Você não está perdido, você é apenas humano

Resiliência Humana

Você não está perdido, você é apenas humano!

Por Haley West

Se você acessa o Google e digita “se sentindo perdido”, obtém 2.390.000.000 resultados. Quase 2,4 bilhões de artigos, blogs, questionários e sites abordam o sentimento intensamente visceral de perda. Claramente, esse é um sentimento universal, mas, de alguma forma, quando acontece conosco, pensamos que somos os únicos a experimentá-lo.

Achamos que isso significa que estamos no caminho errado.

Quando nos sentimos perdidos no que fazemos, pensamos que escolhemos o caminho de carreira errado. Quando nos sentimos perdidos em nossos relacionamentos, achamos que escolhemos a pessoa errada. Quando nos sentimos perdidos em nossa espiritualidade, pensamos que pecamos e nos afastamos. Quando nos sentimos perdidos emocional ou mentalmente, pensamos que erramos em algum lugar ao longo do caminho.

Chamamos isso de nomes diferentes.

Se sentindo perdido. Preso. Estagnado. À deriva. Incerto. Em cima do muro. No Purgatório. Vagando no deserto.

Mas isso afeta a todos nós.

Na verdade, estou disposto a apostar que a maioria de nós se sente perdida mais do que parece que reunimos tudo. Eu espero ao menos.

De vez em quando, teremos uma epifania ou uma revelação. Por alguma intervenção divina, ouviremos a próxima resposta certa ou o próximo passo certo. Mas honestamente, com que frequência isso acontece? Raramente.

Veja, se nunca estamos perdidos, nunca no deserto, nunca estagnados, então nunca desenvolveremos a fé.

Nunca desenvolveremos a paciência.

Nunca cresceremos em humildade.

Pensaremos que temos tudo planejado e que estamos constantemente no caminho certo. Nunca perceberemos que não somos Deus. E, honestamente, quão cansativo isso seria.

Essa perda existe há milhares de anos.

Quando Moisés tirou os israelitas da escravidão no Egito, levaram zero minutos para que eles começassem a questionar tudo.

Eles viram o mar se dividir ao meio para que pudessem passar e ainda conversavam constantemente com Moisés sobre trazê-los para o deserto.

Eles sabiam que estavam deixando vidas de escravidão e viajando para a Terra Prometida, mas ainda eram muito chorosos, ingratos e cheios de dúvidas.

Eles constantemente diziam a Moisés: “Melhor você nos deixar no Egito do que nos trazer aqui para morrer.”

Durante todo o tempo, Deus está chovendo maná sobre suas cabeças, trazendo água da rocha e falando com Moisés em uma montanha e liderando-os por sinais no céu. Ainda assim, eles vagavam pelo deserto com uma sobrancelha levantada e o nariz no ar.

Temos uma memória curta, nós humanos. Nós também somos notavelmente auto-absorvidos.

Pensamos que somos os únicos que passam pelo que estamos passando, ou os únicos que passaram pelo que passamos.

Esquecemos todas as maneiras pelas quais tudo deu certo no passado e todas as maneiras que podem dar certo no futuro.

No momento em que as coisas não saem da maneira que pensamos, estamos prontos para abandonar o navio. Preferimos voltar à escravidão do que ver aonde o deserto nos leva.

E, mais do que qualquer outra coisa, tendemos a esquecer que Deus está no deserto.

Deus está no deserto.

Sim, você pode se sentir perdido, mas realmente não está perdido.

Você está vagando, sim, mas não está perdido. Você está exatamente onde deveria estar. E quem sabe, talvez quando tudo estiver dito e feito, você terá o privilégio de saber por que está vagando há tanto tempo.

Continue assistindo, esperando e ouvindo.

Como Glennon Doyle diz: “Basta fazer a próxima coisa certa”.

Você não está vagando sozinho.

Todo mundo ao seu redor já se sentiu perdido antes ou se sente perdido agora também.

Só porque você se sente preso ou estagnado ou incerto ou à deriva não significa que você está no caminho errado. Significa apenas que você é humano. Maravilhosamente humano, com toda a nossa impaciência e dúvidas. Maravilhosamente humano, e nunca sozinho.

*Via Thought Catalog. Tradução e adaptação REDAÇÃO Resiliência Humana.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia