Quando percebi que não deveria esperar a valorização dos outros e passei a me valorizar me senti mais feliz!

Iara Fonseca

Quando parei de esperar a aprovação, a aceitação e a valorização dos outros, e passei a amar o que faço, o que sou, e todos os frutos que nascem da minha semente… me senti mais feliz!

Quando deixei para trás o que já foi dor e consegui transformar todo o sofrimento e as injustiças que sofri em aprendizado edificante me alegrei e me iluminei.

Quando larguei mão das vitimizações, dos melindres e da necessidade de aceitação alheia, me deparei com a pessoa que sou, com aquela que sempre quis ser, mas que insistia em esperar que os outros vissem!

Quando abandonei a necessidade de ser aceita por aqueles que não estão dispostos a aceitar a essência que carrego dentro, por aqueles que não mais sentem o cheiro da verdade, e que trabalham no intuito de conquistar benefícios próprios, percebi que eu podia muito mais do que eu estava oferecendo ao mundo!

Quando entendi que a verdadeira fortaleza e a segurança que eu preciso se encontra dentro de mim, busquei a felicidade que é certa nos caminhos incertos!

Quando amei de verdade a minha natureza errante, pude enxergar beleza naquilo que antes, escondia.

Quando aceitei viver de forma autêntica e me abrir para o mundo com toda a verdade que existe em minha alma, as coisas passaram a ser mais fáceis, mais felizes, e as poucas conquistas que eu acumulava, me satisfaziam integralmente.

Quando passei a valorizar os meus talentos enquanto ninguém, ou quase ninguém os valorizava, me senti completa, e só a minha aprovação me bastou!

Quando entendi que a felicidade não está no elogio, na validação, e na opinião alheia, conquistei o mais alto pódio da vida!

Onde ninguém poderia estar a cima, ou a baixo de mim, e sim do lado ou dentro!

Quando escolhi deixar as minhas emoções fervilharem, quando parei de esconder os meus reais sentimentos, quando mergulhei em mim propositalmente, eu me vi inteira em um mundo de metades.

E essa inteireza me fez feliz!

Me senti feliz sim, muito, mesmo com tanta tristeza no mundo!

E percebi que aquela felicidade não era egoísmo, era amor-próprio!

Não me entristeci pela tristeza que vi no mundo, pois aprendi que é extremamente difícil mudar o que os outros pensam e sentem de nós ou por nós, mas é completamente possível transformar aquilo que nós sentimos por eles!

Quando parei de implorar atenção, quando deixei ir quem queria ir, quando parei de me preocupar com o que achavam ou com o que esperavam de mim, entendi que só conseguiria me sentir plenamente feliz, se eu começasse a amar a pessoa que me tornei!

Então senti que deveria trilhar o primeiro caminho para a minha realização pessoal, que não passava por cidadelas alheias, mas que tinha uma rota alternativa e certa, uma rota que levava a um único destino, a minha própria vida!

Eu entendi finalmente que devo amar e valorizar a minha vida, os meus talentos, e dar mérito às minhas batalhas, e parei de esperar que os outros me amem e me valorizem!

Quando parei de esperar a aprovação das minhas ideias e planos!

Parei de me incomodar com o que os outros querem ou com o que os outros esperam de mim. Porém, os outros para mim importam e muito! Sei que quando fazemos o bem nos sentimos bem, e que é impossível viver plenamente feliz, se não conseguimos partilhar a felicidade com o resto do mundo.

Por isso, continuo fazendo o melhor que eu posso, doando o que eu tenho de bom para o mundo, mas sem esperar do mundo o que eu ofereço a ele!

Simples assim!

Aprendi que só o fato de eu poder oferecer o meu melhor e sentir que o que estou fazendo tem valor, me faz muito feliz! E isso é tão importante! Principalmente, para mim!

Aprendi que estar feliz é contagiante! E que se alimentar diariamente do seu próprio valor te leva a um estado de felicidade que se torna constante!

Quanto mais feliz eu fico, mais feliz eu fico!

Experimente hoje se dar todo valor! Tanto quanto você esperou receber dos outros! Tanto quanto você espera que reconheçam! É incrivelmente revigorante!

Comece hoje a valorizar o que você é e o que você se tornou!

Quando a gente aprende a valorizar o que somos, o que fazemos, o que criamos, o nosso trabalho suado, a nossa dedicação, a nossa persistência, as nossas qualidades, e passamos a reconhecer os nossos defeitos, e o que precisamos mudar em nós, o mundo passa a nos enxergar diferente! Da maneira como realmente somos! E isso é libertador!

Um último conselho:

Se você não gosta do que você se tornou, sempre é tempo de buscar guarita no seu interior e iluminar seus pontos obscuros!

Basta começar a acender uma luz aqui outra ali, e daqui a pouco estará tudo iluminado!

Acredite:

A luz não seria necessária se não existissem as sombras!

Portanto, ilumine os seus pontos obscuros, na medida em que você vai se curando, o amor próprio ressurge feito uma fênix, lindo e exuberante!

Hoje sei que senti felicidade quando me valorizei de verdade!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!