Porque para além de qualquer crença ou religião, o olhar amoroso de Deus alcançará a tudo e a todos

André J. Gomes

Noite dessas, lá no céu um anjo descuidado lavou as mãos e esqueceu a torneira do amor divino aberta.

Aqui embaixo, o mundo despertou diferente. Sobre nossas cabeças curtidas de sol e chuva e agonia desabaram transformações grandiosas.

Agora, sentimentos que antes pingavam ressequidos sobre nós despencam em cachoeiras de estima e admiração e desejo imperioso.

Do canil dos amores sem dono, criaturas encantadoras, sorrindo de bocas abertas de línguas de fora, os rabos num pra lá e pra cá de alegria, escaparam para fazer festa a quem passava.

Seremos assim, cada um de nós, zeladores de nosso maior patrimônio: essa estranha e reencontrada capacidade para o amor. Nossa missão bendita nos conduzirá a vida e fará compreender que pessoa nenhuma é propriedade de outra, mas tão somente sua companheira de viagem.

Daqui em diante, os presentes que trocarmos entre nós serão embrulhados no papel tênue da saudade e enfeitados com o laço vermelho da alegria do encontro. As pessoas com quem estivermos de amores pela vida serão sempre acarinhadas de amor delicado. Com o susto da surpresa, essa onda avassaladora nos redimirá a todos, aí inclusos os solteiros, os mal amados e os mal amantes. Tomados cada um de nós por irrecusáveis sentimentos de elevação, o mundo ganhará novas cores e temperaturas e trilhas sonoras.

Assim, com a torneira dos anjos escancarada, o amor transbordará para as ruas e os parques, as praças e os corredores dos shoppings, os escritórios gelados, os bares calorosos, os lares abençoados e os sem esperança, as academias de ginástica, as vielas e ruas e avenidas do mundo inteiro, espalhando ternura pela vida em franca e violenta inundação imprescindível.

Porque para além de qualquer crença ou religião, o olhar amoroso de Deus alcançará a tudo e a todos, em qualquer canto de dentro ou de fora, como a música leve que vem de longe no espaço e no tempo. Como a lembrança de um bom e velho sentimento. Hoje, amanhã e sempre, num longo, lindo e interminável dia a dia dos namorados!

Bom dia, gente amante, amada e amorosa!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




André J. Gomes
http://www.revistaletra.com.br/ Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.

COMENTÁRIOS