Os mentirosos: como reconhecê-los?

Já parou para pensar sobre as características das pessoas que mentem? Seriam elas rabugentas e antipáticas? Ou carismáticas e alegres?

Carolina Vila Nova

Se você achou a segunda opção mais plausível, acertou!

As pessoas verdadeiras consigo mesmas compreendem que existem dias bons e ruins, momentos e pessoas diferentes, aceitam os dias, momentos e pessoas como eles são e com transparência, não fingem gostar do que não gostam.

Já as pessoas que costumam mentir para si mesmas estão sempre tentando se enganar a respeito de um dia ruim e fingem estar tudo bem o tempo todo. O mesmo vale para momentos e pessoas. Como confiar em alguém que engana a si próprio?

Alguém que mente finge para si mesmo que sempre está tudo bem, e assim finge para os demais. Pode até não ser por maldade, como muitas vezes não o é, mas pela mais pura imaturidade e capacidade de lidar com a vida, consigo mesmo e com transparência.

Desconfie! Pessoas boazinhas demais, carismáticas demais, alegres demais têm algo estranho demais.

Desconfie! A vida é feita de altos e baixos, ninguém gosta de tudo e de todos, então aquele que sorri para todos e em todas as situações provavelmente é o mesmo que, ao lhe virar as costas, vai mudar de cara e de discurso. Esteja atento!

As pessoas consideradas menos simpáticas e talvez até mais rabugentas têm mais honestidade a lhe oferecer dos que as que sorriem o tempo todo. As primeiras são sinceras, falam do que não gostam, expressam-se quando não estão bem e não puxam o saco de quem não admiram. A suposta rabugice é a sinceridade com o mundo em que vive.

O excesso de sorriso e de gentilezas pode ser apenas uma máscara que cai logo quando você sai da sala ou vai embora. É claro que nem todo sorriso é falso e nem toda alegria é mentirosa, mas seu excesso pode ser. Mais vale confiar em alguém que lhe diz quando não gosta de algo que você fez do que naquele que diz gostar de tudo o tempo todo. Pense nas vezes em que já se sentiu traído.

Geralmente os que nos decepcionam são os que nos sorriem e nos fazem acreditar em sua amizade eterna.

Amigo bom é o que fala a verdade, mesmo que ela doa. Pessoa verdadeira é aquela que se expressa quando não se sente bem. Alguém que merece confiança é gente que não tenta agradar o tempo todo e age com verdade. Lembre-se de que até mesmo os psicopatas se destacam pelo excesso de carisma, liderança e inteligência.

Quanto mais uma pessoa mente, mais capacidade de manipulação e teatro ela tem.

Sorrisos e simpatia nem sempre são sinais positivos. Na vida, tudo exige equilíbrio.

O que é excesso pode ser que não passe de um simpático fake!

COMPARTILHAR




COMENTÁRIOS




Carolina Vila Nova
Brasileira, 41 anos, formada em Tecnologia em Processamento de Dados, pós-graduada em Gestão Estratégica de Pessoas. Atua numa multinacional na área administrativa como profissão. Escritora, colunista e roteirista por paixão. Poliglota. Autora de doze livros publicados de forma independente pelo Amazon, além de quatro roteiros para filme registrados na Biblioteca Nacional. Colunista no próprio site www.carolinavilanova.com e vários outros. Youtuber no canal Carolina Vila Nova, que tem como objetivo divulgar e falar sobre as matérias do próprio site.