Pessoas que precisam sempre dar a última palavra são extremamente narcisistas

Resiliência Humana
pessoas-que-precisam-sempre-dar-a-ultima-palavra-sao-extremamente-narcisistas

Pessoas que precisam sempre dar a última palavra são extremamente narcisistas!

Um dos motivos pelos quais as pessoas precisam dar sempre a última palavra é porque querem nos conquistar com seus argumentos, mas esse comportamento denota uma personalidade narcisista.

Dessa forma, eles se impõem sobre nós e têm um maior senso de controle para reforçar sua autoestima.

Pessoas que sempre precisam dar a última palavra podem ser exaustivas.

São os adictos que apontam os pingos nos is, os obcecados em concluir cada conversa e em obter o motivo de cada diálogo e circunstância. Algo assim pode ser problemático em um relacionamento afetivo e muito desgastante em qualquer vínculo familiar e até mesmo na amizade.

Parece que esse tipo de personalidade conhece muito bem Schopenhauer, a obra em que o filósofo conheceu uma série de estratagemas malévolas- algo para nos ensinar a superar com sucesso qualquer conversa. Embora a verdade é que esses comportamentos sempre mostram uma clara falta de empatia interpessoal e insegurança.

No final das contas, dar a última frase ou sempre tentar acrescentar alguma comunicação não é um mérito, é em muitos casos, uma obsessão de querer estar certo e alimentar o ego.

Essa realidade se esconde atrás de um tipo muito particular de personagem que vale a pena conhecer.

Poucas coisas são mais cansativas do que conversar com alguém que só quer estar certo a todo custo e que está obcecado em dar sempre a última palavra.

Por que essas pessoas precisam dar a última palavra?

Há algo de óbvio nas pessoas que precisam dar a última palavra. Em média, vêm acompanhados de outras características, como a necessidade de ter todas as situações sob controle. Estamos a falar, portanto, que nos deparamos com um tipo de perfil muito específico, com o qual a convivência nem sempre é fácil.

Não estamos diante de uma síndrome, uma mania ou uma característica esporádica. É um tipo de personalidade que vê a comunicação como uma forma de competição e que concebe as relações como cenários de poder. Eles desejam estar certos e precisam aumentar sua autoestima em todas as circunstâncias. No entanto, eles podem nem estar cientes disso.

Quem tem a última palavra não é o eco … Sou eu (narcisismo disfarçado)

Pessoas que precisam constantemente e obsessivamente dar a última palavra apresentam um perfil narcisista em muitos casos.

Pesquisas como as realizadas pelo Dr. Samantha Dashine da Universidade de Buffalo (Estados Unidos) mostram que aqueles que estão sempre querendo impor seu próprio ponto de vista esconde uma personalidade narcisista por trás dele.

Aquele comportamento comunicativo em querer ser sempre quem termina ou acrescenta alguma conversa responde por sua vez a uma necessidade.

Estar certo e ser aquele que evidencia melhores ideias e argumentos serve para reforçar sua autoestima.

Poderíamos dizer que para estas pessoas, o eco não tem a última palavra, elas têm …

Seu próprio ponto de vista como um exercício de poder

Existem personalidades para as quais o diálogo não é uma troca de ideias. Além disso, não é uma interação com a qual se conectar emocionalmente com quem está na frente deles.

A comunicação é para esse tipo de perfil uma forma de exercício de poder.

Estar no controle, ser aquele que fornece os argumentos mais fortes ou as ideias mais originais é uma forma de ter um sentimento de domínio.

Falta de empatia: preferem ganhar discussões do que entender os sentimentos

Pesquisas tais como as realizadas na Harvard Medical School (Estados Unidos) nos lembram que a empatia é a chave para o comportamento pró-social. Comportamentos como a comunicação humana precisam desse fator para que haja conexão, compreensão, harmonia e satisfação.

Agora, as pessoas que precisam dar a última palavra não ouvem,, só falam. Nem mostram empatia genuína pelo outro.

A única necessidade desses homens e mulheres é vencer discussões, ignorando as emoções. Tudo isso impacta na qualidade do relacionamento e no desconforto percebido.

Pessoas que precisam dar a última palavra buscam validar suas crenças

Esses dados são interessantes. Em média, quem busca impor seu ponto de vista em qualquer conversa e quem precisa que sua palavra seja a última buscam validar suas crenças. Caso seja o outro quem impõe seu argumento, ele sentirá que suas crenças estão sendo atacadas.

Assim, quando alguém mostra uma clara baixa autoestima, suas crenças são suas “posses” e não tolerará ser desafiado …

O que podemos fazer com alguém que sempre quer ter a última palavra em um a dicussão?

Nós apontamos isso no início. Normalmente, as pessoas que precisam ter a última palavra também apresentam muitas outras características problemáticas. Não é fácil conviver com alguém que mostra uma clara falta de empatia, ou com quem a comunicação se torna uma batalha constante para ver quem tem razão …

O que devemos fazer nessas circunstâncias?

O mais importante é não nos colocarmos no nível deles.

Se você quiser dar a última palavra, deixe que eles falem, mas o mais importante é mostrar respeito.

Não podemos perder a calma, nem levar a uma batalha dialética que a outra pessoa certamente venceria se tiver mais prática. É melhor ser cauteloso e prudente.

Pessoas que falam apenas para discutir drenam o nosso ânimo.

As personalidades que buscam impor seus argumentos apresentam um perfil agressivo e narcisista …

Diante dessas realidades, o melhor é se distanciar e resguardar sua integridade e autoestima.

Saber se comunicar não é apenas uma arte de trocar ideias. A boa comunicação harmoniza e facilita a vida, e nos enriquece como seres humanos. Se isso falhar, tudo falha.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações LMM. Foto de Hamid Tajik no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS






COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia