SEM PACIÊNCIA PARA AMORES VAGOS

Resiliência Humana

Chega um momento na vida que a gente cansa de conhecer pessoas, cansa de criar expectativas e se frustrar depois. Vai perdendo a graça, dá preguiça descobrir alguém desde o início e começamos a querer algo sério. A maturidade bate à porta e deixa de lado a euforia adolescente que te faz se apaixonar perdidamente por quem não te deu nem, sequer, um sorriso sincero. A gente vai aprendendo a conviver, a reparar em toques, a identificar olhares e percebendo que não é todo mundo que merece nosso coraçãozinho de mão beijada.

Ando sem paciência para amores vagos, para aquele pessoalzinho que não vai até o fim do túnel e quer ver a luz no meio do caminho. Sem vontade de querer me doar a alguém que não se mostra transparente, que não demonstra o que sente e quer apenas trocar carinhos sem trocar sentimentos. Cansei de amores meia boca, de satisfazer a vontade do outro só para depois mendigar um amor falsificado em troca. Amores assim não me satisfazem mais, amores mortos emocionalmente não me matam mais por dentro.

Depois dos vinte a gente até tenta, mas não consegue entregar o coração. É tanta decepção acumulada que gera um receio danado, os caquinhos já foram colados tantas vezes que o coitadinho já nem vem embalado com uma faixa de “cuidado frágil” e sim com um aviso de “remonte se puder”. E é disso que eu falo quando digo que cansei de amores vagos, de amores que esperam tudo pronto. Ando com vontade de gente que vem com o objetivo vir e não com só o de querer receber.

Meu coração já não é mais inteirinho, a vida já me fez em pedacinhos milhões de vezes e nunca mais eu vou estar inteira para alguém. Por isso quero amores que entendam, que saibam que esse ser humano é peça usada pela imaturidade do conhecimento que se adquire quebrando a cara mil vezes. Quero amores reais, amores que abracem a alma ao invés de apenas o corpo. Gente que não só cole a pele na nossa, mas que una o que tem de especial lá dentro.

É, cansei de amores que não se importam em ser presença, que não se importam em se importar. Não estou mais para trocas ilimitadas de carinhos, estou para conversas longas de olhares e sorrisos profundos. Não tenho mais paciência para dividir cobertores e travesseiros sem que me toque internamente antes. Cansei de amores que vêm pra dividir, quero amores que chegam para somar. Amores que me acrescentem algo, não simplesmente mais uma preocupação no dia-a-dia.

Quero amores que não precisem de esforço algum para me fazer feliz, que seja natural. Ando totalmente sem paciência para gente que precisa de esforço para ser quem não é, cansei de pessoas que ainda não se descobriram querendo descobrir o outro. Estou numa fase onde eu quero alguém inteiro, não alguém pela metade. Não quero que me complete, quero que me acrescente.

Cansei de amores vagos, cansei de gente incompleta.

VIAGABRIELLE ROVEDA
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS