Seguir em frente não significa deixar de amar; na verdade seguir em frente é um ato de amor.

Caroline Misokane

Seguir em frente não significa deixar de amar; na verdade seguir em frente é um ato de amor.

É um ato de amor você vir a pessoa que você mais ama segurando a mão de outro alguém sorrindo enquanto você está destruída, mas ainda assim desejando de coração que ele seja feliz.

É um ato de amor conseguir reconhecer que a pessoa que você ama está melhor sem você e assim será daqui pra frente.

É um ato de amor ir embora quando a única coisa que você gostaria de fazer é ficar ao lado dele pra sempre.

Não é fácil dizer a você mesma “ele está bem sem mim e nem sequer se lembra da minha existência”.

E então você segue em frente, com os olhos cheios de lágrimas, os ombros pesados e um coração cheio de dor, mas você continua em frente.

Você continua caminhando pelos mesmos lugares que caminhava com ele, e talvez você até conheça alguém bacana no meio do caminho e dê a você uma chance de gostar desse alguém, mesmo sabendo que no seu coração vai sempre haver um espaço no formato da primeira letra do nome dele; mas a vida continua e o mundo não vai parar de girar pra esperar que você ao menos tente entender o que aconteceu.

Então você olha pra trás e o vê, e vê também que ele também precisa de você mas não vai dar o braço a torcer porque o orgulho é maior que a saudade, e aí você continua seguindo seu caminho fingindo que nada vê e nada ouve.

E isso dói. Mas é o que deve ser feito no final do dia.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Caroline Misokane
Brasileira de nascimento, japonesa de antepassados e criação. Descobri que escrever é um pedaço da minha alma assim que fui alfabetizada. Nasci para cuidar de almas feridas e dividir os pesos da vida com aqueles que me encontram no meio do caminho. Entre idas, vindas, um amor e uma canção, cartas são escritas e espalhadas por aí como sementes para florescer.Nas redes sociais: @carolmisokane

COMENTÁRIOS