Por muitos anos vivi minha vida em prol do serviço.

Idelma da Costa
por-muitos-anos-vivi-minha-vida-em-prol-do-servico

Por muitos anos vivi minha vida em prol do serviço. Todo resto ficou em 2°plano!Se não mudamos pelo amor, mudamos pela dor.

Tentar ser 100% é uma via de mão dupla, na qual mais cedo ou mais tarde a vida vem na contra mão em sua direção, mostrando que nossa arrogância de perfeição não nos levará a lugar algum.

Fará que desviemos para evitar um acidente e com o susto nos fará refletir que devemos ser mais humanos e principalmente mais humildes.

Por muitos anos vivi minha vida em prol do serviço. Os demais setores da minha vida ficavam em segundo plano. Achava na obrigação de dar conta de tudo, do meu serviço e serviço dos demais.

Tive reconhecimento externo que não pouparam elogios. Até que a vida resolveu virar o jogo.

Com a idade o pique acelerado constante se alterou, pois não há saúde que aguente.

Tentar mudar o mundo e abraçá-lo como se fôssemos dono dele não leva a lugar algum.

Não somos máquinas e o corpo e a mente vão se desgastando e quando você menos espera sua saúde foi embora.

Não por causa de uma coisa apenas, mas por um conjunto de atribuições, chega a pesar, minando todas as energias, bem como retirando o entusiasmo pela vida, obrigando a parar tudo para que seja revista várias questões que ficaram pendentes.

Será mostrado que a perfeição não existe, levando-o à conclusão de que não adiantará ser apenas um excelente profissional, se é capaz de deixar a si mesmo para trás ao retirar todas as oportunidades que lhe completa, fazendo-o feliz.

De nada resolverá ter esposa/marido, filhos, casa, barco, inúmeros bens, enfim tudo que sempre sonhou, se você não se dá uma pequena chance para aproveita-lós.

Sua falta de tempo para você, te fará deixar a oportunidade de presenciar o desenvolvimento dos seus filhos. Eles crescerão, irão embora, não lembrarão de você e nem terão boas recordações de você.

Fará com que o amor da companheira/companheiro se esfrie levando ao término do relacionamento.

Fará com que a casa, fique fria, sem sentido, por não tê-lá transformado num lar.

Fará com que a área de lazer com piscina e churrasqueira se tornem desnecessárias, por não ter havido cultivado a família e as amizades para curtirem bons momentos juntos.

Fará com que perca o sentir do sol, o azul do céu, a brisa do mar, a alegria das pessoas ao redor, a paz do encontro consigo por não usar o barco.

Fará com que não faça atividade física ou exercite o hábito da leitura, perdendo assim todos os seus benefícios.

Com as forças minadas pelo serviço excessivo, a única disposição que lhe restará será para dormir e mais nada.

Passeios deixarão de ser prazeroso.

Um círculo que não se fecha e se torna vicioso, sem saída a não ser permanecer e continuar.

A visão limitada e direcionada apenas para um foco apenas não lhe acrescentará em nada.

Não podemos deixar de viver em prol das ocupações e preocupações excessivas. A vida pede um equilíbrio.

Todos que se importam com você, perceberão esse malefício e cobrarão uma atitude. Você será o único que não perceberá o vício.

Quanto mais você fizer, mais irá querer fazer, numa insaciabilidade sem limites e sem fim.

É preciso preciso aprender a dosar, seja sozinho ou com a ajuda de um profissional. De maneira, que o faça andar no ritmo certo, de forma equilibrada e satisfatória.

Num ritmo acelerado a excelência acaba se perdendo.

Leva-se tempo para descobrir tudo isso e geralmente será da pior forma, ou seja pela dor.

E quando descobrimos, já perdemos oportunidades únicas em nossas vidas de sermos felizes a mais tempo. Por culpa da nossa ignorância e mania de perfeição.

O mundo foi criado em 07 dias e demoramos 09 meses para nascer. Então! Para quê a mania de querer resolver tudo para ontem?

Para quê se achar melhor que os outros?

Para quê achar que tem que ser o melhor?

Para quê?

De repente o perfeccionismo não é tão bom assim.

Se parássemos um pouco para refletirmos iremos descobrir áreas falhas em nossas vidas. Ou que vivemos para os outros, ou que vivemos a vida alheia, ou para uma única causa, ou em prol do serviço, ou em prol da família, etc.

Não importa se deixamos alguma área de nossas vidas para trás.

Sempre há tempo para voltar atrás e resgatar, antes que seja tarde demais.

Para viver exige plenitude e essa só se consegue com equilíbrio.

Somos nós mesmos os culpados dos nossos desequilíbrios e isso nos afasta de tudo que é importante e de todos que amamos.

Somos nós os principais responsáveis de ficarmos presos num mundinho tão pequeno criados pela nossa insensatez.

No nosso mundinho temos a falsa impressão de autossuficiência. Mas, a grande verdade é que ninguém é nada sozinho e a vida ensinará isso.

Sempre há tempo para retomar a vida e viver na normalidade do que é ser feliz.

Agimos com soberba e nem percebemos. Quando fazemos 100% nos sentimos bem e realizados apenas nessa área, mas a vida não é voltada apenas para um setor.

Soberba é pecado. E isso a bíblia nos ensina.

Não podemos gastar nossa energia num campo apenas, pois ela se esgotará para as demais áreas. Isso não é ser irresponsável e sim responsável pela vida.

De que adianta chegar lá na frente e ver que a vida perdeu o sentido e você a vontade de viver?

Antes, tirar um tempinho para refletir sobre sua vida, parar para buscar o equilíbrio do que colocar tudo a perder.

É difícil mudar, ainda mais quando nos achamos perfeitos.

Se não mudamos pelo amor, mudamos pela dor.

Prevenir é o melhor remédio e para isso temos que nos conscientizar através da auto-reflexão acerca da nossa própria vida.

Levei anos e aprendi da pior forma possível, com muito sofrimento. Hoje sou normal e quando vejo alguém perfeccionista julgando alguém, tenho dó, pois este na realidade sabe nada.

É um coitado que provavelmente irá aprender com a vida, que estava errado.

É preciso exercitar a humildade sempre, todos os dias um pouquinho.

Leva tempo e não aprendemos da noite para o dia.

Nunca pensei em dizer isso na vida. Queimei minha língua e reconheço que não sou perfeita.

A gente só aprende a ser realmente responsável com nós mesmos, quando paramos de ser irresponsáveis com todo o resto.

O excesso de responsabilidade focada, é uma irresponsabilidade consigo mesmo.

Será tudo menos perfeição.

Aprendemos com a vida, que é a melhor escola e não com os outros, pois achamos que somos grandes demais para aprendermos com os pequenos que na realidade são melhores que nós.

Quanto mais perfeitos somos, mais velozes ficamos e consequentemente mais imprudentes e isso é o que pode nos levar ao precipício sem direito a volta, se não pararmos com nossa mania de perfeição.

*REDAÇÃO RH

COMPARTILHAR




COMENTÁRIOS




Idelma da Costa
Idelma da Costa, Bacharel em Direito, Pós Graduada em Direito Processual, Gerente Judicial (TJMG), escritora dos livros Apagão, o passo para a superação e O mundo não gira, capota. Tem sido classificada em concursos literários a nível nacional e internacional com suas poesias e contos. Participou como autora convidada do FliAraxá 2018 e 2019 e da Flid 2018.