O que deixa você feliz? 7 passos para desenvolver a inteligência emocional

As emoções são reações psicológicas (com algumas manifestações físicas) aos acontecimentos da vida.

Se sentimos que alguém está nos prejudicando, ficamos com raiva.

Se identificamos uma ameaça, ficamos com medo.

Essas reações não surgem à toa, mas como mecanismos para que possamos nos defender e nos proteger.

Se você fosse incapaz de sentir medo, talvez não estivesse aqui agora para ler este artigo!

Existem emoções positivas, que dão graça à vida, e emoções negativas, que nos protegem e nos defendem. Portanto, todas elas têm uma razão de existir, e cabe a cada um de nós aprender a lidar adequadamente com as emoções.

Essa é a premissa básica da inteligência emocional — a capacidade que um indivíduo tem de reconhecer as emoções sentidas, identificar as suas causas e administrar a sua intensidade.

José Roberto Marques, fundador do Instituto Brasileiro de Coaching — IBC, sabe muito bem disso. Por isso, pensando em ajudar as pessoas a administrarem melhor as suas emoções, ele construiu o programa “As 7 chaves para desbloquear o melhor ano da sua vida”.

A ideia da formação é permitir que as pessoas encontrem o sucesso em todas as áreas da vida, incluindo a administração das suas emoções.

Se administrar o estresse, a tristeza e a ansiedade é um desafio para você, confira os 7 passos que separamos para você desenvolver a inteligência emocional:

1. Observe o seu comportamento

O primeiro passo para desenvolver a inteligência emocional é o autoconhecimento. Por isso, você deve analisar as suas emoções e as suas atitudes em reação a elas.

Quais sentimentos predominam no seu dia a dia?

Esses sentimentos são mais positivos ou negativos?

Em que situações eles surgem?

Como você reage a eles?

Esses questionamentos são muito úteis para que você identifique o seu estado emocional atual. Dessa forma, você poderá identificar os momentos em que administra adequadamente as suas emoções e aqueles em que pode fazer algumas melhorias.

Escrever um diário pode ser uma boa ideia para promover essa reflexão.

2. Administre as suas emoções

Os profissionais da saúde da mente preferem utilizar o termo “administrar” para se referir às emoções, pois a ideia de “controlar” pode estar associada à repressão, o que é muito negativo em se tratando de sentimentos.

Ninguém é capaz de controlar ou de escolher aquilo que sente. O que está sob o nosso controle são as nossas atitudes em relação ao que sentimos.

Todo mundo sente raiva em algum momento da vida, por exemplo, e isto não está sob o nosso controle. Contudo, se vamos ou não agredir alguém, é uma atitude que depende de nós. Não escolhemos o que sentimos, mas decidimos como reagimos.

3. Canalize as suas emoções negativas em atividades produtivas

O que podemos fazer em relação às nossas emoções é administrar as nossas atitudes.

Ofender e agredir as pessoas são exemplos de ações que apenas agravam os problemas e produzem novas emoções, ainda piores.

Em contrapartida, há práticas benéficas nesse sentido, que permitem que possamos expressar o que sentimos, sem ferir ninguém.

É o caso dos exercícios físicos, da meditação e dos hobbies em geral.

Investindo em autoconhecimento, você será capaz de identificar as suas “válvulas de escape” nesses momentos de emoções intensas.

Contudo, não deixe também de resolver essas emoções indo à raiz dos problemas, OK?

4. Respeite as emoções do outro e aja com empatia

Assim como você tem as suas emoções diante dos acontecimentos da vida, os outros também as têm.

Da mesma maneira que você gosta quando respeitam e compreendem aquilo que você sente, procure agir da mesma maneira em relação aos outros.

Evite julgar realidades que você desconhece e, se desejar aconselhar alguém, ouça antes o que a pessoa tem a dizer.

Isso se chama empatia — a capacidade que temos de imaginar como nos sentiríamos se estivéssemos vivendo aquilo que o outro vive.

Esse exercício nos torna mais humildes e solidários, evitando que falemos ou que tomemos atitudes que ofendam o outro.

5. Entenda que os estados emocionais são passageiros

Não existe emoção que dure para sempre. É claro que você pode amar alguém pelo resto da sua vida, mas, aqui, falamos de reações emocionais mais pontuais.

Ninguém vive o tempo todo com raiva, com tristeza, com medo ou com felicidade.

Há emoções que se repetem com mais frequência, mas isso não quer dizer que elas nos acompanhem constantemente.

Portanto, fica aqui a dica de não tomar decisões quando estiver dominado por alguma emoção intensa. As chances de você se arrepender depois são grandes.

Procure se acalmar e deixe as escolhas importantes para o dia seguinte, quando estiver mais racional e menos emotivo.

Além disso, não julgue toda a sua vida com base na emoção que estiver sentindo em um momento específico. Não será um julgamento correto.

6. Desenvolva a resiliência

A resiliência é a capacidade que as pessoas têm de superar momentos difíceis, reequilibrar as suas emoções e seguir em frente.

Se você já superou uma crise financeira, uma doença, um fim de relacionamento, um perda de emprego, ou qualquer outra notícia negativa, é sinal de que você é resiliente.

Essa capacidade depende da sua percepção de que, na vida, as emoções são passageiras, como citamos no parágrafo anterior.

Quantas vezes você achou que os seus problemas não tinham solução e que você sofreria para sempre?

Muitas, não é mesmo? Mas isso nunca se concretizou.

Portanto, se você estiver passando por um momento difícil, confie em sua resiliência e saiba que essa dor é apenas um momento.

7. Procure auxílio profissional

Mesmo seguindo as dicas acima, há casos em que a administração das emoções é realmente mais complexa.

Quando as dificuldades da vida forem muito intensas, não hesite em procurar a ajuda de médicos e de psicólogos. Aliás, não espere que a dor fique insuportável para pedir ajuda!

Essas pessoas têm conhecimentos sólidos e experiência para ajudar o indivíduo a lidar melhor com as suas questões internas e a resolver os eventuais problemas de saúde que tenham sido diagnosticados.

A inteligência emocional é uma questão complexa e extremamente importante, pois influencia o sucesso de uma pessoa em todas as áreas da sua vida.

Não é à toa que ela é uma das “7 chaves para desbloquear o melhor ano da sua vida” — o novo programa de José Roberto Marques.

Essa formação 100% on-line e gratuita apresentará, além de trechos do 1º Reality Show como Metodologia Educacional, metodologias baseadas em: técnicas, ferramentas, pesquisas, vivências, experiências, constelação familiar e meditação.

O movimento “7 chaves” vai ter início no próximo dia 11 de março, pontualmente às 19h57, horário de Brasília.

Inscreva-se AQUI!

*DA REDAÇÃO RH.*Foto de Bruno Adam no Unsplash. VOCÊ JÁ VISITOU O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO RESILIÊNCIA HUMANA?

SE TORNE CADA DIA MAIS RESILIENTE E DESENVOLVA A CAPACIDADE DE SOBREPOR-SE POSITIVAMENTE FRENTE AS ADVERSIDADES DA VIDA.

RECOMENDAMOS









José Roberto Marques, o Zé. Especialista do Comportamento Humano. ? CEO & Founder do Instituto Brasileiro de Coaching ? Autor Best-Seller - 62 livros publicados ? Criador #DesperteSeuPoder #ACasaDoZéReality #7ChavesParaUmaNovaVida