“O meus seios não me definem como mulher”, disse após superar o câncer. Ela se aceitou e aprendeu a ser feliz com seu novo corpo.

Por Lucas Rodríguez

Aflita com a condição de seus seios, Christina Belding teve que se submeter a uma mastectomia total para impedir a progressão da doença. Os resultados mudaram seu corpo, mas ela acredita que sua essência não estava, e não estará, em seu físico.

Apesar do fato de que o tempo da história da humanidade em que vivemos possa ser objetivamente visto como um verdadeiro paraíso, se julgado por qualquer época passada, isso não significa que não tenhamos que conviver com algumas atrocidades.

Uma das mais comuns, mas não menos difíceis de lidar, são as doenças mortais, que ainda afligem as pessoas todos os dias no planeta Terra.

-mulher-superou-cancer
@christinabelding

Sem dúvida, o mais conhecido, assim como o mais temido e implacável, é o câncer. Doença com tratamento, mas mesmo sem cura, essa terminologia para designar uma lista interminável de disfunções orgânicas, que começam a prejudicar nosso corpo, já custou a vida a inúmeras pessoas. O avanço da tecnologia aprendeu a tratá-lo como nunca antes, mas mesmo assim, continua a escapar dos esforços de especialistas.

seios-cancer
@christinabelding

Um dos tipos mais comuns de câncer é o câncer de mama. As campanhas para que as mulheres verifiquem regularmente essa parte do corpo ressaltam a importância da prevenção. Caso contrário, uma intervenção cirúrgica dolorosa se torna necessária.

seios-cancer1
@christinabelding

Christina Belding, do Canadá, foi exposta a essa situação. A mulher de 52 anos teve que concordar que os cirurgiões procedessem à remoção completa de suas glândulas mamárias. Isso não foi fácil de aceitar, mas olhando para trás,

Cristina vê o lado bom:

“Meus seios tiveram que ser removidos. Fico feliz que tenha sido assim, porque não há mais risco de nada. Eles já tinham seus bons momentos de sobra, então preferi aposentá-los a ter que me reinventar com um par artificial. Além disso, ter seios não precisa me definir como mulher.”

–Christina Belding, em seu Instagram –

seios-cancer2
@christinabelding

Ao ocupar seu Instagram como uma janela para sua vida e experiência, Christina mostrou como sua situação de vida mudou, mas que cabia a ela vê-la como algo lamentável, ou algo para passar e seguir em frente.

A julgar pelas alegres fotos na praia com uma amiga, podemos dizer que Cristina soube deixar o passado para trás.

mulher-cancer3
@christinabelding

Agora ela se dedica a inspirar outras mulheres que estão em situação semelhante, a enfrentar a realidade com um sorriso no rosto. A mensagem dela é que perder uma parte do corpo como os seios pode alterar sua vida, mas não mudará quem você realmente é.

*DA REDAÇÃO RH. Com informações UPSOCL

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia