Como abordar mulheres sem ser nojento

Resiliência Humana

Com mais e mais mulheres falando abertamente sobre assédio nas ruas, um homem hétero pode ficar um pouco confuso sobre como se aproximar de uma mulher em um local público. “Quer dizer que as mulheres não gostam quando eu tiro seus fones de ouvido no metrô?” ele poderia perguntar. “E se eu ficar muito perto? Elas também não gostam? Não se pode nem falar com ninguém sem ser rotulado como predador sexual mais! Dane-se o Feminismo!”

Se você se comporta desse jeito, então sim. Você é um idiota e provavelmente não deveria falar com ninguém. Nunca mais. Mas vamos supor que você é apenas um cara legal que ainda não consegue entender a melhor maneira de falar com uma mulher desconhecida em um espaço público. É ok ter dúvidas. Namoro e paquera são, em geral, coisas difíceis de fazer e ainda mais complicadas quando você toma a iniciativa e se apresenta para alguém do nada. Mas adivinhem? É possível aproximar-se de uma mulher de uma forma respeitosa e lisonjeira, sem ofendê-la ou assustá-la com a possibilidade de você ser um tarado no metrô.

Quando a melhor abordagem não é óbvia, nem sempre é fácil de discernir o que é bom e o que não é. Pelo bem das relações humanas, aqui está um guia prático sobre como abordar uma mulher em várias situações.


Na rua

Vamos começar com o mais difícil. Digamos que você vê uma menina na rua que se parece exatamente com Amy Pond de Doctor Who [N.T. se você não a conhece, preencha com a moça bonita e cult de sua preferência] ou que está vestindo uma camiseta da sua banda de hardcore obscura dos anos 80 preferida. Você quer dizer “oi!”, claro, mas, primeiro tente descobrir se ela quer dizer “olá” para você ou para qualquer outra pessoa. Você pode achar impossível saber isso, mas as mulheres são seres humanos e, assim como outros seres humanos, mostram sinais quando querem ficar sozinhas. Ela está andando rápido? Não está fazendo contato visual com ninguém? Ela está prestando atenção na calçada ou no celular? Se a resposta for sim, então talvez você deva deixá-la ir, ela provavelmente não quer ser incomodada e você deve respeitá-la. Lembre-se, as únicas pessoas que te devem uma conversa são, na melhor das hipóteses, seu terapeuta ou seu advogado.

E se ela não esta caminhando rápido na direção oposta ou deliberadamente evitando olhar para as pessoas na rua? Então talvez não haja problema em aproximar-se (lembre-se, diferentes pessoas reagem às coisas de maneiras diferentes). O mais importante, como é o caso quando se aborda qualquer pessoa, é tratá-la como uma pessoa. Não faça sons de beijo para ela como se fosse um cachorro (nós mulheres geralmente odiamos isso), não imite o som que você acha que o bumbum dela faz quando anda (um “oi” é muito mais eficaz do que “badoombadoombadoom”) e não diga que ela seria mais bonita se sorrisse. Ela sabe a cara que está fazendo e não quer ninguém dizendo que ela deveria mudá-la.

Considerando isso, se aproximar de alguém na rua é complicado. Provavelmente você será dispensado, esteja preparado. Você interrompeu o dia de alguém, pura e simplesmente, então se responderem negativamente, a única coisa que você pode fazer é desculpar-se por incomodar (e fazê-lo rapidamente, sem ser dramático ou criar caso) e educadamente sair de seu caminho tão depressa quanto possível.

Além disso tudo, está escuro na rua? Se estiver, melhor nem tentar.

Em um café

Mais uma vez, preste atenção no que ela está fazendo. Ela está estudando? Digitando apressadamente em seu computador? Se estiver, ela é uma moça com um prazo a cumprir e, interrompendo-a, você corre o risco de ser um idiota. Se você não desistiu, então, o mais importante a fazer é não constrangê-la ou deixá-la desconfortável a ponto de sentir que precisa ir embora. Tente pegar uma mesa que não esteja diretamente em seu campo de visão, desta forma ela não vai precisar desviar o olhar para baixo caso dispense você. Tente se aproximar dela como se estivesse de saída, peça desculpas por interrompê-la (na verdade, a maioria das pessoas não se importa de ser incomodada se você, educadamente, reconhecer a possibilidade de que pode estar incomodando) e dê seu recado com gentileza e confiança. Se ela aceitar, ótimo! Daqui há alguns meses você pode estar discutindo sobre lugares à mesa para o seu casamento indie ou organizando um swingue na casa nova de vocês. Se ela disser que não, gentilmente responda com um “Ok, legal. Só pensei em perguntar.” E, em seguida, deixe-a sozinha.

Se é um lugar que ambos frequentam, muito melhor. Comece dizendo “oi”, aumente para um “tudo bom?” e estabeleça um relacionamento. Dessa forma, quando você convidá-la pra sair, ela vai ser muito mais inclinada a pensar em você como o cara legal do café, e não como o esquisito que sempre tenta interrompê-la enquanto ela lê “A Visita Cruel do Tempo”. Claro, ela ainda pode dizer não e, a menos que ela diga explicitamente o quanto quer sair contigo, batendo uma punheta para você no banheiro enquanto conversam, você tem que desencanar. E lembre-se: ela não é uma vaca. Ela apenas não está interessada.

No transporte público

Lembre-se que as mulheres lidam com o assédio sexual no transporte público o tempo todo. A maioria de nós fica muito atenta quando pega o trem ou ônibus, já que existe uma possibilidade maior de lidar com alguma merda. Não estamos sendo paranóicas ou defensivas quando não queremos falar com você. Estamos lembrando de ontem mesmo, quando alguém literalmente esfregou seu pau nu em nós (ah, segundas-feiras!). É fácil ficar na defensiva e dizer: “Bem, eu nunca faria isso”, mas tente se lembrar de que a maioria de nós não é vidente e não temos idéia do que você faria ou não. Meu ponto é que, se você está cantando meninas no metrô, espere levar um fora. A maioria de nós não gostaria de ser convidada pra sair estando em espaço fechado que é muitas vezes usado como banheiro. Uma vez um homem no trem comeu um frango inteiro, de luvas, sem tirar os olhos de mim. O transporte público não é um espaço seguro.


Mas talvez você viu a mulher dos seus sonhos e quer continuar assim mesmo. Se ela te olhar, educadamente sorria para ela. Ela sorri – e não um sorriso protocolar – de volta para você? Ela mantém abertamente o contato visual com você também? Como eu disse antes, as mulheres são pessoas. Se nós gostamos do que vemos, podemos enviar sinais por nós mesmas (geralmente piscamos muito e lambemos os lábios excessivamente, mas dizem que somos mais tímidas que isso).

Então, você decide ir em frente e falar com ela. Tente elogiando em algo que não seja físico ou sexual. É mais fácil do que você pensa: “tênis incrível.” Ou: “Isso é uma bolsa-carteiro antiga? Eu estou querendo uma, mas estou preocupado se as alças não vão machucar meus ombros.” (Se ela te deixar experimentar a bolsa, considere fugir com ela. Só porque você não é um pervertido, não significa que você não pode ser um ladrão). Se ela parece aberta à conversar, bata papo amigável e tranquilamente. Se ela não der abertura, sorria educadamente – mais uma vez, educadamente – e deixe-a sozinha. Metade das preocupações que as mulheres têm no metrô é que alguém se sinta no direito de sair nos chamando de vaca só porque não queremos ser incomodadas. Não seja esse alguém.

Ah, e por favor, não se aproxime de nós quando estamos lendo ou ouvindo música. Essas são coisas que fazemos para não sermos incomodadas. Metade das vezes os fones de ouvido que estamos usando não estão nem ligados.

Ela é garçonete em um restaurante

Eu trabalhei como garçonete em um restaurante por muitos anos e vi minhas colegas serem abordadas de várias formas diferentes, e alguns métodos sendo muito mais bem sucedidos do que outros. Se você acha que está realmente fazendo sucesso com a garçonete que te atende, pare e lembre-se que ela talvez não esteja tão na sua, quanto você está na dela. Embora, provavelmente, ela seja uma pessoa adorável na vida real, uma grande parte da renda dela (e de qualquer garçonete) é baseada na capacidade de fazer você e o resto da mesa gostarem dela. Ser legal com você e fazê-lo sentir-se bem-vindo é o seu trabalho.

Mas talvez você ache que as faíscas estão lá de qualquer maneira. Talvez ela tenha piscado com força, lambido os lábios como eu disse antes (a sério, as mulheres fazem isso o tempo todo). Se for esse o caso, e você quer convidá-la pra sair, vá em frente, mas faça isso apenas depois que a conta foi paga e ela já tiver recebido a gorjeta. É uma merda fazer uma mulher sentir que sua renda será determinada com base no fato dela querer ou não sair com alguém — mesmo se você esteja fazendo isso involuntariamente. Resolvendo isso antes, você dá a ela a chance de responder sinceramente. Se ela disser não, não leve para o lado pessoal. Como é sempre o caso com estranhos, você não sabe nada sobre sua vida. Ela poder ter um namorado, ela poder ser lésbica, ela pode simplesmente não estar interessada. Então, erga a cabeça, aja com respeito e siga em frente.

Se você está sentado ao lado dela em um avião

Não. Deixe-a em paz. A menos que nós estejamos no 777 da Rihanna ou a sua voz guarde o segredo do emagrecimento rápido, nós não queremos falar com você.

É claro que existem exceções para todos estes conselhos. Talvez seus avós se conheceram quando o seu avô apertou o seio da sua avó no meio da avenida da cidade. Talvez um de seus amigos conheceu a namorada quando ele a parou para perguntar o que ela estava lendo. Essas coisas podem acontecer. Além disso, pessoas diferentes gostam de coisas diferentes. Seguindo toda essa lista ainda pode acontecer que você ofenda alguém — porque todo mundo tem seus problemas.

Além disso, e eu sei que isso vai contra tudo o que a frenologia diz, mas as mulheres não são idiotas. Na verdade, muitas de nós são realmente muito boas em ler as pessoas. Se as mulheres sempre te respondem como se você fosse esquisito e assustador, então as chances são de que você está agindo como um sujeito esquisito e assustador. O problema é você. Por outro lado, se você fizer um esforço para ser educado, respeitar o nosso espaço e reconhecer que não te devemos nada (porque, oi, não devemos mesmo), então vamos entender assim também. Isso significa que nós vamos com certeza sair com você? Não, mas com certeza aumenta suas chances e isso faz de você muito menos idiota.

Muito longo? Nem leu? Seja educado e respeito o espaço dos outros. Fim.

________

Nota da tradutora

Não endosso tudo deste texto. Há algumas ideias que parecem bem radicais. Por exemplo, me parece perfeitamente educado se desculpar por interromper e perguntar o que uma pessoa está lendo — contanto que se esteja atento à possível falta de vontade de interagir da moça — e concordo com a autora, é fácil ver quando alguém não quer conversar. Mesma coisa com os aviões — acho que depende da sensibilidade de não insistir para não constranger.

Mas a ideia principal está clara: nós mulheres, mesmo as mais lindas e irresistíveis, temos o direito a não interagir, e se um cara pretende ser bacana e interessante para as mulheres de maneira geral, não é enchendo o saco de uma especificamente que ele vai conseguir isso. Se esta não estiver interessada, seja educado e aceite o fora sem constrangê-la. E se você for educado, pode ter certeza: desejamos muita boa sorte com as próximas. Sabe como é, algumas feministas são heterossexuais e até dão bola pra rapazes que as paqueram por aí.

FONTEBlogueiras Femininas
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS