A incrível geração de mulheres que bebem cerveja

Resiliência Humana

As mulheres que bebem cerveja são as melhores. Hoje temos uma geração de mulheres independentes e que gostam de cerveja e ir para o bar. Que tipo você é?”

Nesses últimos dias temos ouvido falar a incrível geração de mulheres chatas, da geração de mulheres que são tudo o que os homens não querem, um blá blá blá pra cá, um mimimi pra lá, e eu só queria lembrar vocês da incrível geração de mulheres que bebem cerveja. Até porque acho um papo bem mais legal.

A incrível geração de mulheres que bebem cerveja está sem muitas preocupações de criar rótulos e estereótipos se são o tipo de mulher que os homens querem ou não, se estão sozinhas porque são chatas ou não. Aliás, estudos botequísticos apontam que a incrível geração de mulheres que bebem cerveja tende a ser menos chata.


As mulheres que bebem cerveja frequentam os botecos

Falam palavrão mas mesmo assim não deixam de ser educadas. Elas também passam mais tempo na sessão de bebidas do mercado do que na de produtos de limpeza. Algumas dessas mulheres têm ou pretendem encontrar um dia um companheiro que beba com elas, leve-a no bar, traga sua cerveja favorita. Mas isso não é seu objetivo de vida, porque se não tiver um macho para fazer isso com elas, elas farão igual, sozinha ou com as amigas.

E nessa incrível geração de mulheres que bebem cerveja, tem uma parcela de mulheres que merecem meu mais absoluto respeito e admiração: são as sommeliers, as mestras cervejeiras, as chefs que sabem combinar delícias gastronômicas com bebidas, as empreendedoras de cervejarias, mulheres que levam essa história de cerveja a sério, e muitas vezes ganham a vida com isso.

A geração de mulheres que bebem cerveja não tem tempo pro recalque

Nem pro sofrimento, para auto vitimização. Elas estão preocupadas em onde vai ser o happy hour, qual a promoção de cerveja que está rolando, qual loja encontrar aquela artesanal que tanto ama com o menor preço ou que destino das férias poderá lhe proporcionar boas experiências etílico-gastronômicas.

E o mais importante: elas não estão fazendo isso para sobressair em relação aos homens, para se equiparar, para se aparecer, ou qualquer outro rótulo que possa surgir. A incrível geração de mulheres que bebem cerveja faz isso porque gosta, porque quer, porque aprecia. É por elas mesmo, não por ninguém. Encontrar alguém legal para acompanhar isso tudo e acrescentar, é só uma coisa legal, que pode ou não acontecer, dependendo do desejo de cada uma dessas incríveis mulheres tão diferentes e tão maravilhosas.

Finalizando
Na boa? Ficar discutindo se a “geração” é um tipo que os homens querem ou não, se você é chata, se está solteira por opção ou está encalhada mesmo, é muito complicado. Afinal de contas nós, mulheres e homens, somos serzinhos bem complexos, e cada um viveu e vive uma experiência diferente da outra, pensa e sente coisas diferentes, tem medos, anseios, aspirações bem diferentes, e querer generalizar isso, me soa um pouco tolo.

Então, antes que esse assunto fique um pouco mais chato, deixa eu ali abrir minha cerveja que tá gelada já! Me acompanha?

FONTEPapo de Bar
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS