PESQUISA REVELA: FILHOS SENTEM-SE TROCADOS POR SMARTPHONES

Resiliência Humana
Woman using phone and drinking coffee.

Vira e mexe é um tal de “mãe, olha o que sei fazer“. Daí que recentemente, uma pesquisa da AVG Technologies, empresa líder de segurança on-line, revelou que os filhos sentem-se trocados por smartphones.

Quero ressaltar alguns dados da pesquisa que me soaram assustadores, confira:

71% dos pais acreditam checar demais seu smartphone (87% dos filhos concordam);
58% acreditam que seus filhos passam mais tempo no celular do que eles (65% dos filhos concordam
29% afirmam não dar um bom exemplo em relação ao uso de dispositivos móveis (24% das crianças concordam)

Piores Hábitos

Se distrair enquanto conversam com os filhos – 65% (50% das crianças concordam que seus pais fazem isso);
Usam o smartphone ou tablet durante o jantar – 48% (28% das crianças concordam);
Usam o smartphone enquanto brincam com os filhos – 29% (33% das crianças concordam);

Usam o smartphone enquanto dirigem – 59% (32% das crianças concordam);
Mandam mensagens de texto para pessoas que estão na mesma casa – 40% (19% das crianças concordam, 47% também o fazem).
Desejos de mudança de hábito, de pais para filhos:

Que usem menos seus aparelhos móveis (17%)
Que passem mais tempo “real” com seus amigos (24%)
Que façam mais atividades educacionais on-line (18%)
Desejam saber mais sobre o que seus filhos fazem on-line (17%) (mais homens – 21% – do que mulheres – 11%)
21% % de crianças dizem que os pais passam mais tempo no seu celular do que com eles
56% das crianças dizem que confiscariam os dispositivos móveis dos pais se pudessem (54% disseram “celular da mãe” e 44% “celular do pai”)

Além de assustador, achei triste demais constatar tais evidências e perceber que me encaixo no grupo de mães que usam demais seu aparelho celular. Meu filho, que além de ter uma irmã mais nova em casa que demanda todo o tempo da sua mãe, ainda concorre com um celular o tempo livre da mãe.

Alarmante descobrir que as crianças se sentem desprezadas e trocadas por smartphone. Pior: que nós pais utilizamos o aparelho enquanto conversamos com os pequenos. Ou seja, não estamos de corpo e alma nas relações com os nossos filhos. Então o que estamos fazendo com o nosso tempo junto com eles?

E o que falar do hábito de ficar no celular enquanto dirigimos?! Além de não ser um bom exemplo, é perigosíssimo para várias famílias, afinal um acidente pode envolver muitas pessoas.

Obviamente, isso tudo reflete no comportamento das crianças. Não é de se estranhar que elas queiram fazer o mesmo, ocupar seu tempo com joguinhos no celular, videogame, ver TV compulsivamente, etc. O exemplo que damos sugere ocupar o tempo assim e se não mudarmos urgentemente nossos hábitos, estaremos comprometendo a educação de nossos filhos.

Percebemos a importância dos pais prestarem mais atenção no exemplo que estão dando aos seus filhos. Desde cedo é fundamental criar bons hábitos no uso da tecnologia, jamais substituindo o diálogo e as atividades off-line pelas on-line. Tony Anscombe, evangelizador de Tecnologia e executivo da AVG Technologies.

A tecnologia é maravilhosa, disso ninguém duvida. Hoje em dia você conversa, manda fotos, vídeos, áudios, interage com pessoas que estão muito longe de você. Mas ao mesmo tempo que aproxima as pessoas, a tecnologia também nos afasta. Nas mesas dos bares o que mais vemos são casais no aparelho de celular ao invés de conversar entre si. As relações foram transformadas. Ninguém se fala ao telefone, ninguém manda mais e-mails, quiça cartas, a comunicação se dá através de mensagens instantâneas. Ou seja, estamos vivendo uma nova realidade das relações profissionais, pessoais e, inclusive, familiares. Mas queremos cultivar as relações dentro do nosso lar apenas assim entre as pessoas que amamos?

Fiquei bem chocada com os resultados da pesquisa e me serviu como um alerta. Não é esse tipo de relação que quero ter com meu filho e nem essa educação que quero dar para ele. No entanto, podemos usar a tecnologia a nosso favor e no que diz assunto às crianças, é preciso ensiná-las a usar de forma segura e saudável. Cabe a nós pais orientarmos como fazer esse uso e dar bons exemplos. Já que precisamos viver nesse mundo de gente conectada, que seja fazendo uso inteligente e nos mantendo off-line quando necessário. 😉

Mariano Sumrell, diretor de MKT da AVG Brasil, explica sobre a pesquisa: a série de pesquisas Digital Diaries da AVG foi criada para entender os hábitos das famílias ao redor do globo quando o assunto é a tecnologia e auxiliá-las a fazer um uso mais seguro, privado e saudável de todos os recursos disponíveis.

FONTEBossa Mãe
COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS