Por que esperar pelo amor de alguém, se esse alguém não prometeu que nos amaria?

Cris Souza Fontes

Por que espera pelo amor de alguém, se esse alguém não prometeu que a(o) amaria?
Não é uma boa pergunta? Pense comigo: por que ainda insiste em algo se você sabe, tem clara certeza de que não é correspondida?

Sim, pareço até que a vejo agora, minha amiga. Vejo-a recostada àquela porta com o telefone em mãos esperando que a campainha toque ou o dito telefone. Então, nada. Nenhuma mensagem, nenhum sinal, nem passos no corredor. Ele não vem, ele não se importa, ele não a ama.

Acho que a conheço porque sei que troca de lugares para se apoiar, uma hora a porta, outra, o balcão e, em alguns casos, jogada no sofá. O telefone? Ainda na mão.

Seu amor por aquela criatura é tão grande, mas tão grande que quase a sufoca, não é? Às vezes, chega até a se perguntar em como poderá ser sua vida sem um sopro sequer da voz daquela pessoa…!?

Mas daí você espera, e continua esperando e esperando e nada desse amor vir até você.

Você? Ah, você ainda vai atrás, liga, procura, manda mensagens e tudo o mais que uma mulher humilhada é capaz de fazer para ter esse homem perto, amando-a tanto quanto ela o ama! Mas ele não corresponde.

Então, cá vem a pergunta:

Por que espera pelo amor de alguém, se esse alguém não prometeu que a(o) amaria?

Não é uma boa pergunta? Pense comigo: por que ainda insiste em algo se você sabe, tem clara certeza de que não é correspondida? Que em momento algum a outra pessoa chegou para você e lhe disse que UM DIA a amaria? Onde é que você está enxergando essa esperança que o outro não lhe deu?

Já vi casos de uma pessoa dizer para a outra que não a ama e mesmo depois de sair batendo a porta, a que ficou ainda pensou: “Ele não está num bom dia, não diz a verdade.” E vive acreditando em uma mentira! Uma mentira que criou em sua cabeça de que aquela pessoa um dia vai amá-la, que você pode, sim, esperar por ela uma eternidade que ela virá para você, afinal, vocês são almas gêmeas, não são?

Não colocou isso na sua cabecinha que vocês foram feitos um para o outro? SÓ QUE NÃO!

Amiga do céu, a realidade é muito dura, eu sei… Mas que tal se perguntar em que momento ele disse que a amaria?
Por que ainda o espera se está mais que na cara que ele não a quer? Por que não desencana dessa criatura e passa a viver sua vida, amar outras pessoas?

Não espere pelo amor de alguém que não o prometeu a você. Esperar será uma perda de tempo, de vida, de idade, de juventude! Alimentar esperanças de um amor falido ou que nunca existiu é criar um mal imenso a si mesma e a mais ninguém. Você precisa ver isso!

Ah, ele saiu com outra mulher e você o viu parecendo feliz com ela e o que pensou? “Não tem importância, ele está só passando tempo, logo vai me procurar.” Daí ele casa com a tal da mulher e você continua buscando justificativas para uma mentira que só existe na sua cabeça: de que ele ama você.

O tempo passa, minha amiga. O tempo passa. As pessoas mudam e a vida de todo mundo segue e é preciso que você dê um basta nessa loucura agora mesmo e siga a sua vida.

Quem promete amor, quem ama, fica junto, dá sinais nítidos de um amor real, não ilusões ou fantasias criadas de uma cabeça mais apaixonada pelo outro do que por si mesma!

É possível viver sem esse amor! É possível que você reconstrua sua vida por si mesma e não pelo outro, não esperando algo que não vai acontecer.

Mude sua vida. Enxergue a realidade. Não espere por algo que só existe na sua cabeça. Seja feliz. Liberte o outro. Largue o telefone e vá beber um vinho, sair com amigos, sorrir.

A vida passa muito rápido para se perder tempo acreditando nas fantasias de nossa cabeça.

A realidade, por mais que pareça dura, é inacreditavelmente bondosa, pois ela nos poupa de duradouros e desnecessários sofrimentos. Ame-se!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





COMENTÁRIOS




Cris Souza Fontes
Escritora, blogueira, amante da natureza, animais, boa música, pessoas e boas conversas. Foi morar no interior para vasculhar o seu próprio interior. Gosta de artes, da beleza que há em tudo e de palavras, assim como da forma que são usadas. Escreve por vocação, por amor e por prazer. Publicou de forma independente dois livros: “Do quê é feito o amor?” contos e crônicas e o mais espiritualizado “O Eterno que Há” descrevendo o quão próximos estão a dor e o amor. Atualmente possui um sebo e livraria na cidade onde escolheu viver por não aguentar ficar longe dos livros, assim como é colunista de assuntos comportamentais em prestigiados sites por não controlar sua paixão por escrever e por querer, de alguma forma, estar mais perto das pessoas e de seus dilemas pessoais. Em 2017 lançará seu terceiro livro “Apaixonada aos 40” que promete sacudir a vida das mulheres.