UM PEDIDO DE DESCULPAS SEM MUDANÇA É MERA TENTATIVA DE MANIPULAÇÃO!

Iara Fonseca
um-pedido-de-desculpas-sem-mudanca-e-mera-tentativa-de-manipulacao

UM PEDIDO DE DESCULPAS SEM MUDANÇA É MERA MANIPULAÇÃO!

Você deve conhecer algumas pessoas que vivem cometendo deslizes com os outros e que adoram fazer piadas de mal gosto a respeito do seu trabalho, da sua vida, ou tentam, sempre que podem, jogar areia nos seus sonhos.

Essas pessoas não fazem outra coisa na vida a não ser julgar os outros, e usam artimanhas para julgar de forma velada, com indiretas. São profissionais em criticar, e são também as primeiras a jogarem lenha na fogueira, ao invés de nos acolher e acalmar a situação.

Mas terei que dizer uma dura verdade: Elas só fazem o que fazem porque nós permitimos, e infelizmente, muitos de nós demoram para perceber que estão permitindo esse tipo de invasão porque acreditam que essas pessoas são suas “amigas”.

Quando finalmente percebemos o que está acontecendo e tentamos nos afastar, ardilosas que só elas, feito sanguessugas, aparecem desesperadas perguntando o que foi que aconteceu, e querem saber por que mudamos com elas, por que nos afastamos. Como se nada tivesse acontecido, como se nada elas tivessem feito.

A gente até se pergunta: Será que eu estou louca? Será mesmo que eu vi coisa onde não tinha? Mas quando a gente se conhece, a gente não cai mais nessas armadilhas, e a gente conseguem ver a verdadeira intenção dessas pessoas que, sabem exatamente o que fizeram porque é isso o que sempre fazem, mas são especialistas em dissimulação.

Elas se aproximam de pessoas “boazinhas” para sugarem a alegria de viver que elas transmitem, para se alimentarem da sua energia benfeitora. São conhecidas como “vampiros emocionais” porque para brilharem precisam sugar a luz dos outros.

Esses vampiros emocionais são aquelas pessoas que pedem desculpas o tempo todo, que precisam se justificar de todas as maneiras e, quando as desculpas não colam mais elas dizem: “Eu não falei por mal”, ou, “foi sem querer”, ou, “foi brincadeira”, ou continuam a tripudiar com um “cadê seu bom humor?”, dentre tantas outras frases prontas que elas adoram usar.

Será mesmo que não foi por mal?

Óbvio que, vez ou outra, falamos coisas sem pensar, mas só fazemos tal coisa quando estamos agindo inconscientemente. E quando passamos pela vida, inconscientes, falamos babozeira o tempo todo. Falar que não fez por mal justifica, mas não explica, porque o mal foi feito, portanto, falar que não foi por mal é mera manipulação!

Tem gente ainda que, quando é pega em flagrante, depositando seu veneno na vida alheia, ainda se altera, aumenta o tom de voz e adora repetir a frase: “Você sempre entende tudo errado”. “Não foi isso que eu quis dizer”.

Ouso dizer que essas pessoas que dizem que as entendemos errado ainda são piores do que as que dizem “Eu não falei por mal”, porque quem diz que você entendeu errado, além de te ofender, ainda te tira de burro.

Melhor seria se ela dissesse: “Eu não soube me expressar, deixa eu tentar encontrar melhores argumentos e colocar melhor as palavras para me fazer entender”.

O grande problema é que essas pessoas nem se entendem de fato e querem cobrar que a gente as entenda.

É complicado. E se você não as entende, elas saem por aí falando mal de você porque se tem uma coisa que elas sabem é julgar, nisso elas são boas pra kct.

Elas funcionam assim: Pra cada acontecimento um julgamento! É o lema delas. E depois não sabem explicar porque sofrem tanto.

Mas eu explico:

O julgamento cancela o amor e o amor é a única chave que abre as portas da felicidade nesse mundo.

Se você julga os outros o tempo todo, você não consegue ser feliz, você sofre, e você simplesmente não sente o amor verdadeiro, daí fica aí resmungando sem saber o motivo de todos os seus relacionamentos serem abusivos e infelizes.

Depois de algum tempo, que varia de pessoa pra pessoa, elas voltam com mil desculpas, dizem que não tinham a intenção de magoar nem ofender, e ao invés de se autorresponsabilizarem para aprenderem com a situação e mudarem de comportamento, elas continuam jogando a culpa em cima da gente.

Vê se você já ouviu essa: ‘Nossa, mas você é muito sensível, não pode falar nada que você já se ofende”.

Ou então querem inverter totalmente a história e tentam se colocar como vítima da situação:

“Eu estou passando por um momento tão difícil e você ainda briga comigo?”

Nessa frase existe uma clara tentativa de manipulação, onde a pessoa tenta te colocar contra a parede pra te fazer sentir mal por ter se ofendido com a ofensa dela.

Tenha a santa paciência!

É nessas horas que entendo as pessoas que preferem a solidão ou mesmo escolhem como melhor amigo um cachorro, porque como sabiamente diz Robson Hamuche, quando você está doente, desempregado, e triste ninguém quer saber de você, mas basta você se mostrar feliz, que essas pessoas se aproximam para tentar drenar a sua energia.

Eu já passei por essas situações inúmeras vezes e, com o autoconhecimento, me tornei um tanto quanto estranha para essas pessoas. Estranha porque aprendi a impor limites claros.

Muitas, acreditam piamente que a minha positividade é tóxica, ou que eu “faço tipo”, porque para elas, simplesmente, não é possível se sentir feliz sem ter um motivo, ou sem um prazer imediato.

Se eu acordo iluminada e sorrindo, se compartilho a minha luz é porque estou tentando fugir da realidade caótica dos dias.

Se eu ajudo outras pessoas com o conhecimento que adquiri ao longo dos anos é porque eu me “acho melhor do que os outros”.

Se eu me coloco a serviço com amor é porque eu “tenho interesses velados”.

Qualquer coisa que eu faça que as deixem admiradas e que as façam perguntar para si mesmas: “Como ela consegue?”, já é motivo para um julgamento carregado de maldade.

Elas não são capazes de agir desinteressadamente, então jugam aqueles que conseguem!

Elas não conseguem sentir o amor verdadeiro, então destilam seu ódio em cima daquelas pessoas que conseguem.

Elas não conseguem agir positivamente, então jogam fora o seu tempo e desperdiçam o tempo dos outros com suas reclamações e preocupações.

Essas pessoas são viciadas em problemas e sempre querem encontram mais um problema diante do problema.

A felicidade dos outros as incomoda e por isso, desmerecem as ações positivas daquelas pessoas que buscam ser a solução. Mas quando são pegas de “calça curta”, se justificam ou pedem desculpas esfarrapadas. Porém, meus amigos, fiquem cientes de uma coisa:

Só pedir desculpas sem uma mudança de comportamento efetiva não satisfaz aquele que já despertou para o que está por trás da verdadeira intenção da pessoa que julga.

Para mim, essas desculpas serão sempre meras tentativas de manipulação da verdade.

E quem manipula a verdade para obter benefícios próprios, simplesmente não merece a minha amizade.

Merece a sua?

Me conta se você conhece alguém assim?

Quero saber como você se sente ou se sentiu com tudo isso!

*SE VOCÊ TEM ALGUMA HISTÓRIA PARA CONTAR, ENVIE UM EMAIL COM A SUA HISTÓRIA E FOTOS DOS PERSONAGENS (SE POSSÍVEL) PARA – CONTEUDORESILIENCIA@GMAIL.COM – NÓS QUEREMOS PUBLICÁ-LA!
A SUA HISTÓRIA PODE INSPIRAR MUITAS PESSOAS!

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Iara Fonseca. Visite o Instagram da autora. Foto de Trevor Buntin no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.