A amabilidade que destrói

É lógico que a maioria das pessoas prefere interagir com pessoas amáveis do que com alguém de caráter amargo e briguento. No entanto, algumas pessoas parecem se orgulhar de serem consideradas “pessoas de bom coração” ou aquelas que “têm mais amigos”. São amáveis, gentis e carinhosas.

A questão é: podemos ser gentis com todos, em todas as situações? Algumas pessoas interpretam mal essa amabilidade e abusam dos seus amigos. No extremo oposto, algumas pessoas consideradas gentis e amáveis não suportam uma desfeita.

Não descuide dos seus próprios interesses apenas para se dar bem com os outros. Não seja cruel consigo mesmo dizendo “sim”, quando seu sentimento quer dizer “não”. Não tente fazer os outros felizes o tempo todo enquanto você se sente um miserável.

Aprenda a dizer “não”

As pessoas muito ocupadas muitas vezes se sentem culpadas por não conseguirem fazer tudo o que desejam. Para se sentirem melhores, assumem as responsabilidades e os problemas alheios.

Não aceite pressão ou chantagem de ninguém. Muitas pessoas se aproveitam dos outros para alcançar seus objetivos. Encontre o equilíbrio entre ajudar e dizer não. Não é errado se recusar a fazer algo que não quer ou não pode. Só os aproveitadores gostam de pessoas que não sabem dizer “não”. Utilize o bom senso, perceba o que é melhor para você e diga “não” quando for necessário.

Não se sinta culpado e nem peça mil desculpas

Você é daqueles que se sente culpado por cuidar dos seus próprios interesses? Geralmente pede mil desculpas quando não pode retribuir um favor? Tente pensar em você. Se dessa vez não puder oferecer ajuda, pois tem algo importante para fazer, não se sinta culpado.

Embora pareça egoísta, seus interesses devem ser priorizados, desde que não prejudiquem ninguém. Valorize suas próprias necessidades. No início, aqueles que se acostumaram com o seu “sim” vão estranhar um pouco, mas depois passarão a respeitá-lo e deixarão de pedir favores dos quais você não possa se ocupar.

Você tem baixa autoestima?

É difícil aceitar, mas geralmente as pessoas com baixa autoestima são muito amáveis. Faça uma autoanálise: porque sou tão atenciosa com os outros? Será que estou buscando a aceitação alheia porque não confio em mim mesma?

A autoconfiança é essencial para viver a vida plenamente. Não deixe que as pessoas se aproveitem da sua bondade e nem faça tudo pelos outros. Esse é um passo importante para ser uma pessoa forte e segura de si.

Não é difícil deixar de ser “a pessoa mais legal do mundo”. Você tem o direito de recusar certas coisas. Confie em si mesmo, corrija pouco a pouco seu comportamento submisso e verá que o mundo seguirá seu curso lhe trazendo maiores benefícios.

É claro que precisamos de mais pessoas amáveis no mundo. Não mude sua tendência natural para ser uma pessoa agradável e gentil. A mudança só é necessária quando você se desvaloriza e compromete seus próprios interesses.

FONTEa mente é maravilhosa
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS