Todo mundo precisa de colo, mas se ninguém lhe oferecer colo, deixe que Deus Pai lhe dê colo, porque Ele ama você

Todo mundo precisa de colo. E tudo bem precisar de colo, entregar os pontos e dizer “preciso de ajuda”.

Janda Barros

Tudo bem precisar de colo, entregar os pontos, dizer “desisto, não consigo lidar com isso, está difícil para mim, preciso de ajuda”. O problema é que, desde pequenos, ouvimos: “você tem de ser forte.” E nos sentimos completamente perdidos quando “somos fracos”. Para ajudar, estamos vivendo uma era de felicidade a todo custo, em que todos, em suas redes sociais, escondem as próprias fragilidades – expõem muitos sorrisos em feeds e escondem os nós na garganta. Por que, quando nos mostramos sensíveis e frágeis, somos rotulados? O que acontece quando você não consegue ser feliz todos os dias ou gerir os próprios sentimentos?

Todos, em algum momento, só necessitam de um colo, seja você o maior executivo, o melhor coaching, o mais alta performance, o melhor palestrante, o maior dos maiores, o mais rico, o mais espiritualizado, mãe, pai, avó, avô, tio, tia, amigo, amiga, esposo, esposa, filho, filha. Todo mundo precisa de colo, em algum momento da vida, e isso não nos faz fracos ou frágeis, aceitar isso e entender as nossas vulnerabilidades, com amor e zelo, fazem de nós pessoas fortes e corajosas.

Em um mundo até cruel com quem demonstra fraquezas, frequentemente temos de forjar alegria que, às vezes, não existe, afinal de contas, precisamos estar bem e dar conta de tudo, precisamos ser felizes a todo momento e a qualquer custo, pois, se não estamos felizes, estamos em depressão, doentes ou não temos fé. O que vão dizer, se nos virem fragilizados?

Eu quero lhe dizer hoje – e tenho dito a mim mesma – que tudo bem precisar de colo, tudo bem não ser forte o tempo todo.

Tudo bem não saber lidar com as nossas emoções, tudo bem ser vulnerável, tudo bem não estar bem sempre, tudo bem se sentir frágil, tudo bem demonstrar suas fraquezas, tudo bem chorar, tudo bem não estar bem todos os dias.

Falamos de amor ao próximo, mas estamos sempre prontos a julgar quem não consegue lidar com as suas questões internas ou quem se demonstra frágil e vulnerável. Acredito que a pessoa que julga, no fundo, não consegue nem sequer lidar ou aceitar as próprias fraquezas e dores, e talvez seja esta a que mais precisa de colo.

Aceitar as nossas fraquezas e olhar para elas, eis o maior ato de amor por si mesmo. Às vezes, não queremos alguém que nos diga a razão das coisas, queremos apenas alguém que nos estenda a mão e nos dê colo. Não se sinta menos por se sentir frágil, por, em determinados momentos, não conseguir dar conta nem lidar com o que acontece dentro de você.

Respeite seus dias de fragilidade

O problema é que queremos sempre mascarar as nossas fraquezas, afinal de contas, o que os outros vão falar, se nos virem fracos? Ah os outros…

O ser humano não tem um botão onde se liga ou desliga, e pode definir as suas emoções. Vivemos cercados por estímulos, pelo que acontece ao nosso redor, e quando esses estímulos são positivos, estamos bem, mas quando são negativos, é normal termos dias ruins, e tudo bem. Estamos aqui nos capacitando para aprender a lidar com as adversidades, mas há dias que não conseguimos, e tudo bem.

Respeite seu processo, seja mais paciente consigo mesmo, chore, sim, não tenha vergonha de chorar. Somos feitos de espírito, alma e carne. Somos humanos. Se fosse diferente, Deus já nos tinha feito espíritos para glorificar o Seu santo Nome, e não precisaríamos aqui estar, mas Ele nos fez carne, cheios de sentimentos e emoções, e com uma grande certeza, eu lhe digo: Ele fez Seu único filho homem, e este mesmo homem, Jesus, teve dias de profundos desafios e angústias.

Se Jesus Cristo, filho de Deus, que vivia em comunhão com Deus Pai, teve seu dias difíceis, por que nós nos cobramos tanto e somos extremamente julgados ou julgamos quem passa por momentos difíceis? Pergunto-lhe ainda: até quando seremos tão egocêntricos, tão julgadores de situações que, talvez para você não sejam importantes, mas para o seu próximo, sim? Paremos de olhar as fraquezas do outro comparando-as com as nossas.

Tenho tido uma certeza muito grande: é quando estamos diante das fragilidades alheias que o Senhor pesa o quanto conseguimos amar, auxiliar, ser empáticos e não estamos julgando o nosso próximo, muito menos esperando-o cair para dizer que a fé dele é fraca ou que depressão é frescura, ou até mesmo falta de Deus.

“Quando sou fraco, então é que sou forte.”

O apóstolo Paulo nos alerta sobre as nossas fraquezas na Bíblia, em 2 Coríntios 12:9-10: “Então ele me disse: ‘A minha graça é o que basta para você, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza.’ De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Por isso, sinto prazer nas fraquezas, nos insultos, nas privações, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então é que sou forte.”

Deus quer nos dizer que é na nossa fraqueza que somos fortes. Às vezes, Ele nos permite algumas situações para que possamos desenvolver certos atributos dentro de nós, os quais são provocados somente por meio do sofrimento.

Não tema as suas fraquezas; há um propósito na dor, pois é na nossa fraqueza que reside nossa força. Aquele que vive a dor da cruz compreende a dor da cruz do outro.

Ame, ouça, seja colo para alguém. Não julgue, respeite o processo e principalmente a fraqueza de cada um.

E, se ninguém lhe oferecer colo, deixe que Deus Pai lhe dê colo e tudo mais que Ele deseja, porque Ele ama você.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Janda Barros
Sou Coach Integral Sistêmico, busca ser cada dia a melhor versão de si mesma. Ama pessoas, estudar comportamentos e crenças, pensa que viemos pra esse mundo pra sermos melhor a cada dia, pra nos e para as pessoas a nossa volta. Acredita no seu proposito e leva isso como uma missão de vida. Faço palestras voltada para o publico feminino, e coaching life voltado para mulheres e relacionamentos. Minha frase é Seja você o amor da sua vida!