Vai cuidar da sua vida! Sua crítica e sua inveja fazem a minha fama!

Andrea Pavlovitsch
vai-cuidar-da-sua-vida-sua-critica-e-sua-inveja-fazem-a-minha-fama

Vai cuidar da sua vida! Sua crítica e sua inveja fazem a minha fama!

Uma das coisas que a gente mais vê em frases prontas de Facebook e memes é o famoso “toma conta da sua vida” – geralmente acompanhado de um “sua inveja faz a minha fama”.

Beleza! Mas porque as pessoas têm essa obsessão em ficar mandando as pessoas tomarem conta da vida delas?

Por que ficamos incomodados com o fato de outras pessoas darem opiniões em nossa vida?

Pois é, aqui é mais profundo. Mas passa por uma mistura de medo da crítica, com o ato de criticar.

A fofoca, a maledicência, a falta de empatia. Ou seja, é mesmo complicado.

Por que parece ser mais agradável falar da vida da fulana do que resolver um problema pessoal meu – que pode estar se arrastando por anos?

Simples, porque no problema do outro não existe envolvimento emocional. Ou seja, eu consigo ser claro, racional e límpido nas minhas ideias quando eu penso que a minha amiga precisa parar de correr atrás do cara que a usa descaradamente, mas não consigo olhar para o meu casamento – que se arrasta pacientemente por anos, por exemplo.

Assim, é uma espécie de dissociação.

Falar da vida alheia é prazeroso porque nos dá uma sensação – obviamente falsa – de poder e controle.

Se eu der um “pitaco” e a pessoa considerar a minha opinião, eu sou importante. E para um monte de pessoas que não conseguem enxergar a própria importância, ser isso para alguém parece bem interessante.

O segundo ponto é o controle.

Se eu acho que o mundo deveria ser povoado de plantas – porque eu acho bonito, porque faz bem para o planeta ou porque sim – vou tentar influenciar o máximo de pessoas ao meu redor a pensar como eu, e criar o meu fictício mundo ideal – no caso, um mundo garden.

Então, se eu entrar na casa da minha filha e ver que ela deixou morrer o seu cacto, esse será um ponto de crítica.

Como assim você não vê o mundo como eu vejo?

Eu estou obviamente certa sobre as plantas serem legais.

Certa porque, cara pálida?

É só a sua pequena e limitada visão de mundo.

O controle também aparece nas relações de poder.

A casa da minha filha é impecável e parece que ela vive muito bem sem mim. Ou seja, eu não tenho mais tanto interesse ou importância para ela? Como assim? Espera aí, vamos arrumar uma coisa aqui para eu mostrar para ela quem é que manda!

Palhaçada.

Bom, resumindo, existem motivos para o prazer da crítica ao outro, mas, o principal é: que ponto (ou pontos) difíceis da minha vida eu não estou observando e cuidando para precisar achar isso nos outros?

Ai sim entra o “toma conta da sua vida”.

Assuma os seus problemas e as suas questões.

Entenda o que está errado, o que causa desconforto e simplesmente aceite que aquilo existe.

Perceba o quanto é difícil resolver algumas coisas na sua existência, coisas que, muitas vezes, são facilmente resolvidas pelos outros, até mesmo para ter empatia pelas questões alheias e, depois, de fato, cuide disso!

Cuide de você, vai fazer o que você gosta e mude.

Você vai perceber que, às vezes, só te falta mesmo é coragem.

*Foto de Courtney Cook no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Andrea Pavlovitsch
Terapeuta porque adora ajudar as pessoas a se entenderem. Escritora pelo mesmo motivo. Apaixonada por moda, dança, canto, fotografia e toda forma de arte. Adora pão de queijo e café com leite e não pretende mudar o mundo, mas, quem sabe, uma pequena parte da visão que temos dele. Espaço Terapêutico Andrea Pavlovitsch Av Dr. Eduardo Cothing, 2448A Vila Formosa - São Paulo - SP +55 (11) 3530 4856 +55 (11) 9.9343 9985 (Whatsapp) contato@andreapavlovitsch.com