Estou sem tempo para pessoas fingidas. Por favor, não insista!

Parar, pesar e mandar para qualquer lugar longe de mim. Sem culpa alguma, se faz necessário deletar “coisas” que não nos acrescentam nada ou que venceram com o tempo. Coisas são diferentes de pessoas, e muitas pessoas não passam de coisas. Que me perdoe o bom humor, mas hoje não estou no meu melhor dia.

Chega de pessoas que batem no peito, fingem ser encantadoras, amáveis, e que não passam de aparências. Chega! Para tudo há um limite, há uma cota, um fim, e a minha paciência passou da conta.

Foi assim… comecei deletando e bloqueando pessoas da minha vida. Senti falta delas no começo, depois vieram outras mais interessantes e menos interessadas. Decidi me desprender dos tititis que não me levam a nada.

Deixei os blablablás para quem gosta de um inferninho e tem tempo para remoer “coisinhas”. Atualmente tenho gostado de mais de anonimatos do que de supérfluos.

Tantas pessoas supérfluas na vida, que não valem um tostão de simplicidade e bondade. São arrogantes sem medida e ainda batem no peito que são boas e piedosas. Destas quero distâncias, porque quem se julga muito santo, tem pacto com o “diabo”, se vestem de santidade e se despem em maldade. Não estão nem aí para outro e se puder ainda pisa no coitado.

Mandei mesmo para qualquer lugar, porque para ficar perto de mim, tem que ter pelo menos brilho de verdade no olhar. Não sou obrigada a aturar santo do pau oco. Quer bancar de santo, se colocar no altar? Tudo bem, porém que não venha com falta de tato, afeto e cuidado, porque se pintar de beato até é fácil, quero ver colocar em prática amar a DEUS e ao próximo como a si próprio.

Ama o próximo? Que bom! Então pare de falar mal dele por trás e de destratá-lo. Pare de arrogância e seja leve, pois não vale missa de domingo ou culto que salvará um coração de máscara e língua desenfreada.

Seja apenas amável, pois é melhor do que transmitir aparência de piedoso que se esconde em maldades. Não precisa rezar terço, cantar louvores, se você simplesmente não tem a capacidade de gostar e deixar para lá quem te causa raiva. Não adianta comungar a palavra, o CRISTO, se seus pensamentos são maldosos a ponto de querer o pior para o outro, fazer alguém chorar ou fazer o outro cair. Não existe altar para santo de fingimento, assim como não há aparências para uma vida toda, porque um dia tudo aparece, e alguém se revela um inferno.

Estou sem paciência com quem finge me apreciar. Estou sem piedade com quem finge ser amigo ou bom colega. Não estou suportando santos que não amam o próximo.

Não aguento mais fingir que suporto meio sorriso, bom dia ao acaso, cara de qualquer coisa, palavras gentis obrigadas… Então, deletei, arranquei do meu coração e mandei a m****, melhor assim do que mentir que está tudo muito bem.

Não sou obrigada a nada, bem sei. Então, estou preferindo pessoas com pitadas de bom humor, sorriso que aconchega e palavras que encantam, nada mais do que isso.

VIASimone Guerra
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS