O que eu gostaria que meus amigos soubessem sobre ansiedade

Resiliência Humana

Este é um daqueles posts que é difícil de escrever. Eu acho que é difícil porque há uma parte de mim que luta com vergonha por lidar com a ansiedade.

Honestamente, quando eu não tenho que lidar com isso, eu me pergunto se é realmente uma parte da minha vida, e então, vem os momentos em que ela se arrasta. E sinceramente, eu realmente não gosto disso, mas às vezes eu não sei como reiniciar meu cérebro instantaneamente. Então, vem a vergonha.

É uma pena, meus amigos, porque eu não quero ser aquela que se queixa sempre.

Essa é a pior parte sobre quando se a ansiedade me acomete. Parece que estou em pé no meio do mundo de todos, andando em uma direção, e lá estou presa e não consigo descobrir como fazer meus pés se moverem. E isso é chato e humilhante. Porque na maioria das vezes, não há nada realmente ruim no meu mundo. E lá estou vendo todo mundo se mover através de suas vidas e não consigo descobrir como levantar meu pé esquerdo e começar a andar.

Então eu meio que queria que todos conhecessem essa parte. Porque essa parte é difícil.

E eu acho que preciso que você conheça algumas outras coisas.

Principalmente, naqueles momentos em que qualquer um de nós que lida com a ansiedade não precisa de uma lista de coisas que fez de errado ou certo ou do quão bom eles são ou como eles estragaram tudo ou nada disso.

Nós só precisamos dizer que estamos bem e saber que você nos ama. Também não é hora de começar um debate sobre a vida ou nossa amizade ou mudanças na vida ou nada disso. Confie em mim, nesses momentos de ansiedade são os momentos em que vou cavar meus buracos mais profundos, mais do que nunca. Isso não só me deixa presa, mas me faz girar de forma irracional.

Não é porque estamos sendo teimosos. É o controle.

Essa é a coisa mais importante que eu quero que você saiba. Naqueles momentos em que a ansiedade mostra sua face feia, são os momentos em que sinto que estou perdendo o controle da minha vida. Lembre-se, tudo poderia parecer perfeito e unir, mas por alguma razão, a ansiedade, de repente, faz coisas normais parecem o fim do mundo. Pratos sujos… uma montanha, lavanderia… um tsunami, brigo com as crianças e parece o começo da terceira guerra mundial, as contas são o crash do mercado de ações, problemas de relacionamento são o fim para mim.

Isso faz sentido?

Então, mesmo que você possa VER claramente que não há uma montanha de pratos ou um tsunami de lavanderia ou uma guerra mundial ou a quebra do mercado de ações, naquele momento, é o que o mundo sente gostar de mostrar para mim.

Tudo perde a graça e eu só percebo quando ela passa.

Porque quando a ansiedade passa e eu posso ver a vida com olhos que não são distorcidos, eu vejo a verdade. E é fácil anexar o rótulo de vergonha à minha identidade. Você, meu amigo, pode me ajudar. Você pode me amar nesse espaço. Você pode ajudar com os pratos, com a lavanderia e com as crianças. Você pode aparecer para me ver.

Não tente me consertar. Ou queira me dizer que nada está errado. Ou que isso está na minha cabeça. Ou que eu sou louca. Ou qualquer outra coisa.

Apenas apareça.

Apenas ame.

Apenas esteja lá.

Apenas seja meu amigo.

Eu prometo que farei o mesmo por você. Essa é a natureza da amizade. Amar uns aos outros nos altos e baixos. E para alguns de nós isso significa muito naqueles dias de ansiedade. Isso é amor verdadeiro, amizade verdadeira.

Então eu te digo obrigada. Se você ficou comigo todos esses anos, também sabe que sou divertida. Eu dou risada. Eu amo a vida. Eu sou eficiente em lavar pratos. Mas como uma onda a ansiedade desaba, cresce em um vai e vem assim em meu coração. Talvez ela venha menos do que antes, talvez eu esteja aprendendo a combatê-la, talvez eu conheça os gatilhos que a desperta, mas às vezes eu quebro, desmorono e só preciso da sua mão.

Obrigado meu amigo.

Obrigado por amar tudo em mim. Ansiedade incluída.

Rachel

ps. Espero que minha honestidade faça você se sentir menos sozinho. E se você tem amigos como eu, talvez tenha uma visão de seus corações. Eles realmente amam você, eles precisam de você. Então, para todos vocês, obrigado por compartilhar e tornar o estigma da ansiedade um pouco menor.

**Texto originalmente publicado por Findingjoy livrimente traduzido e adaptado pela equipe Resiliência Humana

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS







COMENTÁRIOS




Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia