Percebi que era amor quando acolheu minha deficiência mesmo sem me conhecer pessoalmente, disse do noivo que conheceu em app de namoro.

Para muitas pessoas, a deficiência é motivo de exclusão e indiferença, mas no caso dessa mulher que tem 1,05m, o seu tamanho não impediu que o amor acontecesse.

O noivo mede 1,76m e ela pouco mais de 1m, mas os dois se encontraram e, apesar do preconceito do mundo, eles dizem que são extremamente felizes juntos.


Foto: Larissa Feitosa

Todo mundo quer amar e ser amado, mas algumas pessoas, enfrentam grande dificuldade para viver uma história de amor verdadeira. Preconceitos, rótulos e diferenças, são sempre trazidas como impecílios para viver uma história de amor, mas essa história desse casal, fugiu a regra, e provou que para quem ama, não existe nada que possa atrapalhar a sua felicidade.

A história de amor de Livinha e João Paulo começou em um app de namoro, em um local onde as aparências, muitas vezes prevalecem e enganam, mas no caso deles, não foi assim que aconteceu.

“Ela me paquerou”, diz ele. “Mentira”, diz ela. Mas os dois riem e se alegram com a discordância.

Os dois são diferentes quando o assunto é o tamanho, mas quando olhamos mais de perto, vemos uma cumplicidade invejável. Livinha que é empresária, palestrante e influenciadora, sente a admiração do seu amado João Paulo que a incentiva e contribui assiduamente com os seus projetos.

Eles estão juntos desde 2018, contrariando aqueles que pensavam que não ia dar certo o relacionamento entre uma pessoa alta e uma pessoa com nanismo.

Foto: Larissa Feitosa

Eles testaram o relacionamento quando tiveram que ficar confinados em casa durante a pandemia.

“Não tivemos discussão, ficamos ainda mais unidos”.

O carinho e o respeito entre os dois é notável em seus vídeos postados em suas redes sociais. Livinha coleciona mais de 52 mil seguidores, eles estão sempre juntos, mostrando o quanto se admiram e se respeitam. Um dá a voz para o outro, enquanto se ouvem e se amam. “Fala você, amor”.

“Essa pessoa mudou a minha vida”.

É tão bom quando isso acontece. Quando alguém chega e inunda o nosso mundo de amor e se dedica para que haja felicidade.

Livinha diz que sabia que era de verdade quando João Paulo, já nas conversas por aplicativo, demonstrou atenção e respeito pela deficiência física dela. Ela lembra que ele perguntou: “Você consegue andar direito? Posso empurrar sua cadeira de rodas?”.

Só de dizer essas palavras ela já percebeu que se tratava de um homem diferente dos outros.

“Nas minhas redes sociais e no aplicativo, tem foto minha de todas as maneiras – principalmente mostrando meu tamanho. Nunca escondi minha deficiência, sempre tive segurança. Então, se ele me quisesse, já tinha que ver como era a realidade. Foi então que a gente começou a conversar e fui percebendo que, sem saber, ele não estava sendo invasivo. Queria saber de tudo porque queria que as coisas evoluíssem entre a gente”, disse ela ao Diário do Nordeste.

Livinha tem uma síndrome rara, chamada de displasia espondilometafisária com frouxidão ligamentar. Mas ela nunca se limitou pela deficiência que possui, e a sua atitude diante da vida é sempre de muita coragem, isso encantou João Paulo, e o amor pode ser sentido nos simples gestos dos dois.

É lindo de ver!

*DA REDAÇÃO RH.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia