Antes só do que meio acompanhado

Estela Meyer

Em casa, numa sexta à noite e a única companhia é um filme e um cobertor. Tem vezes que isso é ótimo. Tem outras que é deprimente. Eu sei que às vezes é difícil. Mas lembra aquele velha frase: ‘Antes só do que mal acompanhado’?
Sim, e antes só do que meio acompanhado também.

Antes só do que você se dedicando por inteiro pra alguém que nunca está. Antes só do que com alguém que no fundo, no fundo, não se importa de verdade.

Um relacionamento amoroso não se faz apenas com uma pessoa. Portanto, esteja atento aos sinais… Eles às vezes são sutis, mas estão ali, te mostrando que aquela pessoa para a qual você se dedica e seu coração palpita quando recebe uma nova mensagem, pode não ser exatamente aquela que vai estar com você quando você mais precisa.

Mensagens lidas e não respondidas, sumiços inexplicáveis, explicações rebuscadas e cheias de álibis… E sempre há uma desculpa, um porquê. É muito fácil dizer “eu te amo”. Qualquer um diz. Não se satisfaça apenas com isso. Demonstrações valem mais do que mil palavras. Não caia na armadilha de pensar que alguém vai mudar rapidamente. Ninguém muda assim do dia pra noite. As pessoas podem melhorar ou piorar em alguns aspectos. Mas geralmente, as mudanças radicais serão apenas superficiais e provisórias.

Amar por dois é pesado demais. Se dedicar por dois dá bastante trabalho. Será que vale mesmo a pena? Colocar todo o seu potencial em um relacionamento em que só um se doa? Se é pra se doar incondicionalmente, doe-se primeiro a você mesmo! Não aceite mais desculpas, meias palavras, ou palavra nenhuma.

Se for pra se dedicar a alguém, dedique-se para aquela pessoa que o veja, que saiba dos teus anseios, que te saiba quase de cor. Por alguém que ouça o que você fala, mas além disso, queira de verdade te ouvir, te compreender e que converse, que também fale dos seus anseios e que permita que você se aproxime, que participe. Se dedique por alguém que, por mais que te ache diferente, more no seu mundo de vez em quando. Coloque sua atenção para um relacionamento que pode ter sim seus altos e baixos, mas jamais por alguém que não faz a menor questão de se fazer presente. Ou se faz presente apenas quando lhe é conveniente.

Entenda: um relacionamento sem reciprocidade não é um relacionamento. Relacionamento é troca. É dar, mas também é receber. Isso a gente está careca de saber né!?

É perfeitamente compreensível que o outro não esteja sempre abastecido de alta disposição todos os dias. Todo mundo precisa de espaço. Mas quando isso se torna uma constante, cuidado, você pode estar simplesmente servindo a alguém que não dá a mínima se está te sugando.

E se já aconteceu, simplesmente não se culpe por ter se dedicado por alguém assim. Muito pelo contrário, perceba quanto amor há aí que foi suficiente para dois. Veja como você é um ser transbordante e como tal, não precisa de metades. Precisa de alguém que transborde com você. O amor bem alimentado vinga, cria raízes, cresce e dá lindas flores. Já o amor que vive de migalhas acaba morrendo de fome.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS