O tempo não cura feridas é você que se cura com o tempo

Iara Fonseca

Um ditado popular diz que “o tempo cura tudo”, às vezes você apenas tem que deixar as páginas do calendário rolarem dia após dia, para que as feridas se curem sozinhas. No entanto, essa crença pode transmitir um equívoco: o de que não precisamos fazer nada para fechar essas feridas.

Na verdade não é assim.

Se não fizermos nada, se não aprendermos com a situação, é provável que a ferida se feche apenas superficialmente e ao menor toque será reaberta. Então, muitas vezes, quando pensamos que já superamos uma dificuldade e nós finalmente seguimos em frente, a dor retorna, e é tão intensa como no primeiro dia.

As feridas da alma são as que mais precisam de cuidados, não aquelas que outras pessoas nos causam.

Quando nos machucamos, nós sabemos que temos que limpar e curar a ferida. No entanto, pensamos que as feridas emocionais requerem menos cuidados. Não é assim. As feridas da alma também merecem atenção.

Temos problemas emocionais que surgem na infância e que não soubemos lidar com eles, fomos levando com a barriga e até hoje achamos que conseguimos cicatrizar, mas na verdade, eles estão expostos como uma fratura e a cada relacionamento que iniciamos eles surgem avassaladores.

Quem mais sofre com esses problemas da alma são as próprias pessoas e não aquelas com quem se relacionam, essas pessoas sofrem por não conseguir ajudar. É preciso encontrar alguém que realmente te ame para que esse amor seja a ponte que te leve para a superação dessas atitudes que estão, parece, tatuadas em você.

Muitas pessoas pensam que a solução está em se distanciar do problema que acham que tinham. Na verdade, pode até ser que o problema não era aquele e acabam se distanciando sem necessidade. Na maioria das vezes o problema está dentro de nós e não dá para fugir de nós mesmos, onde formos nós estaremos ali. Por isso é tão importante se conscientizar que é preciso trabalhar as dores internas.

As pessoas se incomodam demais com as atitudes das outras, se irritam, perdem a cabeça, quando na verdade não é o outro que está causando tudo isso, é essa maldita ferida que está aberta e o outro, coitado, não tem nada com isso.

Tem gente que deixa de viver um amor porque acha que aquela pessoa está atrapalhando seus planos, mas se ela for se entender a fundo, ela nem sabe quais são esses planos, e acaba descontando na outra pessoa a sua insatisfação com ela própria.

Temos que nos dar a oportunidade de aperfeiçoamento diário, e nos juntar a pessoas que também querem se melhorar, não podemos deixar as coisas esquecidas no tempo, temos que conversar para resolver e solucionar. Principalmente, temos que querer curar essas feridas que nem sabemos que temos.

Portanto, embora, muitas vezes, achemos apropriado retomar a rotina e tomar alguma distância psicológica do problema, em outros casos, a melhor maneira de lidar com a situação dolorosa é fazer uma pausa e buscar refletir sobre o que aconteceu, e dar a oportunidade de se entender, realmente.

Sorte daqueles que usam o tempo para se curar e não esperam o tempo curar suas feridas sozinho. O tempo é um aliado se quisermos realmente resolver nossos problemas internos. Agindo assim, conseguiremos ter relacionamentos lindos e felizes, porque não nos irritaremos com a outra pessoa, pelo contrario, faremos uma pausa e analisaremos o real motivo do nosso comportamento, para assim, viver feliz com o outro.

Mas primeiro de tudo, precisamos querer ser feliz com o outro. Independente do que aconteça.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!

COMENTÁRIOS