Que eu tenha serenidade para aceitar tudo o que não pode ser mudado!

Robson Hamuche
que-eu-tenha-serenidade-para-aceitar-tudo-o-que-nao-pode-ser-mudado

Que eu tenha serenidade para aceitar tudo aquilo que não pode e nem deve ser mudado. Que eu tenha forças para mudar tudo o que pode ser mudado. Mas, acima de tudo, que eu saiba distinguir uma coisa da outra.

Querer mudar as pessoas de nosso convívio é certeza de dificuldades nos relacionamentos.

NÃO DÁ RESULTADO, MAS INSISTIMOS.

Segundo Gandhi: “Você não pode mudar as pessoas, você precisa ser a mudança que deseja ver nos outros”.

Comumente entendemos que a maneira de mudarmos o comportamento das pessoas é mostrar coisas que deveriam ou que elas não deveriam realizar e fazê-las sentir culpa por estarem erradas. Essa atitude de querer mudar o outro não dá resultado, mas nós insistimos nessa atitude.

Se dissermos para alguém que beber é muito errado a pessoa fica irritada, bate a porta, sai e bebe ainda mais. Se ela não tiver com a escuta aberta, ela não vai aceitar a nossa opinião.

Se observarmos que algo está errado porque a pessoa não estudou o suficiente, deveríamos esperar que a pessoa fosse estudar mais por causa disso? Quando contrariada, ela fica com raiva e estuda menos.

Se observarmos que a pessoa está errando por não escutar aquilo que queremos dizer, vamos conseguir como resultado que ela não queira escutar ainda mais.

Aquele que escutava pouco acabará por nada escutar porque somos nós que precisamos aceitar o outro como ele é, e principalmente, aceitar as suas limitações. Como gostaríamos que aceitassem as nossas.

A mudança não vem através desse processo, mas sim por um acordo que permite às pessoas caminharem juntas.

Uma pode servir de exemplo para a outra quando ninguém tem interesse em apontar defeitos.

Aceitar que o outro ainda não está pronto para realizar as mudanças que observamos serem necessárias na vida dele é uma prova de amor.

Caminhar seus passos com esperança e aceitação é dar o exemplo com a sua própria atitude amorosa e compreensiva em relação ao outro.

Aceitar a vida como ela se apresenta, as pessoas como são, e se movimentar em direção ao seu refazimento é o caminho que leva a fonte da real felicidade.

Enquanto você tentar mudar quem não quer aceitar a necessidade de transformação que se faz urgente, você sofrerá.

Enquanto você tentar impor a sua verdade e repudiar a verdade do outro, você sofrerá. Mas ao passo que você decidir viver a sua própria vida com aceitação e amor, você se sentirá livre e experimentará a verdadeira felicidade.

Não queira mudar o mundo, as pessoas, as situações e controlar os acontecimentos, deseje mudar você, equilibrar as suas emoções e seja coerente!

Aceitar não é se submeter a tudo, mesmo contra a vontade, é mudar de direção caso as pessoas e situações não estejam alinhadas aos seus valores e princípios.

Alinhe os seus pensamentos, sentimentos e ações e verá o mundo e as pessoas mudarem bem diante dos seus olhos, mas essa mudança precisa começar por você. Tire o foco do outro, e volte a sua atenção para a sua reforma íntima.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche. Visite o Instagram do autor e busque melhorar a si mesmo. Foto de Aline Kircchinbauer no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Robson Hamuche
Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.