Relação Abusiva não é amor!

ANA CAROLINA PAFETTI

A relação abusiva está cada vez mais presente em nossa sociedade. É uma relação onde predomina o excesso de poder sobre o outro. É o desejo de controlar o parceiro. Esse comportamento inicia de modo sutil e aos poucos ultrapassa todos os limites causando muito sofrimento.

A pessoa que é vítima do abuso geralmente não enxerga a situação ou simplesmente se recusa a admitir que a pessoa amada seja um agressor abusivo.

Os principais fatores de um relacionamento abusivo são o ciúme e possessividade exagerados, controle sob as decisões e ações do parceiro, violência verbal, isolamento do parceiro do convívio com amigos e familiares e, como consequência, a pessoa fica frágil e com mais dificuldade de sair dessa relação.

Para identificar uma relação abusiva, a pessoa deve se atentar aos sinais e excessos em relação ao controle, possessividade, ciúmes, agressividade, e questionar se tais atitudes têm causado desconforto ou mal-estar frequentes.

Se nos últimos tempos você se sente criticado, tenso, triste, angustiado, rejeitado, humilhado, com baixa autoestima, sem controle da sua vida, isolado, culpado de tudo o que acontece, obrigado a se mostrar feliz ou fazer o outro feliz para evitar uma briga, é porque existe um relacionamento abusivo.

Cortar uma relação doentia é o mais difícil de se fazer, porque há um contato muito próximo entre você e a pessoa. E se adicionarmos a manipulação a tudo isso, fica ainda pior.

O abusador sempre tentará se justificar por tudo o que faz, já que está convencido de que está certo. Outras dificuldades para sair desse tipo de relacionamento costumam ser a insegurança, a incerteza, medo de reações do parceiro, acreditar que o parceiro poderá mudar suas atitudes.

O abuso emocional fere enormemente uma pessoa e, em muitos casos, essa ferida pode ser permanente. Por isso se diz que ele é mais perigoso que o abuso físico.

A vítima dessa violência muda sua atitude, seu estilo de vida, seus costumes para agradar o parceiro. Embora as dificuldades estejam presentes é fundamental que a pessoa identifique um relacionamento abusivo, busque ajuda e conte com o apoio familiar, essencial para sentir-se acolhida, amada, protegida e segura.

Nenhuma dor dura para sempre, e isso vai passar.

O pesadelo acabou, você agora pode recomeçar a sua vida.

Valorize cada minuto da sua liberdade, ame a si mesmo mais do que qualquer outra coisa.

Que tudo aquilo que você viveu de ruim seja exemplo para pessoas que estão na mesma condição procurarem ajuda, que toda a sua coragem inspire outras mulheres a saírem de relações insustentáveis. Você está livre e merece ser muito feliz!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




ANA CAROLINA PAFETTI
Carol Pafetti (CRTP 0383/18) é Psicoterapeuta e Terapeuta Holística, Terapeuta de Regressão de memórias e Vidas Passadas, Mestre em Reiki Usui / Reiki Cristão / Reiki Xamânico e Shamballa Multidimensional, Dietoterapeuta e Nutroterapeuta Oriental, Terapeuta Esteticista e Cosmetóloga. Formada no Instituto Terceira Visão. Instituto credenciado pela Sociedade Brasileira de Holo-Sistêmica (SBHolos).