Tudo seria melhor se a gente aprendesse a falar mais uns com os outros do que uns dos outros!

Você já deve ter ouvido aquela frase: “Falem bem ou mal, mas falem de mim!”. Essa frase é nitidamente a voz do ego nos dizendo: “Quero ser o centro das atenções, não importa como!”.

Quando permitimos que o ego controle as nossas vidas, as nossas ações, falas, emoções e sentimentos, ficam comprometidas, porque estão cheias de julgamentos.

Acabamos escondendo o que verdadeiramente pensamos, e escolhemos palavras que vão agradar os ouvidos de quem ouve, mas que não correspondem aquilo que, de fato, pensamos e sentimos.

Porém, quanto mais alimentamos essas mentiras, mais sentimos a necessidade de expor a verdade do que pensamos e sentimos para outras pessoas, e não, para aquele que é o alvo das nossas reclamações.

É nesse momento que nascem as fofocas e criam-se as inimizades.

A pessoa controlada pelo ego passa a falar mal de uma pessoa aqui, de outra li, mas nunca tem a coragem de falar o que pensa e sente para aquele que ela julga. Ela sempre acaba falando pelas costas, nunca cara a cara.

Esse medo de encarar de frente a pessoa de quem se está falando, é o inconsciente avisando que, essa, não é uma atitude honesta. Mas poucas pessoas conseguem entender as mensagens subliminares da alma.

Toda vez que uma pessoa fala mal de alguém, o mal se revela nela mesma.

A pessoa se sente esgotada, cansada, desanimada, e não sabe o que está causando toda essa angustia e frustração. A verdade é que ela pode não saber conscientemente, mas a alma dela sabe o que ela está fazendo de errado. p

Com isso, começa a aflorar nela, sensações desconfortávei, para que ela busque compreender mais profundamente o que está causando tanta angustia, quais comportamentos, pensamentos e sentimentos estão gerando todo esse mal-estar.

No entando, existe um caminho certeiro para que tudo se alinhe e para que essa pessoa volte a se sentir bem com ela mesma. Basta que ela passe a falar menos dos outros e mais com os outros.

Precisamos aprender a falar sobre o que nos aflige, sobre os nossos sentimentos, emoções e pensamentos, sem que seja preciso, falar mal dos outros.

Esse movimento vai te ajudar a te libertar do cativeiro que a maledicência te prendeu.

Se você não consegue parar de julgar os outros e possui o hábito de fazer fofocas, você, com certeza deve estar em estado de sofrimento. Procure ajuda profissional para se libertar desse comportamento noscivo. Me chame no direct @rhamuche, eu posso te ajudar!

*DA REDAÇÃO RH. *DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

*Foto: ISTOCK

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.