Somos a mesma pessoa na derrota ou na vitória. O que muda são as circunstâncias. Parte II – O fracasso.

Luciano Cazz

Parte II – O fracasso.

Um fracasso não define sua capacidade. Nem dez seguidos. Isso porque para se chegar a uma conquista existe um número muito maior de derrotas. Exatamente. O contrário de vitória não é o fracasso, porque as derrotas fazem parte da base da conquista. Elas que nos aperfeiçoam para aquilo que buscamos. Não só porque desenvolvem nossas habilidades e nos dão experiência, mas também por nos atentar para as limitações que precisam ser ultrapassadas.
As derrotas também nos ensinam sobre humildade, que não somos perfeitos e nos ajudam melhorar como seres humanos, bem como evoluir enquanto almas.

A vida não é sobre quantas vitórias você é capaz de alcançar, mas a quantas derrotas você é capaz de resistir e superar, porque perder uma batalha não significa perder a guerra. Cada dia que nasce é uma nova chance de vencer e essa nossa luta só acaba quando partimos desse mundo. Estar vivo é seguir em frente. E continuar pode, sim, significar mais perder do que ganhar. Mas é melhor seguir tropeçando do que ficar parado e ver a vida passar. Por isso não deixe uma falha ser um desestímulo, pelo contrário faça com que ela seja a razão de continuar e a força para superar, até porque a verdadeira derrota é nunca tentar.

Somente quem sabe perder é capaz de vencer, uma vez que é muito importante encarar um fracasso e compreender que seus planos precisam ser reavaliados e, então, tomar a iniciativa de mudar a direção da vela para a favor dos ventos que lhe conduzirão aonde pretende chegar. Aliás, é com as derrotas que aprendemos a ganhar. E se você aprende com uma derrota, você, de fato, não perdeu, porque a vitória é o tronco da árvore, enquanto as derrotas são os galhos que desviam seu caminho. Mas é neles que nascem os frutos.

E o grande desafio da vida é esse. Ser derrotado sem perder o coração. O revés acaba com os fracos, mas inspira os vencedores. E sofrer uma derrota jamais significará ser um perdedor. Deixe isso claro na sua mente. Fracasso não é quando a vida lhe derruba no chão. É quando você se recusa a levantar.

E nenhuma vitória é tão gostosa quanto aquela que sucede um belo fracasso, ou muitos insucessos até o dia da redenção. Sim, os revezes podem ser combustível para nossa luta, como também dar um valor precioso às nossas conquistas. Porque dentro do peito levamos todas as dificuldades que superamos, todos os obstáculos que ultrapassamos e, principalmente, tudo aquilo que deixamos para trás em nome da nossa verdade. Portanto, guarde suas derrotas, porque quando você ganhar elas serão a explosão de felicidade no seu coração.

E nunca esqueça que o período de fracassos é o tempo que você precisa para amadurecer para a vitória. Vencemos quando estamos prontos e a maturidade adquirida, além de nos tornar assertivos para alcançar uma conquista, nos ajuda a lidar com o sucesso com humildade e dignidade. Por isso, jamais deixe que uma derrota atinge seu coração, porque se você pensar bem, em realidade, nunca há verdadeiramente uma derrota. Ou você ganha ou você aprende.

Leia também a primeira parte do texto:

Somo as mesmas pessoas na vitória e na derrota. O que muda são as circunstâncias. Parte I – A conquista.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Luciano Cazz
"Luciano Cazz é publicitário, ator, roteirista e autor do livro A Tempestade depois do Arco-íris."

COMENTÁRIOS