Quero ser maior do que as muralhas

Re Vieira

A vida é um jogo que é orquestrado pelo destino, a única certeza que podemos ter é sobre a morte, e a única coisa que realmente é nosso são os nossos sonhos, isso se realmente tivermos a gana de lutar por ele, isso se não nos entregarmos aos obstáculos, isso se não sucumbirmos ao medo de que não iremos conseguir. Temos o agora, e em um piscar de olhos ele também vai embora, e novamente somos nós, as incertezas e algumas vontades.

Se você passa por esse conflito interpessoal e o considera maior do que a vontade de sair da cama, se você acha que o fardo está pesado, seu trabalho está um saco, seu vizinho trocou de carro e você mal está conseguindo pagar a escola das crianças, se você é do tipo que foca nos problemas, e vive preso dentro do próprio mundo, eu te convido para conhecer o mundo de outras pessoas.

Aquelas que também eram como você, que tinham os mesmos dramas, hipotecas, reunião de condomínio, futebol e cerveja com os amigos. Mas que por algum motivo totalmente alheio a sua vontade saíram de casa inteiros e voltaram apenas aos pedaços. E não falo apenas do físico, mas principalmente do pessoal, aquele que invade o íntimo e é capaz de nos levar a loucura, convido você para conhecer aquelas pessoas que passaram por algum tipo de acidente e isso mudou as suas vidas radicalmente.

Lucas Lucco em 2015 lançou uma música que possui um dos clipes mais lindos que eu já pude assistir: “ Quando Deus Quer”. A personagem que faz par romântico com o cantor é a Carolina Krieger, que perdeu os movimentos das pernas aos 23 anos ao sofrer um acidente de carro. Carolina é uma jovem linda, que no desabrochar da idade teve o curso de sua vida interrompida, e teve que se readaptar a vida, já que tudo o que ela era acostumada a fazer lhe foi tirado brutalmente naquele dia. Carolina da em depoimento ao vídeo, que não foi fácil, mas que ela escolheu viver, e superar o que lhe tinha acontecido. E disse também “Eu amei fazer parte deste projeto. Foi uma luz na minha vida. Eu acho que não vai ajudar só quem está vendo. Ajudou muito pra mim também. E vai mostrar para o mundo que o deficiente é uma pessoa normal e que tem direito de felicidade igual as outras pessoas. ”

Carolina é apenas um dos exemplos que temos pelo mundo, infelizmente a estatística de acidentes, ou de pessoas que já nascem com algum tipo de deficiência é infinito, mas a diferença entre essas pessoas e quem é completamente saudável não se encontra nas partes que lhes faltam, mas sim na força que essas pessoas encontram para superarem seus medos e a simplicidade que cada um encara o modo de viver, enquanto a maioria de nós nos entregamos e muitas das vezes sem ao menos termos tentado mais uma vez. Enquanto eles têm sede de viver, e buscam encontrar novas formas de recomeçarem e serem úteis, nós nos fechamos em problemas, tristezas e lamúrias e nos tornamos seres tóxicos e passamos a morrer um pouco mais a cada dia.

A Banda Fresno possui uma música a qual eu me inspirei para a construção desse texto, e eu chorei compulsivamente enquanto escutava e assistia o clipe, que retrata a realidade de Ítalo Romano: Skatista profissional que não possui as duas pernas, porem compete com outros atletas sem deficiência física alguma. Paloma Sampaio, nasceu com Deficiências Físicas Congênitas, onde nasceu com Paraplegia: paralisia total ou parcial da metade inferior do corpo, comprometendo as funções das pernas. Porém é recordista brasileira nos 100m peito, classe SB5. Heriberto Alves, que após um acidente de carro, teve as suas duas pernas amputadas, e se tornou Campeão Brasileiro de basquete de cadeiras de rodas, e ele ainda diz: “- O limite está mais na sua cabeça do que no seu corpo”. Temos também o Fernando Fernandes, tricampeão mundial, e Bi-Panamericano de paracanoagem.

A eles não fora perguntado se eles aceitavam tais condições de vida, não tinha uma porta dos fundos, apenas aconteceu, e dali eles tinham dois caminhos, o de posarem de vítima da circunstância, ou o de seguir em frente e serem vencedores. Eles foram vítimas, mas não permaneceram no papel, e optaram por derrubar todas as muralhas e construir uma nova vida, onde no final a única certeza que desejam carregar é a de que viveram intensamente. Eu desejo que por maior que sejam as muralhas que você enfrenta, que decida por derrubá-las, mesmo que seja tijolo a tijolo. E a você, que não possui nenhuma deficiência, convido a assistir esses dois clipes, e lhes deixo uma única pergunta: Quais são os seus problemas mesmo?

https://www.youtube.com/watch?v=eAaNEMJeC7U (Fresno – Maior Que As Muralhas)

https://www.youtube.com/watch?v=EEaZ_z6MhTQ (Lucas Lucco- Quando Deus Quer)

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Re Vieira
Re Vieira, guria apaixonada pela vida, escorpiana formada em direito, amante das palavras, ama café, gente divertida e vinhos, sou aspirante a escritora, louca de intensidade e sobrenome, tenho 27 anos mas perco a maturidade diante de um sorvete com gomas de mascar, me convidem pra beber e viramos amigos de infância.

COMENTÁRIOS