O NINHO E O VAZIO

Como psicóloga sempre gostei de olhar para a vida pensando-a em ciclos, fases ou etapas. Em cada fase de nossas vidas somos convidados a vencer alguns desafios para que possamos nos desenvolver física e emocionalmente.

Cada estágio de nossa vida nos traz aspectos positivos e negativos, ganhos e perdas,  isso faz parte do desenvolvimento. São esses desafios que nos tornam pessoas mais conscientes  de QUEM SOMOS e de COMO enfrentamos os obstáculos. São esses desafios que nos fazem amadurecer emocionalmente.

É interessante observar como nos preparamos para a chegada de um filho e como NÃO nos preparamos para a saída dos mesmos.

A saída dos filhos de casa é um momento natural, costuma gerar uma crise que faz parte do ciclo vital da família, assim como o nascimento, a adolescência, a maturidade, a menopausa e o envelhecimento. Não é necessariamente ruim, apenas uma mudança que deveria ser vivenciada com equilíbrio, mas, nem sempre é assim.

Durante anos preparamos nossos filhos para o mundo e, na verdade, esquecemos de nos preparar para esse momento. Essa falta de preparo pode levar mulheres e também homens a um misto de sentimentos ligados à dor, tristeza e um profundo vazio. Por vezes os pais, sentem-se destituídos do seu papel de mãe-pai, sendo que há uma maior tendência desse fenômeno entre as mulheres. Surgem questões como: “ E agora? O que faço? Já não sou tão necessário como era antes. Quando esses esses sentimentos não são devidamente elaborados, a pessoa poderá caminhar para um quadro depressivo, portanto, muita atenção!

A angústia de ver os filhos saindo do ninho pode muito bem ser compensada observando o voo deles para novas paisagens, novos relacionamentos, novos desafios profissionais.

Reconhecer que os filhos precisam voar com suas próprias asas é libertá-los e libertar-se. É esse movimento que fará a diferença na sua forma de sentir.

Nessa fase você poderá direcionar seus talentos e sua energia para algo novo, talvez projetos passados que nunca saíram do papel ou dos seus pensamentos. Se ocupar é muito importante, não se trata de preencher o vazio do ninho e sim cuidar do SEU ninho a partir de agora, nada substituirá a saída dos filhos, mas, é importante entender que uma etapa de sua vida foi concluída e uma nova etapa está começando, independente de sua idade.

Não tente ignorar o que está sentindo, isso poderá acarretar danos à sua saúde física e emocional. Aceitar as coisas como elas são, identificar seus sonhos, buscar um novo sentido para os seus dias e seu futuro, esse pode ser um caminho saudável.

O que você gosta de fazer?  Quais são os sonhos que ainda não realizou, à medida que priorizou seu papel de mãe-pai? Como está a relação com seu par? Vocês ainda se reconhecem?  Namoram?

Esse é o momento perfeito para que você  se dedique a novos projetos como por exemplo, uma atividade física, um voluntariado, uma nova formação, enfim, o que faz sentido para você? Busque novos caminhos, afinal…

O Ninho Vazio é o prenúncio de um novo nascimento!

COMPARTILHAR
Marcia Saiter
Busco através do meu trabalho cumprir minha missão de vida que é contribuir com as pessoas para que descubram suas potencialidades, suas capacidades, talentos e também limitações e, a partir daí, mais conscientes de si mesmas, possam aceitar-se incondicionalmente e cumprir sua missão no mundo. Email: [email protected]



COMENTÁRIOS