Quem não cura as suas feridas continua atraindo as mesmas situações para a sua vida!

Alguns tipos de dores nunca se encerram completamente e mesmo quando dizem que “vai passar” é importante entender que isso não irá acontecer de maneira íntegra.

Nossas vivências doloridas podem se tornar feridas abertas por um tempo curto ou indefinido ou ainda virar cicatrizes que farão parte de quem somos.

Assim como um corte físico pode formar uma ferida que mesmo sendo tratada mantenha uma cicatriz, as dores psicológicas também podem deixar marcas. E existem diversas situações que geram uma ferida emocional com elevado impacto, podendo provocar uma dor que irá acompanhar um indivíduo por toda a vida.

Felizmente há solução, sempre existe a possibilidade de desenvolver recursos e estratégias adaptativas para dar conta dessa ferida aberta.

Há uma lista de situações que podem trazer prejuízo a um indivíduo. Por isso, fica difícil generalizar e mensurar o sofrimento.

“As feridas emocionais são muito singulares, subjetivas e individuais”.

Diante de relações e investimentos afetivos tão díspares fica difícil enumerar as feridas que doem mais. Mas, é possível indicar algumas delas que, em geral, irão deixar marcas profundas.

Muitos são os motivos que podem deixar feridas abertas em nós:

– A Morte de um ente querido;

– Diagnóstico de uma doença crônica;

– Vícios;

– Traição;

– Saúde Mental;

– Estupro;

– Toxidade familiar;

– Relacionamento abusivo e Violência em geral…

A promessa de que o tempo é capaz de curar tudo nem sempre é um bom antídoto.

Não existe uma garantia real de que o tempo melhore aquela dor; muitas vezes, apenas ameniza.

A pessoa acaba sendo estimulada a superar, deixando o que a incomoda de canto. E isso não significa que o problema deixou de existir ou que não esteja doendo.

O tempo pode auxiliar, mas a memória continua existindo e gerando sofrimento.

Auxílio psicológico:

Entender a necessidade de buscar ajuda terapêutica para curar suas feridas é fundamental. Contribui para que as dores emocionais sejam ressignificadas, tratadas, acolhidas e cuidadas.

Todo mundo que passou por uma situação difícil, traumática ou não, merece cuidado e respeito diante de sua dor.

Reconheça que há uma ferida não curada machucando você. Aceite que isso realmente aconteceu, que existe uma dor que não cessa, e a partir disso procure ajuda profissional para superar e seguir em frente.

Uma forma de superar com assertividade é a Constelação Familiar, você já ouviu falar? Entre em contato por direct @rhamuche e agende uma consulta, aqui não faço promessas, mostro resultados.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.