Um hábito simples é capaz de elevar a sua inteligência emocional, segundo Oprah Winfrey’.

De todas as coisas que os leitores me dizem que desejam trabalhar este ano, o que ouço continuamente é desenvolver a sua inteligência emocional.

É por isso que compilei um e-book gratuito que intitulei “Improving Emotional Intelligence 2021”, que você pode baixar aqui. E é por isso que estou constantemente procurando por pequenas coisas práticas que as pessoas possam fazer para atingir esse objetivo.

Uma técnica simples é criar o hábito de examinar os significados literais de algumas das palavras e frases que usamos reflexivamente.

Você pode descobrir que algumas coisas que você diz frequentemente realmente implicam o oposto do que você pretende dizer, o que pode causar reações emocionais confusas.

Sei que isso pode se tornar estranho, então vamos direto para alguns exemplos que ilustrarão a diferença e, em seguida, explicarei com mais detalhes.

O exercício de hoje é sobre a diferença entre as respostas paralelas que usamos sem pensar e as respostas convergentes, que podem ser mais apropriadas se você deseja estimular avaliações e reações positivas de outra pessoa.

Vamos compilar alguns exemplos rápidos – frases simples – e depois vamos analisá-los.

Todas essas são respostas paralelas, justapostas a respostas convergentes:

“Eu entendo” versus “Ajude-me a entender”

“Eu sei como você se sente” versus “Estou ouvindo e ouço você dizer [X]”

“Estou bem aqui com você” versus “Quero estar lá para apoiá-lo”

Finalmente, vamos adicionar um exemplo contextual, apenas para torná-lo mais completo.

Suponha que um funcionário confesse que está tendo dificuldades para lidar com o trabalho durante a pandemia. Vamos imaginar duas maneiras de você responder:

Resposta paralela: “Eu também passei por momentos difíceis. Eu entendo exatamente.”

Resposta convergente: “Também passei por momentos difíceis. Conte-me mais sobre o que está acontecendo.”

Com esses exemplos em mãos, vamos nos aprofundar nas definições.

Crença e geometria

A empatia é um componente chave da inteligência emocional. E, como já escrevi, ao contrário da simpatia e da pena, alcançar a empatia é um processo que requer trabalho.

Além disso, pessoas emocionalmente inteligentes entendem que o simples fato de você claramente estar tentando alcançar empatia pode gerar mais empatia.

Com isso em mente:

Respostas paralelas são aquelas que sugerem que você acredita que seu processo de obtenção de empatia está completo, com base em algo mais que você trouxe para a interação (geralmente, experiências anteriores).

Respostas convergentes sugerem que você acredita que o processo de obtenção de empatia está incompleto, mas que deseja trabalhar para torná-lo completo (continuando a discussão e aprendendo mais sobre o ponto de vista da outra pessoa).

O problema potencial com a resposta paralela sobre a resposta convergente é duplo.

Primeiro, há o fato de que a outra pessoa provavelmente não vai acreditar que você realmente entendeu tão bem quanto está sugerindo.

Coloque-se na posição: imagine que você explicou um problema difícil a alguém que imediatamente responde: “Eu entendo totalmente” ou então “Sei exatamente como você se sente”.

Se houver alguma complexidade no que você tentou expressar, sua reação natural e emocional pode muito bem ser de descrença. (“Sério? Sou tão bom em explicar minhas circunstâncias que você imediatamente entende completamente?”)

A segunda metade do problema é um pouco menos concreta, mas vem da geometria: o fato de que duas coisas paralelas nunca se encontrarão de fato.

Justapor isso com a ideia de duas coisas que estão convergindo, o que sugere uma jornada do estar separado para o estar junto.

Oprah Winfrey

Devo reconhecer que o que realmente me fez pensar sobre isso profundamente foi assistir Oprah Winfrey entrevistando Meghan Markle e o Príncipe Harry.

Fiquei surpreso durante a entrevista que Winfrey nunca mencionou o fato de que foi ela, 25 anos atrás, quem entrevistou Sarah Ferguson pela primeira vez quando ela se divorciou do príncipe Andrew – uma entrevista que teve muitos paralelos óbvios.

Quão inteligente da parte dela, e que armadilha óbvia isso teria sido para muitos outros em sua posição. Na verdade, depois de olhar a transcrição da entrevista, Winfrey faz apenas três coisas ao longo das três horas:

1) Ela faz perguntas diretas;

2) Ela dá respostas como “Sim” e “Mm-hmm” que encorajam Meghan e mais tarde Harry tenta preencher o vazio;

3) Ela oferece afirmações factuais para fazê-los falar mais, e que caem diretamente nesta rubrica de resposta convergente;

Estou apenas usando o Winfrey como um grande exemplo recente, é claro, mas esse tipo de exercício vale a pena, não importa em que tipo de interação você está pensando: recrutar e entrevistar funcionários em potencial, conversar com clientes, liderar uma equipe, ou mesmo apenas pensando nas interações que você tem em sua vida pessoal.

Não é sobre ser legal

Acho que algumas pessoas confundem inteligência emocional e empatia com o sentimento geral de ser apenas uma pessoa melhor. Isso é um erro.

Ser “legal” ou carismático é um subproduto maravilhoso e positivo de melhorar a inteligência emocional em um contexto de negócios, mas não é o objetivo.

Considere o exemplo de conversar com um funcionário que passou por momentos difíceis durante a pandemia, por exemplo.

Como ser humano, você gostaria de ser solidário, empático – legal. Mas, como chefe, você tem o objetivo adicional de ajudar essa pessoa a melhorar seu desempenho no trabalho e ajudar sua organização a ter sucesso. E esses tipos de técnicas podem ajudar.

Porque o chefe que usa uma resposta paralela (“Eu entendo, todos nós passamos por momentos difíceis”), mesmo quando ele ou ela pretende sugerir empatia, pode fazer outra coisa por acidente – correndo o risco de provocar uma negativa não intencional reação emocional, e fechando as informações valiosas que de outra forma estavam prestes a ouvir.

Escolha suas palavras

Suspeito que alguns possam ter problemas com um ou dois dos meus exemplos específicos. Isso é bom; por falar nisso, admito que às vezes uso algumas dessas frases e sou o cara que está escrevendo o artigo para sugerir que você não deveria.

Mas às vezes as exceções confirmam a regra.

Às vezes, você pode realmente alcançar uma empatia maior mais rápido do que algumas dessas frases sugerem.

Às vezes, há outros fatores que não estou levando em consideração – talvez um relacionamento passado longo e muitas experiências compartilhadas – que podem transformar uma resposta paralela em uma convergente.

Além disso, às vezes simplesmente cometemos erros.

É por isso que o hábito não consiste especificamente em apenas escolher e memorizar uma frase em vez de outra.

Em vez disso, trata-se de fazer um esforço para pensar sobre as frases que você usa automaticamente e avaliar se elas estão realmente alcançando os efeitos emocionais pretendidos.

Trabalhe isso nos próximos tempos e você verá que os seus relacionamentos irão melhorar em 2021.

Tente não dizer ao outro que você o compreende totalmente porque isso é impossível, diga que você respeita a forma como ele se sente e que gostaria de saber como ele espera que você o ajude. Não tente impor ao outro o que você considera ser a melhor forma de ajudá-lo. Só o outro sabe como gostaria de ser ajudado. Talvez a sua intenção é a melhor, mas o seu ato e as suas palavras podem colocar tudo a perder.

Por isso, crie o hábito de perguntar “como eu posso te ajudar?”. E espere que o outro diga como você deveria agir e o que ele gostaria de ouvir de você. Não é sobre agradar o outro, ou “passar a mão na cabeça”, é sobre ajudar afetivamente e efetivamente, e não apenas ajudar para se sentir superior.

Entende?

Conte pra gente o que você entendeu sobre tudo isso, nós precisamos saber se o conteúdo do artigo conseguiu esclarecer todos os pontos. Só assim saberemos se o conteúdo foi importante pra você.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações INC. *Getthy Imagens

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia