Ela parece fria e orgulhosa, mas no fundo tem um coração que pulsa e sofre!

Como é fácil e rápido julgar uma pessoa pela aparência, pela primeira impressão. É tão injusto ter apenas alguns minutos, às vezes em condições desfavoráveis e ser julgado, receber adjetivos que podem se tornar rótulos por um tempo considerável, até pelo menos termos outra chance, chance que muitas vezes pode não se concretizar e então o rótulo torna-se eterno, duro, implacável!

No palco da vida, temos que nos esforçar para aproveitar ao máximo, de maneira positiva, os quinze minutos de fama que nos é concedido em determinadas circunstâncias durante o nosso caminho. Devemos sempre pensar no resultado que queremos atingir, qual é o nosso objetivo, que impressão queremos deixar? A resposta será o input que precisamos para estudar a situação e pensar em como devemos agir. Não é fácil, algumas pessoas podem conseguir de forma natural, sem necessidade de preocupar-se com a situação; outras pessoas precisam de estudo, dedicação, definição de estratégia, a qual garantirá o resultado almejado. Descobrir isto pode levar tempo, exige maturidade, faz parte do aprendizado ter resultados frustrantes que nos impulsionarão para o sucesso.

Algumas pessoas são mais reservadas e sem perceber, demonstram frieza e orgulho, simplesmente porque não conseguem deixar a emoção se exteriorizar de forma escancarada para todos. Ela é assim!

Em seu interior há um “coração” que pulsa forte, queima, sangra e dói! Ela é pura emoção! Se solidariza com a situação das pessoas, muitas vezes guardando para si aquela palavra de conforto que ficou engasgada na garganta e não saiu… depois, vem o gosto amargo do arrependimento, mas como exteriorizar? Ela é assim e apenas os mais próximos e íntimos, aqueles em que a afinidade recíproca despontou e solidificou-se, a conhecem por inteiro.

Sim, ela chora ao assistir filmes, apresentações e até em comerciais de TV. Porém, no dia-a-dia ela é mais controlada, não se expressa tão aberta e facilmente. Talvez seja uma forma de manter-se protegida, por ser alguém que já sofreu demais… Mas por dentro, só ela sabe as batalhas pelas quais ela passa, como sente, sofre e se preocupa com os seus!

Ela queria mesmo é ver o mundo melhor, pessoas felizes e realizadas. Ela não tem raiva nem das pessoas com as quais já se desentendeu… ela entende perfeitamente que cada um tem sua própria batalha! Sabe que o problema nunca está fora, mas sim dentro de cada um!

Ela torce pela felicidade e realização alheias, não mede esforços para ajudar os seus, mesmo que seja “apenas” através de orações e mesmo que eles nem imaginem!

Ela ama por inteiro, sente, sofre e chora… por mais que, as vezes, as palavras saiam duras, no fundo é porque ela se importa demais! Ela age através de um coração pulsante que as vezes bate abafado, só para se auto-proteger…

E quantas iguais a ela você conhece?

COMPARTILHAR


Fabiana Dainese Mauch
Apesar de apaixonada por filosofia, psicologia e relações humanas, estudou e trabalha na área de exatas, encontrando na escrita uma forma de se aproximar de suas paixões. Ama pensar sobre a vida e o que podemos fazer para melhorar o mundo e a nós mesmos.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS