Quem é bom pode estar fingindo, mas quem é mau não podia ser mais sincero.

Luciano Cazz

Não se engane com aquelas pessoas que falam doce e são sempre solícitas. Nem sempre a bondade representa o que elas realmente são. Existe um certo benefício, superficial, em ser falso e muita gente sabe disso. Mas, mais do que ter conhecimento é preciso ser capaz de agir de forma leviana. E isso tem a ver com índole e educação. Ser dissimuladamente legal é uma vantagem sorrateira que pode até atrair benefícios imediatos, mas que, com o tempo, fere o caráter e pode estragar uma linda história de vida.

Infelizmente ainda estamos imersos em uma cultura onde, por exemplo, puxar o saco pode ser mais importante para receber uma promoção no trabalho do que mérito e competência. O que não significa ser desnecessário filtrar o que se fala ou avaliar constantemente seu comportamento, porém, concordar sempre para pertencer, dar elogios mentirosos e criar falsas amizades com pessoas importantes para galgar degraus superiores na vida sugere fraqueza de caráter e até covardia. É como trapacear em uma competição. A gente pode até chegar em primeiro, mas lá no fundo sabemos que, na verdade, somos perdedores. Por isso é possível afirmar que nem todas as qualidades que as pessoas demonstram são verdadeiras

Por outro lado, quem tem atitudes cruéis ou usa palavras para ferir, incita ódio no outro e atrai uma energia negativa na sua própria vida. Por isso ser mal é uma atitude genuína, já que não agrega nenhum benefício que pudesse nos fazer interesseiros. Pode ser que ajamos com maldade ou falemos coisas duras em um momento de raiva, mas, apesar do destempero da situação, o sentimento é real. Ninguém dissimula ódio ou finge ser uma pessoa ruim.

Já a sinceridade é muito trabalhosa e, infelizmente, é a origem de diversos problemas, porque ainda existem muitas pessoas com egos supersensíveis nesse mundo, que são incapazes de encarar uma crítica ou um questionamento. Ser sincero e expressar sua personalidade com transparência é dar a cara a tapa em um mundo cheio de hipocrisias, entrelinhas e segundas intenções. Além das pancadas que recebemos da vida por expressar o que pensamos, ainda existem retaliações, sutis punições, e, muitas vezes, aqueles que não toleram a verdade nos devolvem a genuína maldade que acabamos de citar.

Mesmo assim, não deixe que o fraquejar dos outros diante da verdade mude seu caráter. Sinceridade é uma qualidade da alma e mesmo que os homens lhe julguem mal por isso, nas leis do universo você será recompensado atraindo as melhores pessoas para sua vida e as mais encantadas dádivas para seu espírito.

Então, una-se às pessoas sinceras para não ver seu trabalho de uma vida inteira ser jogado na lata de lixo por causa de alguém que soube fingir melhor do que você.

E se quiser conhecer realmente uma pessoa, não olhe apenas para as bondades que ela faz, mas, principalmente, para as ruindades que ela é incapaz de cometer. Porque a generosidade pode ser interesseira, mas a maldade sempre será verdadeira.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Luciano Cazz
"Luciano Cazz é publicitário, ator, roteirista e autor do livro A Tempestade depois do Arco-íris."

COMENTÁRIOS