Um ponto final pode ter diversos benefícios. Pode ser um recomeço, um respiro ou uma oportunidade

Juliana Manzato

Resolução da semana: não é para dar certo. Eu sabia, mas eu omiti. Você nunca fez isso? Duvido! Todas as vezes que você disse sim ,com a certeza de que a melhor opção era o não, você omitiu a sua vontade, sua verdade. Afinal, Um ponto final pode ter diversos benefícios. Pode ser um recomeço, um respiro ou uma oportunidade…

A gente insiste por não querer aceitar a verdade. Gostamos de cair em armadilhas e choramingar pelo feito, assim temos atenção e cuidado de quem nos cerca.

É louco isso, não é? A teoria da tristeza é maravilhosa! Tristeza e fundo do poço dão ibope.

Experimenta ser feliz. Experimenta ser real. Ninguém precisa de gente de verdade, as pessoas precisam viver a mentira.

As pessoas precisam acreditar que pode dar certo. Que o outro que inventou aquele ditado “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura” estava certo. Que insistir é sempre uma baita opção.

Não, não é. Insistir é retroceder. Insistir é machucar-se mais um pouco. É ter aquela péssima sensação de rejeição e fundo do poço.

A gente se frustra porque queria que desse certo, mas querer nem sempre é poder.

Um ponto final possui diversos benefícios, se você não olhar pelo ângulo de finalização.

Pense bem, pode ser um recomeço, um respiro, uma oportunidade. Pode significar tanto que praticar o apego não vai ajudar em nada.

Não é para dar certo. Não é para tentar fazer dar certo. Não é para mexer. Deixa no canto. Não mexe. Seu instinto não falha, sua teimosia sempre.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Juliana Manzato
Apaixonada por amor, cachorros, textos e coisas inspiradoras. Adora fotografia, mar, sol, doce de padaria, verão e olhar o céu azul. Faz da vida poesia e textos. Muitos textos! Sonhos? Vive deles