Perdoe-se, só isso

Resiliência Humana

Perdoe-se. Seja corajoso o suficiente para ser compassivo consigo mesmo. Pare de se criticar, de se culpar, de pensar no que teria acontecido se você tivesse agido de forma diferente… Por que você se maltrata tanto?

Você realmente acha que, ao tratar a si mesmo dessa forma, vai avançar em algo? Você acha que se punir é a solução para os seus erros? Um erro é apenas uma coisa que deu errado quando você tentou, e não o motivo de afundar quem o comete. Perdoe-se.

Não é necessário que você se odeie, que grite consigo mesmo por dentro, que se atribua todas as qualidades mais negativas que conseguir encontrar… Aquilo que você fez e que não estava certo não deve se tornar a maior parte da sua identidade. Como você pode reduzir tudo o que é a apenas um erro? Por que você mascara seus valores, suas virtudes, sua inteligência? Perdoe-se.


Eu entendo que você não queria que isso acontecesse, que não era sua intenção, mas não entendo que a partir desse momento você tenha se escondido na profunda caverna do autodesprezo. Deixe-me dizer uma coisa. Eu não quero convencê-lo, eu simplesmente convido você a refletir. Então, você decide.

Cometer um erro é humano

Cometer um erro é humano. É sim. Errar é comum, principalmente se quisermos evoluir. Não é só você que faz isso, mas o mundo inteiro. Alguns todos os dias, outros de tempos em tempos… Fazemos tantas escolhas em nossas vidas que é impossível identificar sempre a melhor opção. Como William James disse, quando temos que fazer uma escolha e não conseguimos, isso já é uma escolha e, como tal, há uma chance de cometermos um erro.

Como você pode ver, você não fez nada que outras pessoas não tenham feito. Pelo contrário, esta é a norma, e não a exceção. Embora você insista em pensar o contrário. Um erro é um convite para descobrir outro caminho, outra maneira de fazer as coisas. Um trampolim direto para melhorarmos. Não é um buraco onde devemos cair para não sairmos mais, ficarmos presos e abandonarmos tudo. Nem é o motivo de criticar a si mesmo, ser seu juiz e executor ao mesmo tempo.

Agora, existem erros e erros. Tudo deve ser dito. Há aqueles que são feitos sem intenção e aqueles que envolvem uma ofensa e humilhação intencional em relação a outras pessoas. Estes são muito mais complexos e exigem um tratamento mais especial, principalmente se forem repetidos ao longo do tempo.

Talvez sejam advertências de orgulho, ressentimento ou imaturidade emocional. Em qualquer caso, quando o controle sobre esses sentimentos é perdido, é melhor ir a um profissional. Mas eu não vim aqui para falar sobre o último, mas sim sobre o primeiro. Daqueles erros que cometemos mais frequentemente e que se tornam nossas cadeias…

Não se torne seu pior inimigo

Talvez você ainda não tenha notado, mas a partir do seu erro, pouco a pouco, você se tornou seu pior inimigo. No primeiro dia você lamentou e achou que era um tolo, mas então tudo o que você fez foi lançar sobre si mesmo palavras venenosas. Você declarou guerra.

Você caiu na autocrítica mais voraz e implacável… até chegar ao mais profundo desprezo. E tudo isso em silêncio. Sim, enquanto realizava as tarefas do seu dia a dia, enquanto você estava indo de um lugar para o outro, no chuveiro, na cama… Sem perceber, você se classificou como um monstro e, embora quase ninguém consiga perceber, o seu interior foi rompido.

Talvez você esteja deixando algumas pistas, como ficar na defensiva ou mais apagado do que o normal. Você também pode ter limitado sua vida um pouco mais. Você não quer mais fazer certas coisas ou parou de conversar com os outros. O argumento é que o ato de cometer um erro invadiu completamente sua vida e o desorientou.

Dúvida, preocupação excessiva, comparação, culpa e crítica são agora seus melhores amigos. Parece que você não sabe como fazer nada sem esses sentimentos, e se eles não aparecerem, você sai procurando por eles. Você ficou preso à sensação de mal-estar.

Perdoe-se por seguir em frente

Você ainda está pensando que enfrentou seu erro da melhor maneira possível? Você acha que se tornar seu inimigo é o preço certo por ter cometido um erro? Deixe-me lhe dizer uma coisa: não. Você é muito mais do que a coleção de todos os seus erros.

O perdão é aprender a deixar se reinventar.

Perdoe-se. É a única maneira de romper com tudo o que você construiu até agora. A melhor maneira de quebrar as correntes que o prendem para que você possa avançar. Mas não faça isso por impulso ou porque está lendo sobre isso agora mesmo, mas porque realmente se sente desse jeito.

O que está feito está feito. Você não pode mudar. Você não tem o poder de viajar ao passado para modificar o que aconteceu, mas tem a coragem de alterar esse erro, procurando outras alternativas. Isso não significa que você esteja ignorando o problema, mas que tem a coragem de assumir a responsabilidade pelo erro que cometeu.

Olhe no espelho e faça as pazes consigo mesmo. Peça perdão. Faça isso de verdade, do fundo do seu coração. Dê outra chance a si mesmo. Porque não há nada que nos ensine mais do que um erro. Se o escolhermos como professor e não como companhia, é claro.

FONTEA Mente é Maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS