielle Katluryn

“Esperar quer dizer: esperar ansiosamente conseguir algo que ainda não temos. Quem espera aquilo que está vendo? Entretanto, se precisamos continuar a esperar em Deus por algo que ainda não aconteceu, isso nos ensina a esperar com paciência.” (Romanos 8:24,25).

Eu te espero. Não sei se você já faz parte do meu grupo de amigos ou possa ser alguém próximo a minha família. Não sei se você já me olhou na rua e eu não te vi. Se você ficou me observando por alguns minutos e se perguntando quem seria aquela menina, e porque ela tinha ao mesmo tempo timidez e ousadia no semblante. Ou talvez seja eu que tenha te encarado, observado, questionado sobre a sua identidade.

Eu posso ter passado por você na rua e sem querer ter esbarrado em seu peito ao tropeçar na calçada. Quem sabe você não tenha me vendido algo em alguma loja ou possa estudar na mesma instituição que eu.


Todavia, apesar de todas as essas dúvidas eu ainda te espero. Espero por acreditar que haja um fio invisível que nos prenda e que esse fio um dia irá se enrolar no mesmo lugar, então a conexão será tão forte que saberemos que ali há algo especial, que não encontraríamos em nenhum outro lugar do mundo.

Por isso eu não espero como alguém que está em uma fila e sabe que a qualquer momento a sua vez irá chegar. Mas eu espero como se em todo rosto houvesse um pouco de você, e que em cada casal houvesse um pouco de nós dois.

Eu espero pedindo a Deus que não me deixe desviar do caminho que me levará até a união de nossos fios. Eu tenho medo de acreditar em ilusões, distrações e contos de fadas, e assim acabar perdendo a minha chance de ter você.

Por isso eu espero com medo de fazer algo errado e correr o risco de te perder sem ao saber quem seja você.

E por mais que metade de mim seja feita de insegurança eu ainda tenho esperanças. Eu ainda acredito que amanhã o dia amanhecerá mais bonito que o hoje e que talvez seja esse o nosso dia.

Mas eu espero sabendo que ansiedade, preocupação e precipitação só fazem mal a minha alma, e que Jesus me advertiu dizendo: “Se Deus cuida tão maravilhosamente das flores, que hoje estão aqui e amanhã já desaparecem, será que Ele não vai, com toda certeza, cuidar de vocês, gente de pequena fé?” (Mateus 6:30).

E que esse cuidado de Deus irá me manter em sanidade por mais que meu coração queira explodir e eu deseje que os destroços te alcancem para você sentir um pouco a dor da espera. Mas entendo que o ato de se preocupar não acrescenta nada, nenhum minuto sequer, a minha vida e ao nosso encontro, assim ficar presa a ansiedade só acarreta mais dor e tira um pouco da minha fé.

Porém, não é fácil todos os dias estar forte, feliz e sorridente. Não é fácil todos os dias acreditar em algo que não se vê sequer um vislumbre. É difícil manter a esperança e a fé queimando constantemente, pois têm momentos que a minha vontade é pegar um balde de lágrimas e apaga-las.


Porque têm horas que eu desacredito, que eu me olho no espelho e vejo alguém que você pode não gostar, uma pessoa que pode ser diferente demais dos sonhos que você tem e do tipo de menina que te atrai. E também tenho medo de você ser tão fora do que eu quero que irei te deixar passar e não irei tentar te conhecer melhor.

Viu como tenho muito o que pensar? Mas quando tudo isso me invade eu fecho os olhos, respiro fundo e solto o ar. Respiro fundo e solto o ar. Repito até me sentir um pouco mais leve e menos propensa a desistir de você. Porque têm situações que a melhor alternativa parece aquela que me pede para desistir de você e aceitar a solidão ou o primeiro que me dê atenção.

Entretanto, como poderei eu desistir? Não posso. Meus sonhos não deixam, minha fé não permite.

Eu tenho minhas recaídas e desânimo, meus momentos de carência e tristeza, mas se eu desistir as chances que existem vão se acabar de vez e isso não pode acontecer.

Preciso manter o fio preso ao meu coração na esperança de você não pegar uma tesoura e cortar o seu.

Preciso acreditar que você ora por mim, que também tem seus momentos de dúvida e propensão a desistência, mas que você não deixa de sonhar com o que teremos e que é isso que te mantem firme no nosso propósito. Acreditando que um dia a espera acaba, o encontro acontece, o amor é construído com base na confiança e que Deus irá dizer dos céus que valeu a pena todos os dias que aguardamos.

Mas eu sei que tudo isso pode parecer bobagem, estupidez e loucura para quem não acredita em nada disso, e que para eles não existe espera e sim correr atrás de qualquer pessoa que lhe pareça certa, porém eu não abro mão da espera e Deus está me ensinando a esperar com paciência.

Até breve.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Tatielle Katluryn

Tatielle Katluryn, florescida em 1996, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. E Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações tão ansiosos quanto o meu. É tão linda a forma que Ele me cuida enquanto me usa para fazer sua vontade e só tenho a agradecer por tamanho amor que me consertou sem eu merecer.


COMENTÁRIOS