Tem gente que é viciada em aprovação alheia e vive uma vida de mentira!

Iara Fonseca
tem-gente-que-e-viciada-em-aprovacao-alheia-e-vive-uma-vida-de-mentira

Tem gente que é viciada em aprovação alheia e vive uma vida de mentira!Quando a gente se liberta da necessidade da aprovação alheia e para de brigar com a realidade a gente começa a prosperar com a vida!

Tem muita gente viciada em aprovação alheia!

Esse vício acaba fazendo a gente dar muitas voltas e voltamos sempre para o mesmo lugar. Sabe como é, tentamos nos adequar, tentamos agradar, e nessa tentativa constante, a gente se cansa, e se perde de quem a gente realmente é.

Perdidos, o dinheiro não nos encontra, e vagando sem nenhum plano em vista, vamos sendo levados pelo destino que mata os nossos sonhos pouco a pouco.

Eu costumo observar a natureza para estudar a prosperidade. E quando o vento bate nas árvores, eu consigo escutar os galhos secos caindo, e minha atenção se volta para os galhos que resistem a força que a ventania traz!

Quando não conseguimos prosperar na vida é um sinal de que somos esses galhos secos!

Nós secamos quando não estamos vivendo de acordo com a nossa essência, e ficamos querendo, desejando, ser outra coisa, que não é nem um pouco o que realmente somos.

A gente simplesmente deixa de ser quem somos, deixa de oferecer o nosso melhor porque nem sabemos quais são os nossos talentos, e passamos a fazer apenas aquilo (que a gente pensa) que dá para fazer!

Se a nossa motivação em ganhar dinheiro está gerando resultados negativos é porque estamos encarando esses resultados como fracassos e não como feedbacks. Os feedbacks, se acolhidos com amor, podem nutrir as nossas raízes!

Raízes secas nunca darão bons frutos! É preciso rega constante, atenção, cuidado, amor, dedicação, paciência… para aproveitar o tempo de crescer, e esperar o tempo de colher.

Mesmo que exista dinheiro, não haverá prosperidade, e muito menos, felicidade, se alguns galhos estiverem secos!

Para prosperar não é necessário sair em disparada, numa corrida desleal, competindo com o outro. É preciso muito mais do que uma mera análise comparativa!

Precisamos, pelo contrário, passear lentamente, mas com passos firmes, curtindo a paisagem e a jornada, mudando rotas, mas nunca o objetivo, e nos agarrando nesses 5 pilares:

O primeiro pilar é a motivação, o querer ser rico, mas não rico de dinheiro apenas, rico em essência, em vontade, em paixão, em guiança interior, para que possamos nos colocar à prova, nos jogar nos desafios, deixando de encará-los como problemas. É preciso querer desenvolver algo bom, não só para nós mesmos, mas para o mundo!

Ter um propósito que te inspira, e te motiva a ir além, encanta com significado a sua vida!

O segundo pilar é o talento, que está também alicerçado a paixão! Essa paixão te colocará no lugar certo e na hora certa, sabe, no seu devido lugar, não no lugar do outro.

Você não fará tudo por dinheiro, pelo contrário, o dinheiro que fará tudo por você, porque você não fará nada motivado por ele, e sim, por uma forte paixão.

Você gerará prosperidade ao mundo fazendo aquilo que ama, aquilo que te faz avançar, aquilo que te realiza e te completa! Aquilo que você faz naturalmente, fácil, rápido, e entrega um resultado quase que perfeito.

E isso tudo que te faz prosperar é a sua força interior, tudo que vem do seu ser único, que é criativo e tem o poder de criar abundância através dos seus talentos natos!

Quando você descobre os seus talentos, você melhora tudo o que toca, e não se sente motivado a ostentar, apenas gera abundância no mundo com naturalidade e disciplina, se aliando a sinergia da vida!

O terceiro pilar é a coerência e a consistência que caminham juntas, indicando sempre o “para que” estamos realizando tudo o que fazemos.

Esse “para que”, impede que desistamos depois de dar o primeiro passo!

Como desenha o livro “Só é Pobre quem Quer”, de Sharon L Lether e Greg S. Reid, “não devemos desistir a dois passos do ouro”.

Para prosperar precisamos reduzir as nossas ilusões a pó, e triturar os nossos sonhos mesquinhos, dando referencia ao incrível Cartola.

Precisamos aprender a usar as ferramentas que temos, criar uma rede de apoio, e formar parcerias poderosas, onde nos associamos a quem faz melhor, aquilo que não fazemos tão bem. Ou seja, devemos fazer uniões colaborativas.

O quarto pilar é deixar brilhar a sua identidade! O que seria isso?

É você simplesmente deixar de se comparar com os outros!

Deixar de buscar a aprovação alheia, e começar a criar abundância em cima daquilo tudo que você é!

É quando você para de brigar com a realidade, para de tentar ter, e começa a, de fato, a ser tudo o que se é.

Quando tentamos imitar alguém ou enriquecer as custas dos outros, ou viver com o dinheiro alheio, ou nos esforçamos para adquirir habilidades focando nos nossos pontos fracos, nós vivemos batendo cabeça por aí! E quando ficamos “batendo cabeça” não contabilizamos as perdas e não ressignificamos os resultados negativos, a nossa árvore enfraquece, e as nossas folhas começam a cair dando sinal de que estamos mal nutridos!

Nossos galhos secam sinalizando que estamos perdendo a nossa força vital! É nesse momento que adoecemos, ou então, vivemos conflitos de toda e qualquer natureza!

O quinto pilar é a autorresponsabilidade. É o entendimento de que a nossa falta de recursos não é culpa de ninguém, nem do chefe, nem dos pais, nem da vida, e muito menos de Deus, praga, ou vidas passadas!

Quem me conhece sabe o quanto sou conectada com a espiritualidade mas, nesse momento, devo dizer que algumas religiões acabam minando a nossa certeza de merecimento com crenças enraizadas em votos de pobreza!

Não, não somos pecadores desalmados e não merecemos sofrer!

Somos seres de luz, mas vivemos mergulhados em sombras constantes, e precisamos aprender a nos iluminar para depois iluminar tudo a nossa volta!

E como fazemos isso?

Nos responsabilizando por tudo!

“Ah, mas é muito difícil fazer isso Iara!”, “como eu posso me responsabilizar por uma tragédia que se abateu sobre a minha vida e a de meus entes queridos?”, “como eu posso deixar de culpar os outros quando está claro que eles têm culpa?”.

Eu te pergunto: Você realmente quer prosperar, ou a sua vontade é apenas reclamar?

Primeiro, não existem culpados, existem pessoas que possuem comportamentos inadequados, e esses comportamentos, resultam em resultados negativos para elas e para quem convive com elas!

Quando olhamos o outro e percebemos que um determinado comportamento que ele está tendo, está o prejudicando e nos prejudicando de tabela, temos total liberdade de colocar a ele como nos sentimos, mas não podemos força-lo a enxergar o mundo com os nossos óculos!

Como não podemos forçar a rosa a ser margarida retirando os seus espinhos.

Nós só podemos nos prevenir com atenção para não nos ferir neles.

Com as pessoas a nossa volta devemos fazer o mesmo, olhar apenas para a beleza que elas geram, para o perfume que elas exalam e nos proteger, com cuidado, quando formos toca-las, porque tal como as rosas, as pessoas são muito muito frágeis, e suas pétalas podem cair com um pequeno toque brusco que oferecemos a elas na tentativa de nos apropriar da beleza que possuem ou de suas vidas!

Onde mora a prosperidade na autorresponsabilidade?

Quando nos responsabilizamos pela nossa própria vida, nós entendemos que o dinheiro não vem por sorte, ou porque estamos predestinados a ele! O dinheiro vem quando deixamos de julgar esse dinheiro como algo que pode nos levar a uma perdição, ou que só alguns podem ser!

Usarei uma metáfora para entendermos melhor:

O sol não decide que vai brilhar só um pouquinho! A planta não escolhe dar apenas alguns frutos!

O sol brilha para todos, mas muitos preferem a noite escura dos pensamentos sombrios!

A planta deseja dar muitos frutos, ela quer prosperar, mas muitas vezes, é o tamanho do vaso que impede as suas raízes de se expandirem!

Nossa missão na vida é expandir e gerar abundância no mundo, assim como todos os seres da natureza!

Enquanto ficarmos viciados em aprovação alheia, enquanto desejarmos ter muito dinheiro para poder ostentar para os outros, enquanto vibrarmos no medo e na escassez, o dinheiro não nos encontrará!

O ser precisa ser próspero internamente para que o dinheiro o encontre!

Esse é o sentido maior da vida! Evoluir! Não ficar esperando a aprovação alheia! Se você sente que evoluiu, não sentirá mais essa necessidade de aprovação que te limita!

Devemos ser tal qual a natureza que se nutre com a terra, se alimenta de tudo o que é naturalmente lhe dado de graça, e cresce exponencialmente a cada nova estação, se moldando as vicissitudes do tempo, sem se quebrar!

Sejamos árvores frondosas, ou pequenos arbustos, mas sejamos o que a nossa natureza é, simplesmente!

temos que nos aceitar como somos! Se sendo laranja, amarmos os nossos frutos, não mais desejaremos ser morango, pois morango nunca seremos, e mesmo que tentarmos, ao provar dos nossos frutos, todos perceberão que de morango não temos nada!

Seja você! E se você ainda vive uma forte crise de identidade, busque descobrir quem você! E pare de desejar a aprovação alheia!

A vida te trará tudo o que você precisa assim que você entender qual semente está plantada aí dentro de você!

Muitos de nós, acabamos deixando as nossas sementes secarem e nem sabemos quais são os frutos que poderiam nascer em nós!

É preciso nutrir a terra, e aguar todos os dias amorosamente, para que as suas raízes comecem a se espalhar dentro de nós!

As suas raízes são os seus valores!

Aos poucos, as primeiras folhas surgem tímidas, e já podemos ter uma leve noção de que fruto poderá surgir dela!

E mesmo que esse fruto, inicialmente, não agrade o nosso paladar, um propósito há para isso, e pode ser um sinal de que devemos alimentar os outros com os nossos frutos, assim como nos alimentamos dos frutos alheios quando ainda não conseguimos colher nenhum!

Cuide da sua semente!

Mesmo que você não dê o valor que ela precisa para crescer de forma abundante, com certeza, ela é imprescindível para a abundância da terra!

Não deixe que ela cresça em um vaso pequeno!

Expanda o seu vaso e deixe que ela enraíze no chão e se espalhe livremente!

Se liberte da necessidade de se comparar com as outras plantas para que você possa prosperar com a beleza que você já possui.

Brote para uma nova vida de amor, compaixão e prosperidade, e sobretudo, se responsabilize pelo cultivo, para que você possa, em breve, fazer uma próspera colheita!

Cultive os seus talentos e coloque o seu amor a serviço!

A prosperidade quer te encontrar tanto quanto você quer alcançá-la, mas você precisa, antes de mais nada, se encontrar consigo mesmo, para que ela possa crescer de dentro para fora.

A prosperidade não está fora, ela está dentro!

Enquanto deixarmos as ervas daninhas se espalharem dentro de nós, prosperar será praticamente impossível.

Volte-se para dentro, e pare de brigar com a realidade.

Como diz a autora Byron Katie, “Quando discutimos com a realidade, nós perdemos — mas só 100% do tempo”.

Pare de querer ser quem você não é e você encontrará a semente que a vida quer que você cultive para se tornar abundantemente próspero.

Floresça!

Pare de buscar aprovação alheia! Viva a sua verdade!

A aprovação que você precisa tem que vir de dentro, não de fora!

*Foto de Luiz Felipe no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!