Quando nos identificamos com os desejos e pensamentos que surgem o tempo todo, passamos a viver uma vida focada apenas no psicológico. Vivemos frustrados e insatisfeitos, totalmente obcecados por nós mesmos!

Mas quando abandonamos essa obsessão por nós mesmos, e passamos a viver uma vida existencial, focamos no agora, e aceitamos a impermanência, conseguimos sentir a beleza e a magnitude da inteligência por trás de cada coisa, aí, a gente se sente a pessoa mais sortuda do mundo!

O que é extremamente curioso é que, perceber que não somos o self, muda o self!

Os nossos desejos mudam quando a nossa consciência se expande, e com o passar do tempo, nos tornamos cada vez mais altruístas.

Quando entendemos que estamos conectados, essa compreensão profunda gera um ciclo amoroso que se manifesta no presente, e nos impulsiona a agir na realidade a que estamos inseridos.

Quando a consciência entende de forma natural, não forçada, a interconexão de todas as coisas, as nossas atividades rotineiras também mudam!

Pouco a pouco, deixamos de ser um obstáculo para nós mesmos e para os outros! E percebemos que o segredo para sair do estado de sofrimento é só uma questão de mudança de percepção!

Passamos a viver em êxtase quando encontramos a nossa verdadeira natureza!

Não nos contentamos mais com o nível básico de compreensão e passamos a buscar sempre um próximo nível porque entendemos que estar vivo hoje é um presente, o melhor e único que temos agora!

Surpreenda-se com os insights que o próximo nível pode te trazer!

Isso muda o jogo!

Você passa de mero personagem para jogador que se diverte muito, mas aceita quando morre.

E quando renasce, celebra a nova oportunidade de jogar, e aproveita a jornada do herói!

Instintivamente, deseja vencer com todo o coração, mas é resiliente o bastante para deixar fluir naturalmente, e não perde mais tempo tentando controlar tudo, apenas relaxa e age no presente!

Mas ter conhecimento apenas, não basta! É preciso experienciar!

Quem experimenta essa dissolução do self, se sente feliz porque aceita tudo o que acontece e simplesmente para de brigar com a realidade, e impor ao mundo o que deseja.

Ela aceita, mas não paralisa, ela age como pode na realidade, no presente, agora. Ela não deixa pra depois, não espera algo mágico acontecer, porque ela cava as próprias oportunidades e faz acontecer não a sua maneira, mas da forma como as coisas podem ser. Ela usa as limitações a seu favor.

Ela não se intimida frente as adversidades porque ela as enxerga como um desafio.

Com isso, ela não se frustra mais quando seus desejos não são realizados porque sabe que para tudo o que acontece existe sempre um motivo, uma lição, que nos leva a uma extraordinária transformação.

Quem entende o poder da própria existência sabe que precisa estar presente para realizar as mudanças tão necessárias em sua vida. E por conta disso, para de ficar remoendo o passado e de se preocupar com o futuro!

Faça planos, mas seja flexível, caso algo tenha que ser mudado às pressas.

Não tema o desconhecido, confie na providencia divina, naquilo que você não pode ver, mas que tem poder suficiente para mudar tudo de uma hora para outra.

Confie que a vida te quer bem, que todo esse sofrimento que você sente é mera identificação com o self, ou seja, com uma imagem ou identidade que você criou socialmente, ou que criaram para você e você tenta manter a todo custo.

Você precisa se libertar da prisão da autoimagem e parar de se identificar com pensamentos obsessivos e negativos, eles não são você em essência.

Simplesmente pare de achar que tudo acontece por você, pra você e com você. Você não é o centro do mundo.

Quando você consegue se libertar dessa obsessão por si mesmo você para de sofrer.

Entenda: Coisas acontecem, simples assim. E geralmente acontecem para nos trazer uma nobre lição.

Todos temos muito o que aprender e por isso estamos aqui nesse mundo.

Aprenda a lição e vire a página.

Não fique teimando em repetir o ano diversas vezes, se aplique, estude e principalmente, desperte para o amor que existe dentro de você. Ao despertar para o amor verdadeiro, o sofrimento não encontra abrigo e simplesmente não cabe mais.

O sofrimento é o retrato da obsessão que temos por nós mesmos. Dissolva-se!

Não dê importância aos apegos e apelos do ego. são ilusões de uma mente desconectada do todo.

Busque se conectar com o amor e com frequências elevadas! Verá que a sua intenção em se manter no presente tem o poder de purificar todas as camadas de sofrimento que o self insiste em sobrepor.

Aos poucos, você vai conseguindo dissolver uma a uma, vai se sentindo liberta, e perceberá que o que resta é a sua alma leve, simples, e disposta, que é capaz de realizar verdadeiros milagres quando está totalmente desvinculada da imagem que você construiu entorno dela.

O amor só se manifesta quando conseguimos nos libertar das amarras da obsessão que temos por nós mesmos. Ele não permanece onde o sofrimento faz morada.

*Foto de Jyotirmoy Gupta no Unsplash

VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









Jornalista, escritora, editora chefe e criadora de conteúdo dos portais RESILIÊNCIA HUMANA e SEU AMIGO GURU. Neurocoaching e Mestr em Tarot. Para contratação de criação de conteúdo, agendamento de consultas e atendimentos online entrem em contato por direct no Instagram.