Respeite-se o bastante para recusar as migalhas que te oferecem

Prof. Marcel Camargo
respeite-se-o-bastante-para-recusar-as-migalhas-que-te-oferecem

Respeite-se o bastante para recusar as migalhas que te oferecem

Você nunca perderá sendo verdadeiro, sendo inteiro, intenso e autêntico. Perde quem te ignora, quem te usa, te menospreza.

O mundo está tão doido, que se torna difícil a gente conseguir se valorizar o bastante e se amar sem ressalvas. Há muita violência pelas ruas e muito ódio disseminado, principalmente pelas redes sociais. Nesse contexto, a gente acaba ficando triste e desanimado, tanto física quanto emocionalmente.

Está cada vez mais complicado achar verdade nas pessoas, nas postagens, nas atitudes, nas mensagens.

A competitividade por um lugar de destaque, onde curtidas e glamour se acumulam, acaba nos tornando meio que desconfiados de tudo e de todos.

Muita coisa cheira a encenação, a oportunismo, a jogo de interesses. Afeto se generaliza como moeda de troca, enquanto nós, os sentimentais, ficamos deslocados.

Olhamos ao nosso redor e os apelos midiáticos pelo consumo estão por todo lugar.

Navegamos pelas redes sociais e nos deparamos com corpos sarados, dentes brancos e viagens de luxo.

Cada vez mais, estamos nos sentindo alheios àquilo tudo, o que, fatalmente, desanima e entristece.

Chegamos até mesmo a questionar onde nos encaixamos, ou o porquê de não conseguirmos ser e ter aquilo que ostentam como meta de vida.

E, com nossos sentimentos em frangalhos e nossa autoestima abalada, infelizmente, acabamos por achar que merecemos bem menos do que temos direito de verdade.

Acabamos engolindo as desculpas esfarrapadas que nos chegam, aceitando uma amizade meia boca que nos oferecem, empurrando com a barriga relacionamentos fracassados, sempre nos contentando com bem menos do que deveríamos querer.

É por isso que, hoje, mais do que nunca, é preciso estar alerta em relação a si próprio, para que você não se perca de si mesmo, de sua essência, de tudo o que você merece, em meio a toda essa balbúrdia que fazem com os sentimentos por aí.

Mantenha-se em seu caminho, tenha a meta de se amar e de se respeitar o bastante, para recusar qualquer porcaria que lhe ofertarem, em termos de amor, de amizade, de relacionamento, de sentimento enfim.

O mundo está tão doido, que se torna difícil a gente conseguir se valorizar o bastante e se amar sem ressalvas.

Há muita violência pelas ruas e muito ódio disseminado, principalmente pelas redes sociais. Nesse contexto, a gente acaba ficando triste e desanimado, tanto física quanto emocionalmente.

Está cada vez mais complicado achar verdade nas pessoas, nas postagens, nas atitudes, nas mensagens.

A competitividade por um lugar de destaque, onde curtidas e glamour se acumulam, acaba nos tornando meio que desconfiados de tudo e de todos.

Muita coisa cheira a encenação, a oportunismo, a jogo de interesses.

Afeto se generaliza como moeda de troca, enquanto nós, os sentimentais, ficamos deslocados.

Olhamos ao nosso redor e os apelos midiáticos pelo consumo estão por todo lugar.

Navegamos pelas redes sociais e nos deparamos com corpos sarados, dentes brancos e viagens de luxo. Cada vez mais, estamos nos sentindo alheios àquilo tudo, o que, fatalmente, desanima e entristece.

Chegamos até mesmo a questionar onde nos encaixamos, ou o porquê de não conseguirmos ser e ter aquilo que ostentam como meta de vida.

E, com nossos sentimentos em frangalhos e nossa autoestima abalada, infelizmente, acabamos por achar que merecemos bem menos do que temos direito de verdade.

Acabamos engolindo as desculpas esfarrapadas que nos chegam, aceitando uma amizade meia boca que nos oferecem, empurrando com a barriga relacionamentos fracassados, sempre nos contentando com bem menos do que deveríamos querer.

É por isso que, hoje, mais do que nunca, é preciso estar alerta em relação a si próprio, para que você não se perca de si mesmo, de sua essência, de tudo o que você merece, em meio a toda essa balbúrdia que fazem com os sentimentos por aí.

Mantenha-se em seu caminho, tenha a meta de se amar e de se respeitar o bastante, para recusar qualquer porcaria que lhe ofertarem, em termos de amor, de amizade, de relacionamento, de sentimento enfim.

Ainda que pareça surreal viver na contramão da ostentação e da sentimentalidade rasa que ocupam os vários setores da vida, você nunca perderá sendo verdadeiro, sendo inteiro, intenso e autêntico.

Perde quem te ignora, quem te usa, te menospreza.

Na hora certa, sua verdade dará as mãos para uma verdade que te transbordará. Porque você merece. E vai ser lindo.

*Foto de Jonathan Borba no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Prof. Marcel Camargo
Graduado em Letras e Mestre em "História, Filosofia e Educação" pela Unicamp/SP, atua como Supervisor de Ensino e como Professor Universitário e de Educação Básica. É apaixonado por leituras, filmes, músicas, chocolate e pela família.