Os julgamentos que você faz ao seu pai retornam a você em forma de escassez.

Pare de julgar o seu pai e você viverá uma vida abundante.

Quando você critica, julga, cobra e exclui o seu pai da sua vida, mesmo tendo fortes razões para isso, você quebra a lei sistêmica familiar, porque quando você faz isso, você se coloca como superior, como melhor e maior que o seu pai, e com isso, acaba tomando a posição que é dele.

O seu pai veio antes, ele te deu a vida, e esse presente já deveria ser o suficiente para você ser grato. Mas quando as nossas expectativas não são atendidas, quando sentimos que não fomos cuidados e amados como deveríamos, quando nos ressentimos e guardamos mágoas do nosso pai, infelizmente, esses sentimentos se voltam contra nós, em forma de escassez.

Parece difícil, de início, comprender como isso se dá, já que sentimos que fomos nós quem sofremos com a falta de amor e cuidado, ou até com a ausência total da figura masculina em nossas vidas, mas a verdade é que, mesmo que o pai não tenha cumprido com as suas responsabilidades de pai, ele cumpriu o seu papel quando nos deu a vida. E isso, deveria bastar.

Porém, infelizmente, não é assim que funciona dentro de cada um de nós. Muitos de nós, colecionamos ressentimentos e mágoas, e não conseguimos perdoar o “mal”, que nos fizeram.

A constelação familiar nos diz que enquanto não acolhemos o nosso pai em nosso coração, o aceitando do jeito que ele é, não conseguimos prosperar financeiramente.

No sistema familiar o pai representa a abundâcia e a mãe, o trabalho. Se temos problemas com um, ou com os dois, acabamos fadados ao fracasso profissional e a falência financeira.

O fato é que existe uma lei de ordem e hierarquia, onde os pais são os grandes e, sempre serão, e nós somos os pequenos, mesmo quando já somos adultos. E quando infringimos essa lei, nos colocando como grandes e, eles, como pequenos. Dessa forma, focamos apenas nos seus defeitos e não nas suas qualidades, e é aí que a nossa vida começa a desandar.

Além de, inconscientemente, começarmos a repetir alguns dos erros deles, podemos também atrair pessoas que nos tratam exatamente da forma que eles nos trataram, ou seja, o que julgamos nos nossos pais ou se manifesta em nós, ou em quem a gente escolhe se relacionar, seja afetivamente ou profissionalmente, e essa desonra em relação a vida que nos deram, nos leva a ter problemas financeiros.

Para encerrar esse ciclo de sofrimento familiar e começar a prosperar, você precisa fazer um movimento de honra ao seu pai, e aceitar que ele só fez o que podia, com a consciência e o conhecimento que ele tinha na época, ou que ainda tem hoje.

Parar de cobrar o que o seu pai não consegue ou não pode dar vai te trazer de volta a sua posição original de filho, e estando no seu lugar, você vai ter condições de criar abundância em sua vida.

Acha que precisa de ajuda para fazer esse movimento? Me chama no direct @rhamuche e agende uma consulta individual.

*DA REDAÇÃO RH. Texto de Robson Hamuche, idealizador do Resiliência Humana, terapeuta transpessoal e Constelador Familiar.

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Robson Hamuche é Terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar, compõe a equipe de terapeutas do Instituto Tadashi Kadomoto (ITK). É também idealizador e sócio-proprietário do Resiliência Humana, grupo de mídia dedicado ao desenvolvimento humano, que reúne informação de qualidade acerca de todo o universo do desenvolvimento pessoal, usando uma linguagem leve e acessível.