Que possamos amar, todos os dias, as pessoas que já se foram…

Que possamos, todos os dias, pensar com amor nas pessoas que passaram por nossas vidas e que já se foram.

Resiliência Humana

Por: Leonardo Pugliese

Todos nós temos um propósito para existirmos neste mundo, hoje com as nossas características. Temos sonhos, alegrias, dores e limitações. Esse conjunto de sensações faz da vida uma caminhada individual, uma escola, na qual temos a oportunidade de nos aperfeiçoarmos, segundo nosso grau de evolução.

O tempo de duração dessa caminhada é uma questão que merece atenção, pois acredito que a morte seja um tema que ainda precise ser esclarecido entre nós humanos.

A separação física das pessoas que amamos cai para nós como um peso que dilacera a alma e nos faz querer parar também. Peço que, por alguns instantes, você possa acalmar o seu coração para refletir sobre esse tema tendo em mente que, por mais difícil que isso possa parecer, a morte é algo natural e faz parte da nossa existência.

Torço para que algum dia nós possamos compreender com mais clareza o propósito deste acontecimento. Para a maioria das pessoas, a morte ainda é uma verdade dolorosa. Só quem já perdeu alguém que ama sabe o quão irreparável pode ser a dor de uma perda.

Que possamos todos os dias pensar com amor nas pessoas que passaram por nossas vidas e que já se foram.

Que seus passos sejam iluminados pelo amor infinito de Deus e que elas tenham sido recebidas com amor na realidade para onde se foram após o término desta existência.

Que elas possam ter tido a chance de observar o mundo por onde passaram e que tenham crescido como espíritos dando o melhor de si: amando, respeitando suas limitações e as dos outros e, por fim, que elas possam ter contribuído para a transformação da Terra em lugar melhor.

O amor deixado pelas pessoas que já se foram é a herança mais valiosa que podemos receber em vida. Esse é o amor que nunca morre. Ele permanece vivo e é reativado quando entendemos o verdadeiro sentido da palavra saudade: ‘saudades do abraço forte que meu avô me dava’, ‘saudades das broncas que eu levava dele’, ‘saudades das vezes em que ficávamos até tarde conversando’, ‘saudades daquele tempo que não volta mais’.

A palavra saudade alimenta uma chama de amor e das boas lembranças. Essa chama não se apaga e é ela que aquece o nosso coração nas horas que mais sentimos falta de alguém que já se foi.

Por mais que, muitas vezes, acreditemos que não era o momento certo para a passagem de um determinado ente querido, que possamos confortar os nossos corações na certeza de que Deus sabe exatamente o tempo necessário para que cada um tenha o devido aprendizado em cada existência. Há um propósito divino, mesmo nas vidas que se encerram com brevidade.

O dia em que compreenderemos o papel da morte e da separação temporária está por vir. Acredite! Até lá, enquanto esse dia não chegar, apenas nutra o seu coração com as boas lembranças, vivendo cada dia como uma nova oportunidade para também deixar o seu legado de amor na Terra e na vida de outras pessoas.

Reacenda a todo momento a chama de amor que brota com as saudades que você tem de alguém que já não está mais neste mundo. Esse alguém permanece vivo no universo. Tenha certeza disso.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia